Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Peso condiciona habilidades de animais

Coiote precisa abater presas de vários tamanhos e evitar ser caçado

Pesando no máximo 20 quilos, um coiote tem de ser capaz de abater presas de vários tamanhos e evitar ser caçado — uma combinação que condiciona  inteligência.
Por Steve Mirsky

Nas últimas duas décadas, coiotes (Canis latrans) tornaram-se comuns em quase todas as áreas metropolitanas dos Estados Unidos e do Canadá.

Stanley Gehrt é um ecologista de vida selvagem na Ohio State University que estuda coiotes urbanos em Chicago, no estado de Illinois. No dia 20 de outubro, ele falou na reunião ScienceWriters2014, em Columbus, Ohio, e explicou por que esses canídeos se adaptam tão bem a diversos ambientes.

A seguir, uma transcrição adaptada de suas palavras:

Para mamíferos carnívoros, o segredo é a marca de20 kga21 kg, porque mamíferos predadores com peso abaixo disso podem subsistir à base de presas menores que eles mesmos.

Frequentemente esses animais são solitários ou só formam grupos pequenos. Além disso, eles podem se alimentar de carniça satisfazendo assim as suas necessidades energéticas.

Se, no entanto, seu peso corporal exceder esse limite de20 kg, eles precisam se alimentar de presas do seu próprio porte, ou maiores, para conseguirem manter suas exigências energéticas.

Por essa razão, eles muitas vezes caçam animais maiores que eles, o que frequentemente implica sociabilidade. É por isso que lobos dependem muito de cervos, alces e cervídeos (veados-vermelhos) e caçam em conjunto.

Alguns coiotes americanos atingem perfeitamente essa marca de20 kg, o que é ideal, porque eles podem sobreviver muito bem à base de presas menores que eles, o que normalmente fazem. Mas, se forem obrigados, se as condições exigirem, eles podem caçar e consumir presas maiores que eles.

Portanto, seu tamanho permite que se adaptem e façam o que for preciso.

Ao contrário de outros canídeos, por exemplo, dificilmente alguém verá raposas abatendo presas do seu porte ou maiores que elas. Do mesmo jeito, lobos raramente sobrevivem com uma dieta exclusiva de presas realmente pequenas, como roedores, durante longos períodos de tempo. Eles podem fazer isso temporariamente, mas não por muito tempo.

No caso dos coiotes, portanto, esses fatores criam as condições ideais para um predador perfeito.

O porte intermediário dos coiotes também significa que de vez em quando eles estão sujeitos à predação por animais maiores que eles, como lobos, onças-pardas (ou pumas, Puma concolor), e um ou outro urso.

Portanto, os coiotes não só precisam ser excelentes na caça de suas presas, como também na esperteza para evitarem ser vitimados por outros predadores.

É essa somatória de condições que cria um animal superinteligente.

 

[O texto acima é uma transcrição adaptada do podcast 60 Second Science da Scientific American.]

 

Sciam 21 de outubro de 2014