Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

Helicóptero de brinquedo guiado apenas pelo pensamento

Comprovação da capacidade de controle é mais uma conquista na interface cérebro-máquina

Cortesia da Universidade Oregon Health & Science
Equipe de engenheiros biomédicos da University of Minnesota demonstrou a capacidade de uma pessoa fazer um helicóptero de controle remoto passar por aros simplesmente ao pensar em gestos diferentes.
Por Larry Greenemeier

Há décadas cientistas desenvolvem conexões cérebro-máquina que, esperam eles, permitirão que pessoas manipulem objetos sem as mãos. O neurocientista da Duke University, Miguel Nicolelis, relatou há alguns anos que um macaco equipado com eletrodos implantados podia usar sua capacidade cerebral para controlar o padrão do caminhar de um robô. Esforços mais comerciais, e menos invasivos, incluem headsets de eletroencefalografia (EEG) que permitem que jogadores controlem videogames por meio de sinais neurais.

Agora uma equipe de engenheiros biomédicos da University of Minnesota demonstrou a capacidade de uma pessoa fazer um helicóptero de controle remoto passar por aros simplesmente ao pensar em gestos diferentes.

A pessoa pilotando o helicóptero de quatro hélices – também conhecido como quadcóptero – usa um capacete de EEG com 64 eletrodos, capaz de detectar correntes elétricas produzidas por neurônios no córtex motor do cérebro. Os eletrodos enviam sinais para um computador, que traduz o padrão do sinal em um comando que então é enviado para o helicóptero por Wi-Fi.

Os pesquisadores pediram para que as pessoas imaginassem, por exemplo, fechar a mão direita em um punho para fazer a aeronave virar para a direita. Se os indivíduos imaginassem punhos com as duas mãos, a aeronave subia. Os resultados da pesquisa foram publicados na terça-feira [4 de junho de 2013] no Jounal of Neural Engineering, da IOP Publishing.

O objetivo final de todos esses esforços de interface cérebro-máquina é desenvolver protéses robóticas que podem ajudar a restaurar a anatomia de pacientes paralisados ou aqueles sofrendo de transtornos neurodegenerativos, explica Bin He, professor de engenharia biomédica da University of Minnesota. E adiciona: “Nós imaginamos que essa tecnologia será usada para ajudar a controlar cadeiras de rodas, membros artificiais e outros dispositivos”.

Link para o vídeo com a explicação em inglês:

http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=6LWz4qa2XQA

 

Link para o artigo original: http://iopscience.iop.org/1741-2552/10/4/046003/article