Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Energia solar nos Estados Unidos aumenta 400% em quatro anos

Mais da metade da capacidade adicional vem de empresas e residências

Shutterstock
Desde 2010, a capacidade de energia solar dos Estados Unidos aumentou 418%, saltando de 2.326 megawatts, o que representava 0,2% da geração elétrica total do país, para atuais 12.057 MW, ou 1,13% da geração americana, informou a Administração de Informação de Energia.

 
Por Daniel Cusick e ClimateWire

Impulsionado por um marcante aumento de energia fotovoltaica, o setor americano de energia solar evoluiu de “um contribuinte relativamente modesto na capacidade elétrica total do país para um de significado comparativo”, informou a Administração de Informação de Energia (EIA, na sigla em inglês) em seu site Electricity Monthly Update. A notícia foi divulgada em 22 de abril de 2014.

De acordo com a EIA, desde2010, acapacidade de energia solar americana aumentou 418%, de 2.326 megawatts, o que representava 0,2% da geração total de energia elétrica nos Estados Unidos, para atuais 12.057 MW (megawatts), ou 1,13% da geração de energia no país.

Mais da metade dessa capacidade adicional, 5.251 MW, foi instalada por donos de empresas e residências que participam de programas de medição líquida dos serviços que permitem aos proprietários de sistemas solares venderem o excesso de sua capacidade de volta à sua fornecedora de energia a preço de varejo, de acordo com a EIA.

A Califórnia tem a maior medida líquida de capacidade de energia solar, com 38% do total dos Estados Unidos, mas em estados do leste do país, como Massachusetts e Nova Jersey, também foram medidas quantidades significativas de energia solar líquida, informou a agência.

Aplicações de instalações de grande escala, como usinas fotovoltaicas (utility-scale PV, em inglês), definidas como sistemas com uma capacidade de 1 MW ou mais, também se expandiram significativamente e atualmente respondem por 5.564 MW, segundo a EIA. Esses sistemas geralmente são projetados para gerar energia para os chamados mercados atacadistas, em que a eletricidade é gerada por uma companhia de energia que não fornece o produto ao consumidor final e envolve diversos participantes concorrentes.

De acordo com a EIA, a Califórnia é responsável por cerca de 50% de todas as instalações solares PV de grande escala do país, com capacidade de gerar mais de 2.700 MW; seguida pelo Arizona com 960 MW (17%) e a Carolina do Norte com 340 MW (6%).

Embora representem apenas algumas poucas do total de instalações solares americanas, o desenvolvimento de sistemas termossolares em grande escala, usinas que concentram a energia do sol para acionar uma turbina tradicional usando temperaturas muito elevadas também apresentaram um crescimento significativo nos últimos anos.

Só desde 2013, quase 700 MW de capacidade termossolar nova foi disponibilizada com a conclusão de três grandes usinas no sudoeste. Essas instalações incluem a Solana Generating Station perto de Gila Bend, no Arizona, com 280 MW; a chamada Fase 1 do Centro Genesis de Energia Solar perto Blythe, na Califórnia, com 125 MW; e a Estação Ivanpah Solar Electric no deserto de Mojave, também na Califórnia, com outros 377 MW.

De acordo com a EIA, cada um desses três setores solares goza de “fortes perspectivas de crescimento em curto prazo”. Além disso, a agência informou que a partir de abril de 2014 há a proposta de acrescentar outros 6.459 MW que viriam de instalações fotovoltaicas de grande escala que se encontram em fase de desenvolvimento ou planejamento; e mais 1.841 MW de usinas termossolares já propostas.

Este artigo foi reproduzido de Climatewire com permissão da Environment & Energy Publishing, LLC. www.eenews.net, 202-628-6500

 

Sciam 24 de abril de 2014

sciambr25abr2014