Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Restos mumificados são da rainha egípcia Nefertari

Templo de Nefertari em Abu Simbel. Na fachada, Nefertari encontra-se no meio de duas imagens de seu marido, o faraó Ramsés II.
Crédito: Institute for the Study of the Ancient World sob licença Creative Commons Attribution 2.0 Generic 

Uma equipe internacional de arqueólogos acredita que um par de pernas mumificadas que estão em exibição em um museu italiano pode ter pertencido à rainha egípcia Nefertari — a esposa favorita do faraó Ramsés II.

A equipe, que inclui Stephen Buckley e Joann Fletcher, ambos do Departamento de Arqueologia da Universidade de York, usou datação por radiocarbono e análises antropológicas, genéticas, químicas e paleopatológicas para identificar os restos.

Eles concluíram que “o cenário mais provável é que os joelhos mumificados realmente tenham pertencido a rainha Nefertari".

Como era a esposa favorita de Ramsés II, Nefertari recebeu uma tumba lindamente decorada no Vale das Rainhas, ao qual o professor Fletcher teve acesso recentemente.

Embora tenha sido saqueado em tempos antigos, a tumba, primeiramente escavada por arqueólogos italianos em 1904, ainda continha objetos que foram enviados para o Museu Egípcio em Turim.

Entre estes objetos estava um par de pernas mumificadas que poderiam ter sido parte de um sepultamento posterior, como aconteceu com outras tumbas na região. Mas como as pernas nunca haviam sido investigadas cientificamente, decidiu-se estudá-las para descobrir se realmente eram tudo que restava de uma das mais legendárias rainhas do Egito.

O estudo, publicado na revista científica PLOS ONE, revelou que as pernas eram de uma mulher adulta de cerca de 40 anos de idade.

A análise química de  Buckley também estabeleceu que os materiais usados para embalsamar as pernas são consistentes com as tradições de mumificação do século 13 A.C, o que, quando colocado em conjunto com as descobertas dos outros especialistas envolvidos, levou à identificação.

Para  Fletcher “foi excitante fazer parte do projeto, e um enorme privilégio trabalhar juntamente com alguns dos maiores especialistas do mundo na área.”

"Tanto Stephen quanto eu temos um bom tempo de estudo da história das múmias reais do Egito e as evidências que pudemos coletar sobre os restos de Nefertari não apenas completam a pesquisa que viemos fazendo sobre ela e sua tumba, mas também nos permite adicionar outra peça ao quebra-cabeça do que é conhecido sobre mumificação egípcia.”

 

Universidade de York
Para assinar a revista Scientific American Brasil e ter acesso a mais conteúdo, visite: http://bit.ly/1N7apWq