Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Buraco negro gigante

A rotação de buraco negro gigante sugere que ele cresceu durante uma fusão galáctica

 

NASA/CXC/Universidade do Michigan/R.C.Reis e outros;NASA/STSc
Por Clara Moskowitz

De acordo com uma publicação na revista Nature, existem duas coisas memoráveis no buraco negro gigante chamado RX J1131, localizado no centro de uma galáxia a cerca de seis bilhões de anos-luz. A primeira: ele é o buraco negro mais distante a ter sua rotação medida. E a segunda: ele está girando à metade da velocidade da luz. [R. C. Reis et al., Reflection from the strong gravity regime in a lensed quasar at redshift z = 0.658]

Astrônomos querem saber se buracos negros crescem gradualmente, por meio da absorção constante de material, ou rapidamente, por exemplo, em uma fusão com outro buraco negro durante uma colisão galáctica. Sua rotação oferece pistas.

Se a ideia da fusão estiver correta, grandes quantidades de material novo fluindo em uma única direção alimenta um buraco negro, fazendo a velocidade da rotação aumentar em uma direção.

Mas um buraco negro que fez pequenas refeições vindas de direções diferentes receberia pequenos empurrões que se cancelam, e deixam o buraco negro girando lentamente.

A fantástica velocidade desse buraco negro recém-analisado, portanto, sugere que ele cresceu ao digerir outro buraco negro em uma fusão galáctica.

O buraco negro de nossa própria via láctea poderia estar destinado a um futuro semelhante quando colidirmos com nossa vizinha, a Galáxia de Andrômeda. Mas relaxe: isso ainda vai demorar quatro bilhões de anos.

[O texto acima é a transcrição de um podcast]

[Scientific American é parte do Nature Publishing Group.]