Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Primeiras nuvens de água reportadas fora do sistema solar

Sinais foram vistos em anã marrom, um objeto maior que um planeta e menor que uma estrela

 

A concepção de um artista de uma anã marrom. CréditoNASA/JPL-Caltech

Pela primeira vez na história, astrônomos encontraram fortes evidências de nuvens de água em um corpo celeste de fora do sistema solar.

Novas observações de um objeto chamado WISE 0855, que está a 7,2 anos-luz da Terra, sugerem que este possui nuvens de água, ou água congelada, na sua atmosfera, dizem pesquisadores.

"Nós esperaríamos que um objeto tão frio tivesse nuvens de água, e essa é a melhor evidência de que ele tem,” afirmou Andrew Skemer, líder do estudo e professor assistente de astrofísica da Universidade da Califórnia, Santa Cruz, em uma declaração publicada pela universidade. [ Anã marrom gélida pode conter nuvens de água  (Vídeo em inglês) ]

WISE 0855 é cinco vezes mais massiva do que Júpiter, o que a torna uma anã marrom - um objeto muito grande para ser um planeta, mas muito pequena para desencadear as reações de fusão internas que energizam as estrelas  (fato que explica o outro nome para esses corpos: “estrelas falhadas”).

Cientistas descobriram a WISE 0855 em 2014, usando dados do telescópio espacial WISE (Wide-field Infrared Survey Explorer), da Nasa. Mais tarde naquele mesmo ano, um estudo do qual Skemer foi coautor descobriu algumas evidências de nuvens de água na atmosfera do objeto, baseado em dados fotométricos limitados (quão brilhante o objeto é em comprimentos de onda de luz específicas).

No novo estudo, Skemer e seus colegas usaram o telescópio Gemini North, no Havaí, para estudar a anã-marrom por 13 noites. O telescópio está localizado na montanha mais alta do Havaí (Mauna Kea), em uma altitude com pouco vapor d’água que possa interferir nas observações.

Essas observações permitiram aos astrônomos a fazer a primeira espectroscopia (digital de luz) da WISE 0855. A equipe encontrou vapor d’água e também confirmou a temperatura do objeto, que é cerca de 10 graus Fahrenheit negativos (23 graus Celsius negativos, ou 250 kelvins). Para fins de comparação, a temperatura no topo das nuvens de Júpiter é de 225 graus Fahrenheit negativos (143 graus Celsius negativos ou 130 kelvins).  

A WISE 0855 é “cinco vezes mais fraca do que qualquer outro objeto detectado através de espectroscopia com base no solo nesse comprimento de onda,” afirmou Skemer em uma declaração diferente. “Agora que nós temos um espectro, nós podemos começar a pensar de fato sobre o que está acontecendo com esse objeto. Nosso espectro mostra que a WISE 0855 é dominada por vapor d’água e nuvens, com uma aparência geral notoriamente semelhante a de Júpiter.”

Especificamente, o espectro da WISE 0855 parece bastante com os traços de absorção de água encontrados na atmosfera de Júpiter. Mas também existem diferenças, como a quantidade de fosfano (um composto de fósforo e hidrogênio): Júpiter possui muito, enquanto a WISE 0855 não.

O fosfano é criado nos interiores escaldantes dos objetos, então sua presença no espectro atmosférico sugere que muitas misturas aconteceram. Então, baseando-se nas concentrações de fosfano, parece que a atmosfera de Júpiter é bem mais turbulenta do que a da WISE 0855, segundo os membros da equipe.

 

Elizabeth Howell

 

Veja também:


- Imagens inéditas de Ceres sugerem presença de gelo

 

- Sonda detecta possíveis sinais de gelo em cometa