Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

O que é o veneno endereçado a políticos americanos?

A ricina encontrada em carta para o senador Roger Wicker não tem antídoto conhecido

Drew Angerer/Getty Images
Um envelope endereçado ao senador Roger Wicker testou positivo para ricina em 16 de abril em uma instalação em Hyattsville, Maryland. 

 

 

 
Por Erika Check Hayden e revista Nature

Oficiais do governo em Washington, capital, suspenderam a entrega de correio para o Senado dos Estados Unidos após detectarem ricina em uma carta endereçada ao senador republicano Roger Wicker, do Mississippi, em 16 de abril. Veja alguns fatos sobre a toxicina.

 O que é ricina?

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC), ricina é um veneno encontrado naturalmente na mamona, e pode ser derivada do subproduto, chamado de “torta” [NT: No original “mash”. Por aqui nós chamamos esse “resto” de mamona de “torta”.], deixado quando mamonas são processadas para produzir óleo. 

A ricina é mortal?

De acordo com o CDC, a ricina é “muito tóxica”. Dados de testes com macacos sugerem que inalar apenas três miligramas de ricina pode matar um adulto.

Como ela funciona?

A ricina desativa os ribossomos, componentes responsáveis pela produção de proteína nas células humanas. Células param de produzir proteínas essenciais para a vida e morrem.

Quais são os sintomas de envenenamento por ricina?

Isso depende de como a ricina entra no corpo. A inalação do veneno pode provocar dificuldades respiratórias, febre, tosse e náusea. Se ingerida, a ricina pode provocar vômito, diarreia, desidratação e convulsões. Sintomas podem aparecer de quatro a 24 horas após a exposição. A morte pode ocorrer entre três e seis dias após a exposição.

Como ocorre a exposição?

É possível sofrer envenenamento por ricina através da ingestão de grandes quantidades de mamona ou do próprio veneno, mas a ricina é um agente de bioterrorismo mais potente e mortal quando inalada na forma de partículas aerosol. É pouco provável que simplesmente tocar a ricina leve uma pessoa à morte a menos que o veneno seja ingerido em seguida.

A ricina já foi usada como agente de guerra e bioterrorismo?

A ricina tem uma longa história como agente da guerra biológica.

O Departamento de Guerra dos Estados Unidos considerou usá-la pela primeira vez em 1918, e trabalhou com cientistas britânicos para desenvolver uma bomba de ricina que parece nunca ter sido usada em combate.

As forças armadas dos Estados Unidos fizeram experimentos com pó inalável de ricina nos anos 1940 e os militares iraquianos colocaram-na em projéteis de artilharia na década de 1980.

A ricina provavelmente foi usada para matar o jornalista búlgaro Georgi Markov, na Grã Bretanha, em 1978. A ricina também foi detectada em 2003 e 2004 em uma instalação dos correios na Carolina do Norte, em uma sala de correspondência que atendia o gabinete de Bill Frist, então líder da maioria no Senado, e em uma carta enviada à Casa Branca, apesar de não ter provocado nenhum dano ou morte nesses casos.

Em meados de 1990, membros de uma milícia, o Minnesota Patriots Council, foram condenados por planejar o assassinato de autoridades policiais usando ricina. Ela também foi encontrada com grupos terroristas, como o al Qaeda.   

Como a ricina é detectada?

Sensores em locais espalhados pelo país, como prédios dos correios, fazem verificações rotineiras da presença de ricina e outros patógenos. Se o resultado do teste da amostra for positivo, ela é transferida para um laboratório que conduzirá testes usando anticorpos para proteínas de ricina ou DNA da mamona. No caso atual, a ricina foi inicialmente detectada em uma instalação dos correios de Washington capital, e sua presença foi confirmada em um laboratório em Maryland.

O envenenamento por ricina pode ser tratado?

Não existe antídoto para a ricina.

Uma empresa de Princeton, Nova Jersey, chamada Soligenix, está desenvolvendo uma vacina contra a ricina, mas ela só passou pelos testes clínicos iniciais e não foi aprovada pela Food and Drug Administration.

Teoricamente, a vacina poderia ser administrada a vítimas de envenenamento com uma “autorização de uso emergencial” que permite o uso de tratamentos e vacinas sem aprovação se não existir alternativa.

A vacina funciona ao estimular o corpo a produzir anticorpos contra a ricina. Como os sintomas de envenenamento por ricina são irreversíveis quatro horas após a exposição, é improvável que a vacina funcione rápido o suficiente para salvar vidas após a descoberta do veneno.

O Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos está financiando pesquisas com medicamentos para tratar o envenenamento por ricina.

Este artigo foi reproduzido com permissão da revista Nature. O artigo foi publicado pela primeira vez em 17 de abril de 2013.