Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

Obama anuncia missão tripulada à órbita de Marte em 2030

Em discurso na Flórida, o presidente defende sua proposta de orçamento para a Nasa e delineia política para missões tripuladas

John Matson
Nasa/Bill Ingalls
Obama no Centro Espacial Kennedy: novos detalhes de seu plano para a exploração espacial
Em recente discurso, o presidente Barak Obama expôs o cronograma e os destinos para a exploração espacial tripulada, que incluem uma viagem à órbita de Marte na década de 2030. No Centro Espacial Kennedy, na Flórida, Obama prometeu empenho pela agência espacial e pela exploração do sistema solar, num momento em que sua controversa proposta de orçamento para a Nasa aguarda aprovação do Congresso.

“Como presidente, acredito que a exploração espacial não é um luxo", disse Obama. "Estou 100% comprometido com a missão da Nasa e seu futuro", acrescentou.

Em solicitação de orçamento lançada em fevereiro para o ano fiscal de 2011, que começa em outubro, Obama pediu um adicional de US$ 6 bilhões para a Nasa em cinco anos e apresentou planos para cancelar o programa Constellation (classe de foguetes em construção para substituir o ônibus espacial). Ele propôs que empresas privadas lancem astronautas no espaço a partir de 2011, após o shuttle se aposentar. O plano recebeu críticas de vários membros do Congresso, particularmente daqueles que representam distritos onde a Nasa é grande força econômica, e deixou muitos especialistas preocupados com a paralisação da exploração estabelecida pelo programa Constellation, que previa o retorno de humanos à Lua em 2020.

Obama procurou neutralizar essas críticas, alegando que seu plano criaria 2,5 mil postos de trabalho extras para a Costa Espacial da Flórida, se comparado ao Constellation. Acrescentou que a administração desenvolve plano de US$ 40 milhões para estimular a economia e criar empregos na região, onde se esperam demissões com o fim do programa de ônibus espaciais. Obama também suavizou sua proposta de eliminar totalmente o Constellation, dizendo ter orientado o administrador da Nasa, Charles Bolden, para começar a trabalhar no projeto de uma nave de escape para a Estação Espacial Internacional, baseada na cápsula Orion, do programa Constellation.

Bolden semanas antes havia manifestado seu desejo de enviar homens a Marte, desejo que Obama oficializou no anúncio de seu cronograma para vôos espaciais tripulados, numa série que chamou de "metas específicas e realizáveis". Obama disse que seria projetado um foguete mais poderoso para permitir a volta de astronautas ao espaço profundo. "Vamos finalizar o projeto do foguete o mais tardar em 2015 e então começar a construí-lo", disse ele. No dia 8 de abril, Bolden havia anunciado que o Marshall Space Flight Center da Nasa em Huntsville, Alabama, receberia US$ 3,1 bilhões em cinco anos, dentro do orçamento de Obama para desenvolver novos foguetes poderosos.

Obama anunciou que em 2025 os Estados Unidos irão desenvolver uma nova nave espacial que poderá levar astronautas para além da Lua. "Vamos começar enviando astronautas para um asteroide pela primeira vez na história", disse o presidente. Até 2030, continuou ele, será possível enviar seres humanos em uma viagem para Marte, em missão semelhante à da Apollo 8, de 1968, que preparou o “palco” para a Apollo 11 no ano seguinte. "Uma descida em Marte será a próxima etapa, e espero estar por perto para vê-la", finalizou Obama.