Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Maior telescópio espacial do mundo a caminho da plataforma de lançamento

Com os testes no Centro de Voo Espacial Goddard completos, o Telescópio Espacial James Webb da NASA embarca para mais testes no Texas antes de seu lançamento em 2018

NASA/Chris Gunn
O Telescópio Espacial James Webb está na estrada novamente. Depois de passar em seu teste final no Centro de Voo Espacial Goddard da NASA em Greenbelt, Maryland, o megatelescópio está pronto para a próxima parada em sua viagem ao espaço: mais testes no Centro Espacial Johnson, em Houston.

Os espelhos para o gigantesco observatório espacial chegaram a Goddard em 2014 e a construção do telescópio foi finalmente concluída em novembro de 2016, após mais de 20 anos. Desde então, o instrumento tem passado por uma bateria de testes para garantir que ele possa suportar os rigores do lançamento e do espaço profundo. O lançamento do Webb está previsto para em 2018, quando se tornará o maior telescópio do mundo a voar ao espaço.

O teste final no Centro Goddard verificou a curvatura dos espelhos do telescópio, para ver se haviam se deformado ao longo de um ano de testes intensivos. Para verificar isso, os engenheiros mediram com precisão os padrões de interferência de lasers refletidos fora dos espelhos e, em seguida, compararam essas medições àquelas feitas antes dos testes ambientais se iniciarem no ano passado, segundo oficiais da NASA em um comunicado. Os espelhos do telescópio saíram intactos das muitas tensões do voo espacial simulado.

"O telescópio Webb está prestes a embarcar em seu próximo passo para alcançar as estrelas, já que concluiu com êxito sua integração e seus testes no Centro Goddard", disse Bill Ochs, gerente de projeto do telescópio Webb da NASA. "Foi necessária uma tremenda equipe de pessoas talentosos de toda NASA, nossa indústria, parceiros internacionais e da academia para chegar a este ponto."

"Também é um momento triste, pois dizemos adeus ao telescópio Webb no Centro Goddard, mas estamos animados em começar os testes criogênicos em Johnson", acrescentou.

Uma vez que chegue ao Centro Johnson, o telescópio passará por seu teste final: toda ótica do escopo será testada em um vácuo na Câmara A maciça do centro espacial e resfriada a 11 graus acima do zero absoluto (menos 440 graus Fahrenheit ou menos 262 graus Celsius). Depois disso, o telescópio seguirá para os Sistemas Aeroespaciais Northrop Grumman em Redondo Beach, Califórnia, para teste final e montagem. Em seguida, irá para a Guiana Francesa para lançamento.

O Webb sondará o cosmos a partir de um lugar no espaço chamado ponto de Lagrange 2, localizado diretamente atrás da Terra da perspectiva do Sol, onde o telescópio pode usar um escudo para se proteger das emissões térmicas do Sol e da Terra. A partir daí, o Webb irá reunir visões infravermelhas das primeiras galáxias do universo e de planetas em torno de estrelas distantes. O uso da luz infravermelha permitirá que o Webb espie através de poeira interestelar para ter uma visão melhor.

A NASA colocou o Webb como sucessor do telescópio espacial Hubble. O novo instrumento tem sete vezes a área coletora do famoso Hubble e é resfriado o suficiente para coletar a luz infravermelha que ele não consegue. Isso permitirá que o Webb veja ainda mais longe no espaço.

 

Sarah Lewin, SPACE.com

Copyright 2017 SPACE.com, uma companhia Purch. Todos os direitos reservados. Esse material não pode ser publicado, distribuído, re-escrito ou redistribuído
Para assinar a revista Scientific American Brasil e ter acesso a mais conteúdo, visite: http://bit.ly/1N7apWq