Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Descobertos no Marrocos mais antigos fósseis de Homo sapiens

Achado mostra que humanidade surgiu pelo menos 100 mil anos antes do que imaginavam cientistas

Philipp Gunz/MPI EVA Leipzig
Uma equipe internacional de pesquisa descobriu fósseis de ossos de Homo sapiens com 300 mil anos, um achado que representa a mais antiga evidência confiável de fósseis da nossa espécie datados.

Descrita em dois artigos na revista científica Nature, a descoberta faz remontar na história as origens da nossa espécie: os fósseis são aproximadamente 100 mil anos mais antigos do que os encontrados anteriormente.

A descoberta, que também incluiu ossos de animais e ferramentas de pedra, foi feita em Jebel Irhoud, no Marrocos - um sítio arqueológico onde ocorreram múltiplas descobertas de fósseis de hominídeos desde o começo dos anos 1990. O trabalho incluiu, ainda, uma análise do tamanho dos dentes e a morfologia tanto dos novos fósseis quanto dos descobertos anteriormente - uma tarefa conduzida por Shara Bailey, professora de Antropologia da Universidade de Nova Iorque.

A equipe, liderada por Jean-Jacques Hublin, professor do Instituto Max Planck de Antropologia Evolutiva em Leipzig, na Alemanha, e Abdelouahed Ben-Ncer, do Instituto Nacional de Arqueologia e Patrimônio em Rabat, no Marrocos, observa que os fósseis revelam uma história evolutiva complexa da humanidade, que provavelmente envolveu todo o continente africano.

“Costumávamos pensar que havia um berço da humanidade há 200 mil anos no leste da África, mas nossos novos dados revelam que o Homo sapiens se espalhou por todo o continente africano por volta de 300 mil anos atrás”, observa Hublin, paleoantropólogo. “Muito antes da dispersão do Homo sapiens para fora da África, havia dispersão dentro do próprio continente.”

Anteriormente, os fósseis de Homo sapiens mais antigos e seguramente datados foram descobertos em dois sítios arqueológicos na Etiópia, datando 195 mil e 160 mil anos. Consequentemente, muitos pesquisadores acreditavam que todos os seres humanos vivos hoje descendiam de uma população que viveu no leste da África há cerca de 200 mil anos.

“Muitos desses fósseis são conhecidos há bastante tempo, mas fósseis descobertos em escavações recentes foram uma adição significativa para a coleção, tornando possível realizar um estudo completo dos restos de crânios e dentes”, observa Bailey. “Todo os dados apontam para um conjunto de características derivadas de H. sapiens, sugerindo que alguns aspectos da forma humana moderna surgiram há 300 mil anos. Além do mais, isso indica que a origem do humano moderno provavelmente foi um evento pan-africano, em vez de concentrado no leste da África”.

Universidade de Nova Iorque
Para assinar a revista Scientific American Brasil e ter acesso a mais conteúdo, visite: http://bit.ly/1N7apWq