Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Explosão de foguete ocorreu logo após a decolagem

O foguete Antares, da empresa Orbital Sciences, transportaria suprimentos até a Estação Espacial Internacional. 

NASA TV
Um foguete Antares, da Orbital Sciences, explodiu logo após ser lançado para uma missão cargueira particular até a Estação Espacial Internacional, em 28 de outubro de 2014, na Instalação Wallops de Voo, na Virginia.
Por Mike Wall e SPACE.com

O lançamento de um foguete particular da empresa Orbital Sciences, que deveria levar suprimentos para a Estação Espacial Internacional, terminou em uma flamejante explosão apenas seis segundos após seu lançamento na noite de 28 de outubro.

O foguete não-tripulado Antares se transformou em uma brilhante bola de fogo logo após ser lançado da Instalação Wallops de Voo, na Virginia, às 18h22 do horário local, caindo de volta sobre a plataforma de lançamento em um aglomerado de chamas. O Antares carregava o veículo não-tripulado Cygnus, que transportava 2.268 quilogramas de alimentos, experimentos científicos e outros suprimentos – a terceira missão cargueira da empresa, sob um contrato de US$1,9 bilhão com a Nasa.

Um porta-voz da Nasa descreveu a explosão como sendo “uma anomalia catastrófica” durante um webcast da NASA TV. De acordo com representantes da Orbital Sciences, ainda que avaliações e investigações do acidente tenham apenas começado, oficiais de operações emergenciais da Nasa relatam que não houve feridos. Os danos a propriedades ficaram limitados ao sul da Ilha Wallops, acrescentaram.

“Ainda é muito cedo para conhecer os detalhes do que aconteceu”, declarou o vice-presidente executivo da Orbital, Frank Culbertson, ex-astronauta da Nasa. “Conduziremos uma investigação detalhada imediatamente para determinar a causa dessa falha e o que pode ser feito para evitar que esse acidente se repita. Assim que compreendermos a causa, iniciaremos o trabalho necessário para voltar a voar e apoiar nossos clientes e o programa espacial da nação”.  

Representantes da Orbital Sciences não detectaram problemas até o momento do lançamento. No momento da ignição, porém, tornou-se claro que algo estava errado, conta Robert Pearlman, editor do website de jornalismo histórico espacial, collectSPACE.com (parceiro da Space.com). Pearlman assistiu à falha de lançamento a apenas alguns quilômetros de distância, na área reservada à imprensa.

“Quando o veículo começou a sair da plataforma, havia algo – uma fumaça e uma pluma de chamas – saindo do foguete”, contou Pearlman à Space.com. “Quando ele deixou a torre de água, surgiu uma clara fissura, e a integridade do lançador falhou. Então veio uma imensa bola de fogo, seguida por uma explosão muito alta. Partes saíram voando por todos os lados, e então o veículo caiu de volta sobre a plataforma, explodindo em uma bola de fogo ainda maior, incendiando toda a área”.

O lançamento noturno da terça-feira (28/10) foi a segunda tentativa de lançar o Antares em dois dias. Uma tentativa na noite de segunda-feira foi cancelada quando um barco invadiu a zona de segurança da plataforma.

A Nasa contratou a Orbital Sciences para conduzir oito missões cargueiras até a Estação Espacial Internacional usando os foguetes Antares e veículos Cygnus, não-tripulados. A empresa, com sede na Virginia, enviou sua primeira missão cargueira oficial para a Estação Espacial em janeiro deste ano, com uma segunda missão em julho. As duas missões, bem como dois voos de teste em 2013, foram um sucesso.

A SpaceX, com sede na Califórnia, tem um contrato de reabastecimento com a Nasa no valor de US$1,6 bilhão para realizar 12 voos robóticos até o laboratório orbital usando sua cápsula Dragon e seu foguete Falcon 9. Até o momento, a SpaceX já conduziu três dessas missões sem incidente.

A Nasa está contratando o setor privado para enviar tanto suprimentos quanto astronautas para a Estação Espacial Internacional.

No mês passado, a agência espacial concedeu acordos multibilionários à SpaceX e à Boeing para desenvolver táxis espaciais, com a esperança de que essas naves particulares fiquem prontas e operantes até 2017. (A Nasa depende de foguetes russos Soyuz para enviar e buscar seus astronautas desde que a frota do ônibus espacial se aposentou, em 2011).

Em 29 de outubro um veículo robótico russo conhecido como Progress chegou à Estação Espacial Internacional após ser lançado do Cosmódromo Baikonur, no Cazaquistão.

O foguete Antares, da Orbital Sciences, tem 40 metros de altura e duas fases. De acordo com representantes da empresa, a tentativa de lançamento fracassada foi a primeira a utilizar uma versão atualizada, e mais poderosa, do motor de segunda fase Castor 30XL, mas até agora não se sabe se esse motor estava envolvido na anomalia de lançamento.

28 de outubro de 2014