Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Jonas Salk foi pioneiro contra poliomielite

O uso clínico rotineiro de sua vacina preveniu a paralisia e morte provocadas pela temida doença

Yousuf Karsh/Wikimedia Commons
Medalha de ouro Jonas Salk do Congresso americano (frente) concedida a Salk em 1955.
Por Daniel C. Schlenoff

Em 28 de outubro foi comemorado o centenário do nascimento do médico, virologista e epidemiologista americano.

A primeira vacina contra a poliomielite, desenvolvida por Jonas Salk em 1954, enquanto estava na University of Pittsburgh School of Medicine, registrou uma taxa de sucesso de apenas 60% a 90%.

Ainda assim, a incidência anual de pólio nos Estados Unidos caiu rápida e dramaticamente de dezenas de milhares de casos para poucas dezenas em apenas alguns anos.

A vacina Salk inicial, uma versão que utilizava o “vírus morto”, foi substituída poucos anos depois por uma formulação com o vírus vivo, desenvolvida por Albert Sabin [1906-1993] da University of Cincinnati.

Desde o ano 2000, uma versão atualizada da vacina Salk, mais segura que a versão de Sabin, tem sido a única ministrada nos Estados Unidos para prevenir a poliomielite — e tem uma eficácia de 99% após três doses.

Salk nunca patenteou sua descoberta, nem lucrou financeiramente com ela.

Mais tarde na vida, o médico fundou o Instituto Salk para Estudos Biológicos,em La Jolla, na Califórnia; e, em meados da década de 80 ele começou a trabalhar em uma vacina contra a AIDS.

Jonas Salk nasceu em 28 de outubro de 1914, em Nova Iorque, e faleceu em 23 de junho de 1995, em La Jolla, aos 80 anos de idade.

Para saber mais, leia (em inglês):

Polio: Pushed to the BrinkScientific American Classics, edição digital

Vaccines For Poliomyelitis,” por Jonas Salk. Scientific American, abril de 1955

 

Scientific American 28 de outubro de 2014