5º Concurso Internacional de Canto Bidu Sayão 2004

Bidu Sayão abre portas para o futuro.

Ao completar 5 anos, o Concurso Bidu Sayão atingiu a visibilidade necessária para ser posicionado como a melhor realização do gênero no Brasil. Credibilidade é provavelmente a palavra que melhor define o Concurso para os cantores que participaram nas versões anteriores.

De fato, ao buscar formar um júri de profissionais respeitáveis, convidados entre regentes, diretores de casas de ópera, professores de canto e equilibrar as várias tendências, a Comissão Organizadora acabou favorecendo uma imagem de integração e de diálogo com os candidatos.

Além disto, o Concurso Bidu Sayão abre portas, ratifica padrões de qualidade e auxilia as carreiras individuais. Vários candidatos tiveram um impulso importante sendo convidados, em decorrência direta de sua participação na competição, para concertos, óperas e recitais.

Segundo depoimentos de alguns dos participantes "a experiência de viver o Concurso e ter contato com pessoas de vários estados e países, conversar com o Júri, é um aprendizado fundamental". Este é outro aspecto importante do Bidu Sayão: uma das missões do Júri é comentar individualmente a participação de cada cantor apontando méritos e falhas, aconselhando e criando um canal de diálogo importante.

Na criação do Concurso Bidu Sayão um dos principais objetivos foi identificar novos talentos ampliando o leque de possibilidades para formação de elencos. Na prática, o Bidu Sayão é um celeiro de vozes e um importante instrumento à disposição dos diretores artísticos já que para a grande maioria dos cantores é uma referência precisa da sua qualidade vocal, além de representar uma oportunidade de audição privilegiada com importantes nomes do cenário artístico.

São 5 anos de uma sólida parceria com o Governo do Estado do Pará, através de sua SECULT - Secretaria Executiva da Cultura que vem viabilizando financeira e estruturalmente a iniciativa o que permite buscar uma evolução permanente no projeto.

Em 2003, também foi criada a Bolsa Aperfeiçoamento Maria Helena Cardoso a ser atribuída a um cantor do Estado do Pará, utilizada sob a supervisão da São Paulo ImagemData no pagamento de aulas de aperfeiçoamento com professor de escolha do bolsista em qualquer Estado brasileiro e suas despesas gerais durante o período de estudo, conforme critérios previamente estabelecidos.

Mantendo estas características, esperamos poder a cada ano ampliar a visibilidade de novos cantores e, sobretudo, significar um importante impulso em suas carreiras.

Cleber Papa
Comissão Organizadora
Presidente

  • Comissão Organizadora:
  • Cleber Papa
  • Felipe Andrade
  • Gilberto Chaves
  • Maria Sylvia Nunes
  • Rosana Caramaschi
WebDesignSobe ↑