Sciam
Clique e assine Sciam
Notícias

SpaceX e Boeing vão transportar astronautas americanos

A seleção das duas empresas reduzirá a dependênciaque a Nasa tem da Rússia para serviço de táxi orbital

SpaceX/Boeing
A Nasa escolheu o veículo espacial Dragon Versão 2 da SpaceX (esquerda) e a cápsula espacial CST-100, da Boeing, para levar e trazer astronautas americanos da baixa órbita terrestre a partir do solo americano pela primeira vez desde que a frota do ônibus espacial se aposentou, em 2011.
Por Mike Wall e SPACE.com

Astronautas americanos logo terão novos veículos domésticos para chegar ao espaço.

Após uma competição de quatro anos, oficiais da Nasa anunciaram que a agência escolheu as empresas de voos espaciais comerciais SpaceX e Boeing para lançar astronautas até a Estação Espacial Internacional a partir do solo americano até 2017. Se tudo sair conforme o planejado, as duas empresas reduzirão ou encerrarão a dependência que a Nasa tem da Rússia para seu serviço de táxi orbital. A Soyuz russa é o único transporte espacial que a Nasa tem desde que frota do ônibus espacial se aposentou, em 2011.

“O anúncio estabelece o que promete ser o capítulo mais ambicioso e emocionante da história da Nasa e do voo espacial humano”, declarou Charles Bolden, administrador da Nasa, em 16 de setembro.

A escolha reflete uma fusão entre o velho e o novo; a Boeing já atua na área aeroespacial há décadas, enquanto o empreendedor bilionário Elon Musk fundou a SpaceX há apenas 12 anos, em 2002.

Substituindo o ônibus espacial

A SpaceX e a Boeing estão dividindo o prêmio Commercial Crew Transportation Capability (CCtCap) de US$6,8 bilhões, concedido pela Nasa, o último em uma série de contratos assinados em 2010 para encorajar o desenvolvimento de espaçonaves particulares tripuladas dos Estados Unidos. A SpaceX receberá US$2,6 bilhões e a Boeing receberá US$4,2 bilhões, explicaram os oficiais.  

A Nasa está esperando que o setor privado substitua a frota do ônibus espacial, que foi aposentada em 2011 após 30 anos de serviço orbital. Nos últimos três anos, a agência dependeu de cápsulas Soyuz para levar e trazer seus astronautas do espaço – recentemente, a um preço de mais de US$70 milhões por assento.

Oficiais da Nasa declararam querer que pelo menos um veículo comercial americano esteja pronto para funcionar até o fim de 2017. Bolden também adiciona que a capacidade doméstica de transporte até a baixa órbita terrestre não apenas reduziria custos, mas também deixaria a agência livre para trabalhar em projetos de transporte até locais mais distantes e difíceis, como Marte.

A competição da tripulação comercial da Nasa contou com quatro grandes empresas: SpaceX, Boeing, Blue Origin e Sierra Nevada. A SpaceX e a Boeing estão construindo cápsulas chamadas de Dragon e de CST-100, respectivamente. A Blue Origin está desenvolvendo uma nave cônica chamada de Space Vehicle, enquanto a Sierra Nevada se inscreveu com um avião espacial chamado de Dream Chaser.

Assim como a SpaceX, a Blue Origin é conduzida por um bilionário – nesse caso, o fundador da Amazon.com, Jeff Bezos.

Esse anúncio parece tirar a Blue Origin e a Sierra Nevada do grupo, mas não elimina a competição pelo programa de tripulação comercial. De acordo com oficiais da Nasa, sob os contratos da CCtCap, tanto a Boeing quanto a SpaceX devem passar por um rigoroso processo de certificação, que incluirá pelo menos uma missão tripulada de demonstração até a estação espacial.

“A Nasa se compromete em garantir que esses sistemas tenham os mesmos padrões rigorosos de segurança que programas espaciais anteriores”, declara Kathy Lueders, administradora do programa de tripulação comercial da Nasa.

Lueders adiciona ainda que, após completar sua certificação, a Dragon e a CST-100 farão pelo menos duas, e talvez até seis, missões tripuladas da Nasa até a Estação Espacial. Cada uma dessas missões transportará quatro astronautas.

Bolden ainda afirma que a Nasa continuará usando as duas cápsulas enquanto elas se adequarem aos padrões da agência.

Conheça a Dragon e a CST-100

Tanto a Dragon quanto a CST-100 são veículos reutilizáveis projetados para carregar sete passageiros. (O nome da CST-100, aliás, é derivado de “Transporte de Tripulação Espacial”, em inglês, e 100 quilômetros – a fronteira tradicional de altitude que marca o início do espaço exterior).

A Dragon é uma versão atualizada e tripulada da cápsula robótica que a SpaceX usa para transportar cargas para a estação espacial sob um contrato individual de US$1,6 bilhão com a Nasa. Assim como a variante de cargas, a cápsula tripulada irá ao espaço a bordo do foguete Falcon 9, também da SpaceX.

Enquanto isso, a CST-100 será transportada pelo foguete Atlas 5, da United Launch Alliance. Atualmente, o Atlas 5 usa o motor russo RD-180, mas isso pode mudar em breve; há rumores de que a United Launch Alliance – uma união da Boeing com a Lockheed-Martin – estaria contratando a Blue Origin para construir um novo motor doméstico para o foguete.

De acordo com os oficiais, as duas cápsulas serão lançadas do Centro Espacial Kennedy, na Flórida.  

Scientific American 17 set 2014