Sciam


Clique e assine Sciam
Notícias

Tratar o Sono Melhora Sintomas Psíquicos

O sono pode ter uma ligação crítica com a doença mental e se tornar um alvo terapêutico.

bruniewska/shutterstok
Pessoas com depressão ou outras doenças mentais frequentemente relatam problemas para dormir, sonolência durante o dia e outros problemas relacionados ao sono. Agora um corpo de pesquisa cada vez maior está mostrando que tratar problemas do sono pode melhorar dramaticamente sintomas psiquiátricos em muitos pacientes.

Grande parte do trabalho mais recente ilustra o modo como a apneia do sono, uma condição crônica em que uma pessoa para repetidamente de respirar durante o sono, pode provocar ou agravar sintomas psiquiátricos. Em anos anteriores, a apneia do sono foi ligada à depressão em pequenos estudos e populações limitadas. Agora um estudo feito pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos reforça essa conexão. O CDC analisou os registros médicos de aproximadamente 10 mil adultos norte-americanos com apneia do sono. Homens diagnosticados com esse transtorno tinham duas vezes mais risco de depressão – e mulheres, cinco vezes – se comparados a quem não tinha apneia do sono. Na edição de abril da Sleep, Anne G. Wheaton, principal autora do estudo, e seus colegas especulam que, além da interrupção do sono, a privação de oxigênio induzida pela apneia do sono poderia danificar células e perturbar o funcionamento normal do cérebro.

Um estudo da Cleveland Clinic sugere que o tratamento desse transtorno é promissor para reduzir sintomas de depressão. No experimento, pacientes foram dormir usando uma máscara ligada a uma máquina que aumenta a pressão do ar na garganta. A pressão aumentada evita que a via aérea colapse, o que provoca a parada respiratória na maioria dos casos desse transtorno. Usando essa máquina, o psiquiatra Charles Cae e seus colegas trataram 779 pacientes diagnosticados com apneia do sono. Depois de uma média de 90 dias dormindo com a máquina todos os pacientes fizeram menos pontos em uma pesquisa de depressão do que antes do tratamento – independentemente de terem um diagnóstico anterior de depressão ou estarem tomando antidepressivos. Os dados foram apresentados em junho na conferência SLEEP 2012, em Boston.

Investigar a saúde do sono de seus pacientes pode permitir que médicos aliviem perturbações mentais logo cedo – talvez antes dos pacientes tomarem medicamentos psiquiátricos. Esse tratamento poderia ser especialmente importante para crianças, de acordo com três novos estudos que mostram que o sono está associado a perturbações mentais na juventude. Um estudo publicado em agosto na Medical Hypotheses relatou que entre 25 e 50% das crianças e adolescentes com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade passam por problemas de sono. Poucos meses antes, no periódico Pediatrics, pesquisadores descobriram que das 11 mil crianças do estudo, aquelas com respiração desordenada durante o sono (como relatado por seus pais) tinham 40% mais dificuldades comportamentais aos quatro anos de idade, e 60% mais aos sete anos. Perturbações do sono também afetam o humor – e não simplesmente produzindo irritabilidade. Adolescentes que relataram sonolência diurna também eram mais inclinados a experimentar tristeza, de acordo com um estudo publicado em março no Journal of Mental Health Policy and Economics.

Há muito Steven Y. Park, professor assistente de otorrinolaringologia do Albert Einstein College of Medicine, defende que transtornos do sono são uma das causas subjacentes de muitos transtornos psiquiátricos. “Em minha opinião”, declara ele, “você não pode considerar um transtorno psiquiátrico sem pensar sobre o problema da respiração no sono”.

Este artigo foi originalmente publicado com o título ‘Treating Sleep Improves Psychiatric Symptons’.
Nas bancas!                     Edições anteriores                                            Edições especiais                              
Conheça outras publicações da Duetto Editorial
© 2012 Site Scientific American Brasil • Duetto Editorial • Todos os direitos o reservados.
Site desenvolvido por Departamento Multimídia • Duetto Editorial.