Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

Gentileza de macacos

Os primatas registram recompensas sociais e presentes em áreas específicas do cérebro

Becky Summers e revista Nature
Flickr/jinterwas
Macacos podem ser gentis com seus vizinhos e têm uma região cerebral específica que parece registrar suas boas ações. 
 Macacos podem não ser conhecidos por sua generosidade, mas quando de fato parecem agir de maneira altruísta, uma área específica de seus cérebros registra suas gentilezas.

A descoberta dessa tabela de cálculo neural pode ajudar cientistas a compreender os mecanismos neurais subjacentes ao comportamento social normal em primatas e humanos, e pode até mesmo fornecer informações sobre transtornos nos quais o processamento social fica comprometido como, por exemplo, o autismo.

Steve Chang e seus colegas da Duke University em Durham, na Carolina do Norte, usaram eletrodos para registrar diretamente a atividade neural em três áreas do córtex pré-frontal do cérebro envolvidas em decisão social, enquanto macacos executavam tarefas com recompensas.

Quando recebiam a opção de tomar o suco de um tubo ou dá-lo a um vizinho, a maioria dos macacos do teste ficava com a bebida. Mas quando a escolha era entre dar o suco a um vizinho, ou nenhum macaco recebê-lo, os macacos frequentemente optavam por dar a bebida ao outro. 

Os pesquisadores descobriram que em duas das três áreas cerebrais monitoradas, neurônios disparavam apenas na presença ou ausência da recompensa do suco.

Em contraste, a terceira área – conhecida como giro cingulado anterior – respondia somente quando o macaco dava o suco a seu vizinho e o via receber.

Os autores sugerem que os neurônios no GCA respondem ao ato e o registram, simultaneamente. Os resultados do estudo foram publicados em 23 de dezembro, na Nature Neuroscience.

“Essa é a primeira vez que obtivemos uma imagem tão completa da atividade neural subjacente a um aspecto fundamental da cognição social. Essa definitivamente é uma grande conquista”, declara Matthew Rushworth, neurocientista da University of Oxford, no Reino Unido.

O giro cingulado anterior é conhecido por ser uma região especializada em tomadas de decisões sociais em primatas, e se localiza na mesma área do cérebro associada à geração de sentimentos de empatia em humanos.

Sendo legal

“Se compararmos a grande complexidade das interações sociais humanas e a enorme variação no que achamos recompensador com os outros primatas, teremos que perguntar se o giro cingulado anterior opera de maneira semelhante no cérebro humano”, contaram à Nature, por email, Matthew Apps e Narender Ramnani, que trabalham com neuroimageamento e cognição humana no Royal Holloway, da University of London, no Reino Unido.

Por meio do desenvolvimento de uma parte específica do cérebro que experimenta a recompensa de outros, decisões sociais e processos empáticos podem ter sido favorecidos durante a evolução de primatas para permitir comportamentos altruístas.

“Isso pode ter evoluído originalmente para promover a bondade com a família, já que compartilham genes, e depois com amigos, para benefícios recíprocos”, sugere Michael Platt, neurocientista da Duke University que é coautor do artigo.

Os autores sugerem que o intricado equilíbrio entre a sinalização de neurônios nessas três regiões cerebrais pode ser crucial para o comportamento social normal em humanos, e que perturbações podem contribuir para várias doenças psiquiátricas, incluindo transtornos do espectro autista.

Este artigo foi reproduzido com permissão da revista Nature. O artigo foi publicado pela primeira vez em 23 de dezembro de 2012. 
Nas bancas!                     Edições anteriores                                            Edições especiais                              
Conheça outras publicações da Duetto Editorial
© 2012 Site Scientific American Brasil • Duetto Editorial • Todos os direitos o reservados.
Site desenvolvido por Departamento Multimídia • Duetto Editorial.