Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

Sonda Chinesa entra em órbita ao redor da Lua

O módulo de serviços de um voo de testes anterior entrou em órbita lunar esta semana

 

China Space Website
Após lançar uma cápsula de testes, o módulo de serviço está se dirigindo à órbita lunar depois de sobrevoar o ponto L2 entre a Terra e a Lua.
Por Leonard David e SPACE.com

Um módulo espacial chinês de serviços entrou em órbita ao redor da Lua, meses após ser usado no histórico voo de testes que enviou o protótipo de uma cápsula de coleta de amostras para um voo ao redor da Lua e o trouxe de volta para a Terra.

O módulo de serviços do voo de testes circulunar entrou em órbita lunar nesta semana, de acordo com notícias da mídia estadual chinesa. Atualmente, a sonda está em uma órbita de oito horas que a deixa a 200 quilômetros da superfície lunar em seu ponto mais baixo, e a uma distância de 5.300km em seu ponto mais alto.

De acordo com o engenheiro-chefe Zhou Jianlian, do Centro de Controle Aeroespacial de Pequim, o módulo realizou sua segunda e terceira frenagens nas primeiras horas de 12 e 13 de janeiro, horário de Pequim. Essas manobras permitirão que o módulo entre em uma órbita de 127 horas ao redor da Lua, explica Zhou.

Notícias anteriores apontaram que um sistema de câmeras está a bordo do módulo de serviço, projetado para auxiliar na identificação de futuros locais de aterrissagem para a missão Chang’e 5, que retornará com amostras lunares para a Terra em 2017.

O orbitador lunar da China foi lançado em 24 de outubro, e orbitou a lua durante sua missão de oito dias. O módulo de serviço ejetou uma cápsula de retorno em 1º de novembro, com a cápsula descendo de paraquedas até a Terra no mesmo dia.

Após o lançamento da cápsula, o módulo de serviço foi até o ponto de Lagrange (L2) entre a Terra e a Lua, completando três ciclos ao redor desse ponto antes de partir para a órbita lunar.

“Essa foi a primeira vez que uma sonda chinesa atingiu o ponto L2, e o módulo de serviço competou três ciclos ao redor do ponto, expandindo missões de sondagem”, declarou Zhao Wenbo, vice-diretor da Administração Estadual Chinesa de Ciência, Tecnologia e Indústria de Defesa Nacional (SASTIND), de acordo com a agência estatal de notícias Xinhua, na semana passada.

Controladores de solo informaram que o módulo de serviço contém sistemas de suporte que parecem estar funcionando com perfeição. De acordo com uma rede de televisão nacional, a China Central Television, o módulo que atualmente orbita a Lua está carregado com equipamentos para coletar mais dados úteis para o planejamento da missão lunar chinesa Chang’e 5, programada para 2017.

A Chang’e 5 será uma missão robótica de coleta de amostras que deverá realizar uma aterrissagem suave na Lua e então coletar vários quilos de rochas e solo lunar para sua viagem de retorno para a Terra.