Ensaio Aberto

Cleber Papa

Teatro Amazonas - Publicado durante o IV Festival Amazonas de Ópera, 2000

As 36 mil peças de cerâmica esmaltada que revestem a cúpula do Teatro Amazonas, conferem à construção o requinte definitivo para um projeto arquitetônico que se tornou único no mundo precisamente por estas e outras características exclusivas.

Concluído no final do Século 19, o Teatro Amazonas é o símbolo da opulência de uma sociedade que se formou em Manaus no auge do Ciclo da Borracha, inspirada pela vida cultural dos grandes centros produtores de cultura no Brasil e no exterior. A proposta, desde o início, foi dotar a cidade de infra-estrutura capaz de assegurar a regularidade de apresentações de companhias européias que passariam a freqüentar Manaus, trazendo peças teatrais, óperas e operetas selecionadas entre os maiores sucessos europeus.

A idéia de se construir o Teatro nasceu em 1881
e sua inauguração acontece oficialmente em 31 de Dezembro de 1896, marcada, em seguida, pela estréia da Ópera La Gioconda, de Amilcare Ponchielli, no dia 7 de Janeiro de 1897, encenada pela Companhia Lírica Italiana.

Mário Ypiranga Monteiro (Teatro Amazonas - Edições do Governo do Estado do Amazonas - 1965) registra que, na inauguração, "A sociedade amazonense de escol compareceu, as damas com seus vestidos de cauda e os cavaleiros de casaca e cartola. A iluminação feérica do Teatro, o momento culminante de consagração popular, as 'toilettes' caríssimas, as jóias deslumbrantes, as belezas trigueiras das mulheres, tudo isso teve um efeito salutar no público que se portava meio indiferente ou esquivo e pairava pelas proximidades a ouvir a retumbante voz dos tenores multiplicada pela técnica perfeita nas caixas de ressonância. Foi uma noite de esplendor, de vivência, de paroxismos. Uma noite como talvez nunca mais tenhamos nesta terra."

Se Caruso e Sarah Bernhardt cantaram no Teatro Amazonas como se diz, mesmo sem uma confirmação plausível, o fato é que o mito criado apenas traduz o nível dos inúmeros artistas e das companhias recebidas pela casa na sua época áurea, apresentando as principais óperas do repertório internacional. O barítono Francesco Bonini, Francesco Conti, Maria Peri, Ana Berti Cecchi, Lázaro Ottaviani, nomes importantes do canto lírico à sua época estiveram no seu palco entre outras centenas de profissionais europeus e brasileiros. Nestes mais de 100 anos da inauguração, o Teatro Amazonas recebeu grandes espetáculos, ficand também fechado por longos períodos, foi integralmente recuperado e agora possibilita a realização do Festival Amazonas de Ópera entre outras iniciativas que o mantém como o mais importante difusor de cultura na região norte do Brasil. A visão do Festival não é saudosista, mas uma perspectiva de devolver ao Teatro Amazonas uma parte de sua vocação e, sobretudo, ampliar sua história.

Cleber Papa
Diretor Geral

WebDesignSobe ↑