Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

Caça esportiva pode levar mais uma espécie à extinção

Em alguns anos lobos-cinzentos podem entrar em extinção nos Estados Unidos

Bruno Francheschi Troiano
cortesia dos EUA Fish and Wildlife Service
Além de conflitos por espaço e alimento, animais ainda sofrem os efeitos da caça esportiva. Ao menos nos Estados Unidos.

Caçar animais é parte da cultura americana e as principais vítimas dessa prática são cervos, patos, focas, coiotes, antílopes e até mesmo os reis da savana, os leões, na África. Segundo o grupo conservacionista Panthera, os caçadores americanos estão se tornando uma séria ameaça à sobrevivência do leão africano. Quase sempre os caçadores, que matam pelo que consideram puro esporte, vendem pele, dentes e garra dos leões e os preços aumentam a cada ano nesse mercado macabro.

Agora, a caça esportiva pode fazer uma nova vítima: os belos e selvagens lobos-cinzentos (Canis lupus). Os lobos foram a primeira espécie listada nos Estados Unidos como “ameaçada de extinção”, em 1974, mas, já em 2008, foram retirados dessa categoria nas Montanhas Rochosas do Norte, parte de seus antigos territórios. Esse afrouxamento na lei permitiu que mais de uma centena lobos fossem mortos em Montana, Idaho e Wyoming, por caçadores no curto intervalo de um ano. Essa matança fez com que parte da proteção a esses animais fosse retomada.

Mas o destino dos lobos continua incerto. Agora, o congresso norte-americano estuda retirar definitivamente os lobos da lista de espécies ameaçadas de extinção. Muitos grupos ambientalistas temem que essa decisão seja baseada em argumentos exclusivamente políticos e não científicos ou ambientais. Se o congresso votar contra a proteção legal aos lobos, os animais que vivem no estado de Washington, Oregon, Utah e Wyoming, ainda terão proteção da lei. Mas em Idaho e Montana, eles serão presas fáceis e desprotegidas das balas dos caçadores.

A resolução do congresso especifica que Montana e Idaho poderão gerenciar suas populações de lobos de acordo com os planos de conservação de cada estado, no espírito federativo americano. Mas, evidentemente, nesses locais a proteção aos lobos ficará evidentemente enfraquecida. O senador democrata por Montana, Jon Tester, é um dos determinados defensores da caça e já disse que continuará seus esforços para retirar totalmente os lobos da Lei de Espécies Ameaçadas.

De acordo com dados divulgados no início deste mês pelo U.S Fish and Wildlife Service, existem hoje cerca de 1.700 lobos nas Montanhas Rochosas do Norte. Idaho e Montana são os lares de cerca de 1.200 desses belos animais. Oregon e Washington têm populações reduzidas, somando cerca de 40 animais. Utah não tem lobos residentes. As únicas populações auto-sustentáveis fora dessa região são Alasca, Wisconsin e Michigan. Ou seja, em um país com aproximadamente 3 mil lobos-cinzentos, quase a metade pode ser eliminada. Um grupo reduzido de animais pode ser vítima de baixa transferência genética e o resultado disso é que pode extinguir ao final de certo tempo.