Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Cientistas da Ucrânia pedem união acadêmica em prol da paz

Pedem ainda que a comunidade acadêmica mundial ajude a preservar a paz e a integridade do país 

Wikimedia Commons,
 

 
Por Dina Fine Maron

A agitação política que vem reverberando por toda a Ucrânia levou seus principais cientistas a emitir um apelo de paz.

Desde a escalada da crise, no início de março, depois que a Rússia se mobilizou para estabelecer controle sobre a península da Crimeia, no sul da Ucrânia onde predomina largamente o idioma russo, o conflito vem alimentando temores de se transformar em uma ação militar entre a Federação Russa e o Ocidente.

Enquanto os Estados Unidos e muitos países europeus pressionam Moscou a reduzir suas tropas na Crimeia, a Academia Nacional de Ciências da Ucrânia (ANCU) publicou uma carta pedindo paz e contenção russa, e apoio da comunidade acadêmica internacional.

A ANCU tem 95 anos e está em importantes centros científicos espalhados pelo país, inclusive na Crimeia. Ao longo de toda a sua história “acadêmicos de suas instituições nunca se dividiram de acordo com o princípio territorial, nem admitiram qualquer discriminação com base em motivos étnicos, linguísticos ou religiosos”, a organização salientou em seu apelo datado de 3 de março.

“Agora todos nós temos que nos unir e, ao unificarmos nossos esforços, impedir o contínuo agravamento da situação social e política, o derramamento de sangue e uma divisão do país. Todos os cientistas ucranianos, todos os nossos compatriotas, tanto faz se eles vivem no Norte, no Sul, no Leste ou no Oeste, devem permanecer unidos para alcançar o objetivo de toda a nação ucraniana — viver no país onde a paz domina, onde os direitos e as liberdades de cada pessoa são respeitados”, declarou a carta, pedindo ao povo russo que não permita o uso de armas.

“Nesse momento crucial da história do nosso país apelamos à comunidade acadêmica mundial para que faça todos os esforços necessários para preservar a paz e a integridade territorial da Ucrânia”, acrescentou o texto da carta.

O documento foi assinado por seis graduados membros da instituição, inclusive seu presidente de longa data, o cientista metalúrgico e de materiais Borys Paton, e um de seus vice-presidentes, o físico Anton Naumovets.

Leia o texto original da carta abaixo: 

Apelo da Academia Nacional de Cientistas da Ucrânia a todos os cidadãos da Ucrânia e da Federação Russa

Neste momento difícil e crucial na vida de nossa Pátria Mãe, causado tanto por uma crise política interna, como por uma ameaça estrangeira à sua segurança e integridade territorial, a Academia Nacional de Ciências da Ucrânia apela a seus acadêmicos e a todos os cidadãos da Ucrânia e da Rússia para que preservem a paz e a tranquilidade, para evitar conflitos e a agravação dos confrontos.

Cientistas da ANC [Academia Nacional de Ciências da Ucrânia] trabalham com dedicação em todas as regiões da Ucrânia, fazendo sua contribuição para o estabelecimento e o progresso do Estado ucraniano. Além de Kiev, nossa Academia tem importantes centros científicos em Dnipropetrovsk, Donetsk, Crimeia, Lviv, Odessa e Kharkiv, que integram a pesquisa e o potencial educacional de todo o país. Durante todos os 95 anos de história da Academia, acadêmicos de suas instituições nunca se dividiram de acordo com o princípio territorial, nem permitiram qualquer discriminação por motivos étnicos, linguísticos ou religiosos. 

E agora todos nós temos que nos unir e, ao unirmos esforços, evitar o contínuo agravamento da situação social e política, do derramamento de sangue e de uma divisão do país. Todos os cientistas ucranianos, todos os nossos compatriotas — independente de viverem no Norte, no Sul, no Leste ou no Oeste — devem permanecer unidos para realizar o objetivo de toda a nação ucraniana que é viver em um país onde domina a paz e onde os direitos e as liberdades de cada pessoa são respeitados.

A Academia Nacional de Ciências da Ucrânia tem relações frutíferas e de longa duração com acadêmicos da Academia de Ciências Russa e de outras instituições científicas da Rússia. Há mais de 20 anos nossas academias iniciaram, juntas, o estabelecimento da Associação Internacional de Academias de Ciências — a organização que combinou os esforços de cientistas de todos os países da Comunidade de Estados Independentes (CEI) da Federação Russa para manter e promover laços acadêmicos tradicionais para a benefício de nossas nações.

Apelamos aos nossos colegas e amigos na Academia de Ciências Russa, a todos os acadêmicos da Federação Russa para que façam todo o possível para uma resolução pacífica da situação. Apelamos ao povo russo, que sempre consideramos fraternal, que não permita o uso de armas. Raízes comuns, uma em história comum e o desejo comum de viver como bons vizinhos são nossa meta suprema. Valores que precisamos proteger.

Neste momento crucial da história de nosso país apelamos a toda a comunidade mundial de acadêmicos para que ela faça todos os esforços necessários para preservar a paz e a integridade territorial da Ucrânia.

Presidente

Academia Nacional de Ciência da Ucrânia

Acadêmico da ANC da Ucrânia e da RAS (Academia de Ciências Russa)                       B. Paton

 

Vice-Presidente

Academia Nacional de Ciência da Ucrânia

Acadêmico da ANC da Ucrânia                                                                  A. Naumovets

 

Vice-Presidente

Academia Nacional de Ciência da Ucrânia

Membro Estrangeiro da RAS                                                                                   V. Pokhodenko

 

Vice-Presidente

Academia Nacional de Ciência da Ucrânia

Acadêmico da ANC da Ucrânia e da RAS,

Membro estrangeiro da RAS                                                                                    V. Heyets

 

Vice-Presidente

Academia Nacional de Ciência da Ucrânia

Acadêmico da ANC da Ucrânia,

Membro Estrangeiro da RAS                                                                                   A. Zagorodny

 

Secretário Científico Chefe

Academia Nacional de Ciência da Ucrânia

Acadêmico da ANC da Ucrânia                                                                                   V. Machulin

 

Sobre a autora: Dina Fine Maron é editora associada para saúde e medicina da Scientific American. Siga-a no Twitter em @Dina_Maron.

As opiniões expressas são as da autora e não necessariamente as da Scientific American.