Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Hibernação salvou mamíferos de extinção no Cretáceo

Capacidade de hibernar pode ter evitado exposição de mamíferos primitivos a cataclismo que aniquilou dinossauros

reptiles4all
Por Karen Hopkin

Seria de se esperar que o asteroide que atingiu a Terra há 66 milhões de anos, com força suficiente para acabar com os dinossauros, não deixasse nada nem ninguém dormir.

Mas um novo estudo sugere que a capacidade de se submeter a uma extensa hibernação pode ter sido o que salvou mamíferos ancestrais da extinção no final do período Cretáceo, há entre 145 e 65 milhões de anos.

A hipótese foi divulgada em Proceedings of the Royal Society (B). [“Mammal survival at the Cretaceous–Palaeogene boundary: metabolic homeostasis in prolonged tropical hibernation in tenrecs” [“Sobrevivência de mamíferos no limite do Cretáceo-Palaeogene: homeostase metabólica em hibernação tropical prolongada em tenrecos”, em tradução literal], por Barry G. Lovegrove, Kerileigh D. Lobban e Danielle L. Levesque.]

Acredita-se que incêndios colossais tomaram todo o planeta durante um ano ou mais após o impacto de Chicxulub, uma antiga cratera de impacto soterrada sob a península do Yucatán, no México.

Isso é muito tempo para qualquer animal se manter longe do perigo.

O mais provável é que mamíferos pequenos tenham se entocado no subsolo.

A pergunta é: eles poderiam aguentar tanto tempo sem vir à tona para respirar? A resposta é sim — desde que estivessem hibernando.

Sabemos que ursos conseguem passar o inverno dormindo letargicamente; mas os tenrecos de Madagascar, pequenos mamíferos insetívoros do tamanho de coelhos, também têm essa capacidade. [Durante a hibernação, animais em geral mergulham num estado de sonolência e inatividade, em que as funções vitais de seus organismos são reduzidas ao absolutamente mínimo necessário para sobreviver.]

Pesquisadores marcaram duas dezenas tenrecos com dispositivos para registrar suas temperaturas corporais e, em seguida, os libertaram novamente na natureza.

A maioria foi abatida por cães, cobras ou caçadores ilegais.

Mas alguns escavaram um túnel na areia e foram dormir — até os pesquisadores os desenterrarem nove meses depois.

Os resultados revelam que, ocasionalmente, a melhor maneira de sobreviver a uma crise é simplesmente tirar uma longa soneca.

 

[O texto acima é uma transcrição do podcast 60 Second Science da Scientific Ametrican.]

 

Sciam 30 de outubro de 2014