Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

Anfíbio mexicano sob ameaça

Espécie rara de anfíbio, encontrada somente na região de Xochimilco, no México, está desaparecendo rapidamente

Wikipedia
Axolotl
O crescimento urbano está rapidamente levando uma das criaturas mais estranhas do mundo à extinção. De acordo com um novo estudo, a população do axolotl (Ambystoma mexicanum) ─ anfíbio mexicano que não sofre metamorfose durante a fase larval ─ diminuiu 90% nos últimos quatro anos. Estima-se que restam apenas cerca de 700 a 1.200 axolotls. A espécie já foi relacionada como fortemente ameaçada na lista vermelha de animais ameaçados da União Internacional de Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês).

O estudo, conduzido por Luis Zambrano González da Universidade Autônoma do México, Cidade do México, foi publicado na edição de 18 de agosto do periódico Biological Conservation.

O axolotl só é encontrado na região de Xochimilco, em uma área de apenas 10 km2. A região fornece a maior parte da água para a cidade do México e o estudo descobriu que a qualidade da água na região piorou nas ultimas décadas por causa da expansão urbana, que degradou o habitat único do axolotl.

A introdução de espécies aquáticas, como carpas e tilápias, piorou a situação dos axolotls que agora precisam competir por alimentos. Além disso, os peixes também comem os ovos dos anfíbios.

Apesar da sua raridade ─ ou por causa dela ─ a espécie permanece como animal de estimação, embora a maior parte da reprodução para comercialização como animais domésticos é feita em cativeiro. Axolotls também são usados normalmente em pesquisa cientifica por sua capacidade de regenerar membros perdidos.

De acordo com o estudo, a estimativa de 700 a 1.200 animais pode não estar correta, pois levantamentos recentes, em 11 locais na região de Xochimilco, encontraram apenas um espécime em toda a região pesquisada, o que sugere uma situação crítica para a sobrevivência do axolotl em seu ambiente natural, em longo prazo. O estudo também recomenda que se adotem medidas urgentes para a recuperação do habitat e da população desses organismos.