Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Mudança climática extingue espécie de mamífero

Segundo estudo, aumento do nível do mar foi responsável por aniquilar os melomys, gênero de roedor, de Bramble Cay, na Austrália

 

Foto não creditada, Estado de Queensland, Agência de Proteção Ambiental

Os pequenos melomys (Melomys rubicola) naturais da ilha australiana de  Bramble Cay foram declarados extintos pelo governo australiano depois que um estudo exaustivo falhou em encontrar qualquer evidência de sua existência.

Os mamíferos viviam em um único habitat, uma pequena ilha de recifes na ponta norte da Grande barreira de Corais. A ilhota arenosa -- que tem dimensões de 340 metros por 150 -- foi repetidamente atingida por surtos de tempestades causados por eventos climáticos extremos na última década, aniquilando cerca de 97% de sua vegetação. Marés altas agora cobrem a maior parte da ilha. Com pouco para comer e apenas alguns lugares para se refugiar do oceano, os melomys parecem agora ter desaparecido.

De acordo com o relatório, a última pessoa a ver um melomy de Bramble Cay vivo foi um pescador profissional, que viu um dos roedores no final de 2009.

Essa extinção não é tão surpreendente. Os mamíferos no passado foram descritos como relativamente comuns. Desde o final do século XX, esse não era mais o caso. Uma pesquisa realizada em 1998 estimou a população de melomys em 93 indivíduos, sendo que duas décadas antes, ela era de “centenas”. Pesquisas em 2002 e 2004 registraram apenas 10 e 12 roedores, respectivamente, de acordo com um plano de recuperação da espécie de 2008. Esse plano chamava atenção para o aumento do nível do mar, enchentes e erosão costeira como ameaças potenciais.

Essas ameaças, todas causadas pelo aquecimento global, parecem mesmo ter causado a extinção dos melomys de Bramble Cay. Um relatório de pesquisadores vinculados ao Departamento do Meio Ambiente e Proteção da Herança de Queensland e da Universidade de Queensland identificou “a mudança climática induzida por humanos [como] causa principal pela dos melomys de Bramble Cay.”

Apesar das más notícias, os pesquisadores dizem que ainda há esperança para os melomys. Existe uma possibilidade remota que eles, ou espécies relacionadas, ainda existam em outras ilhas, que ainda não tenham sido pesquisadas, ou mesmo perto de Papua Nova Guiné, onde a biodiversidade dos mamíferos é pouco estudada.

Enquanto isso, a deterioração da própria ilha de Bramble Cay continua, uma situação que ameaça várias espécies de aves marinhas, além de tartarugas verdes que fazem seus ninhos no local. Os pesquisadores recomendam investigar “o custo das ações efetivas para prevenir futuras perdas” para essas espécies importantes.

 

John R. Platt

 

Leia também: 

- Aquecimento global ameaça recifes de corais


- A bomba-relógio do aquecimento global 

- Diversas soluções para mudança climática já funcionam