Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Cidadãos podem garantir honestidade de governos

Defensores da transparência contam com ferramentas poderosas para checar informações oficiais sobre o ambiente

Shutterstock
Por David Biello

Sabe em quem você não pode confiar para relatar a administração ambiental do governo? No governo. Smartphones, imagens acessíveis de satélite e empreendimentos com financiamento coletivo possibilitaram um tipo de monitoramento com que defensores da transparência e ambientalistas sequer sonhavam

Durante anos a Espanha alterou seus números de peixes capturados para proteger as pescarias. Em 2007, a Nova Zelândia eliminou um capítulo negativo de seu relatório ambiental. Quando pressionadas, as autoridades decidiram simplesmente parar de publicar o relatório. Naquele mesmo ano, nos Estados Unidos, a Agência de Proteção Ambiental da administração Bush concluiu que a mudança climática provocada por emissões de gases estufa era uma ameaça séria. Então a Casa Branca se recusou a tornar o relatório público.

Felizmente, os cidadãos agora têm ferramentas para enfrentar essa duplicidade oficial. Smartphones, imagens acessíveis de satélite e empreendimentos com financiamento coletivo possibilitaram um tipo de monitoramento com que defensores da transparência, ambientalistas e outras partes interessadas sequer sonhavam. Esse é o argumento de pesquisadores da Yale University publicado na revista Nature. [Angel Hsu et al, Development: Mobilize citizens to track sustainability]

Essa é a mesma equipe que usou satélites para derivar estimativas apontando que a poluição em Nova Delhi era tão ruim, ou pior, que a de Pequim.

Vários tipos de aplicativos para smartphones poderiam permitir que cidadãos fizessem tudo: de monitorar a qualidade do ar e da água, até rastrear populações oceânicas de plâncton a partir do espaço. Uma coletânea tão descentralizada de dados poderia até forçar governos a se manterem sustentáveis.