Normas para envio de artigos e resenhas

A apresentação de trabalhos para publicação na Revista Percurso pressupõe o conhecimento prévio e a aceitação, por parte do articulista, das seguintes normas:

1. Os trabalhos enviados para publicação, sempre originais e inéditos, deverão ser antecedidos por uma página de rosto contendo: 

  • o título e o nome do autor
  • sua qualificação
  • endereço (incluir cep)
  • telefone (incluir ddd)
  • e-mail
  • um resumo de cinco linhas em português e inglês
  • até seis palavras-chave em português e inglês
  • número exato de caracteres do texto, com espaços
  • data de remessa.

2. A página de rosto é destacada quando o trabalho é remetido para avaliação, de modo a preservar, durante todo o processo, o sigilo quanto à identidade do autor. Portanto, para identificar de qual artigo se trata, o título deverá ser repetido na primeira página do texto.

3. Os trabalhos deverão ser entregues em seis cópias, pessoalmente ou por correio (sem sedex), à Coordenação Editorial de Percurso: Rua Amália de Noronha, 198, 05410-010 São Paulo. Não serão aceitos trabalhos enviados por e-mail.

4. Todos os trabalhos são analisados em detalhe pelo plenário da Comissão Editorial ou da Comissão Edi­torial de Resenhas, que poderão solicitar ao Con­selho Científico Externo um ou mais pareceres. Uma vez aceito, um membro destas transmite ao autor eventuais recomendações para mudanças na forma ou no conteúdo, em particular – mas não só – a fim de adequá-lo aos padrões gráficos da revista.

5. Recomenda-se que os artigos enviados tenham até, no máximo, 35.000 caracteres, e as resenhas até 15.000 caracteres (em ambos, incluídos os espaços).

6. É indispensável seguir os padrões gráficos utilizados por Percurso: 

  • o que merecer destaque deve vir em itálico; não utilizar sublinhado nem negrito.
  • colocar intertítulos para facilitar a leitura.
  • palavras estrangeiras e títulos de livros mencionados no texto: estilo itálico, sem aspas.
  • títulos de artigos mencionados no texto: estilo normal, com aspas;
  • citações: entre aspas, com chamada de nota.

7. As notas deverão vir no rodapé da página em que figura a respectiva chamada, e ser numeradas consecutivamente em algarismos arábicos. Podem ser explicativas ou bibliográficas; neste caso, seguir o formato europeu, como indicado abaixo:

a. Nome do autor: em ordem direta, com maiúsculas somente nas iniciais do nome e do sobrenome. Exemplos: S. Freud; M. Klein; D. W. Winnicott.

b. Artigos e capítulos de livros: título entre aspas, seguido do nome do livro em que aparecem, cidade, editora, ano de publicação e página citada, precedida apenas da letra “p.” Exemplo: N. Bleichmar e C. Bleichmar, “Os pós-kleinianos: discussão e comentário”, in A Psicanálise depois de Freud, Porto Alegre, Artes Médicas, 1994, p. 286. Caso se trate de uma revista ou periódico, colocar em itálico o nome da revista, indicando número ou volume, local de publicação, ano e página citada. Exemplo: R. Zygouris, “O olhar selvagem”, Percurso n. 11, São Paulo, 1993, p. 12. (Não se usa in antes do nome de um periódico).

c. Livros: título em itálico, cidade, editora, ano de publicação e página(s) citada(s). Exemplo: J. Greenberg e S. Mitchell, “Object Relations”, in Psychoanalytic Theory, Cambridge, Harvard University Press, 1993, p. 377 (ou: p. 377-378).

d. Textos citados mais de uma vez: a partir da segunda vez inclusive, colocar apenas nome do autor, a expressão op. cit. em itálico, e a página citada. Exemplos: R. Zygouris, op. cit., p. 73; Bleichmar e Bleichmar, op. cit., p. 289. Se entre a primeira e a segunda citação for citada outra obra do mesmo autor, escolher uma forma simples de distinguir entre ambas. Exemplo: primeira citação, Marcia Neder Bacha, A arte de formar, Petrópolis, Vozes, 2002, p. 45; segunda citação, Marcia Neder Bacha, Psicanálise e educação: laços refeitos, São Paulo, Casa do Psicólogo, 1009; p. 70; terceira citação, Bacha, Laços…, p. 90; quarta citação, Bacha, A arte…, p. 134; quinta citação, Bacha, A arte…, p. 136; e assim sucessivamente.

e. Referências bibliográficas: Ao final do trabalho, deverão constar as referências bibliográficas em ordem de sobrenome dos autores, seguidas pelos dados da obra. Exemplos: Mezan, R. Interfaces da Psicanálise. São Paulo: Companhia das Letras, 2002; Levisky, D. Um monge no divã. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2007.

8. Para resenhas: título da resenha, seguido da expressão “Resenha de”, nome do autor, título da obra em itálico, cidade, editora, ano de publicação e número de páginas. Exemplo: Freud, o fio e o pavio – Resenha de Chaim Samuel Katz, Freud e as psicoses: primeiros estudos. Rio de Janeiro: Xenon, 1994, 274 p. O nome, qualificação, endereço, telefone e e-mail do resenhador devem vir no final do texto, seguindo o solicitado no item 1 destas Normas. Colocar na página de rosto as palavras-chave da resenha: não é necessário apresentar resumo ou abstract.

 
9. Uma vez atendidas as recomendações das Comissões Editoriais, os trabalhos serão entregues no endereço acima, em cd, no formato Word (.doc), acompanhados de uma cópia impressa.

10. O autor receberá cinco separatas do seu trabalho, além de um exemplar do número em que ele figura. Os trabalhos recusados não são devolvidos; o copyright dos aceitos pertence aos seus autores. Caso venham a ser publicados em coletâneas ou outros periódicos, inclusive eletrônicos, solicita-se mencionar que a primeira publicação se deu na Revista Percurso. Os autores declaram aceitar a divulgação de seus trabalhos no site da revista, www.uol.com.br/percurso.