Fotografia

Cerâmica de Apiaí

Veja as fotos/See the photos

Fotos/photos:
Luiz Braga

Do livro/from the book:
Brasil das Artes
Editado por/edited by:
São Paulo ImagemData

No seu conceito mais amplo, arte é o domínio da matéria para a expressão de uma idéia, e a obra de arte supõe a criação de sensações ou estados de espírito. Mais do que isto, sugere em quem a vê o desejo de perservá-la, de renová-la e manter viva sua realização. Cabe ao artista manifestar-se por meio de um padrão estético que revele sua vivência individual, coletiva e sobretudo, sua vivência íntima e profunda, criando mecanismos de comunicação com seu público. Para isso, o artitsta utiliza a matéria-prima que está ao alcance de suas mãos e com o que consegue interagir e conviver de forma integral.

Independentemente dos mecanismos sócio-econômicos e culturais pelo quais passou a
formação do povo brasileiro, e dos processos de aculturação de nítida influência européia, no Brasil, temos consolidada uma permanente produção de objetosque ganharam seus modelos próprios, transformando-se em marca de grupos de artesãos, onde famílias inteiras se dedicam à realização e reprodução de um modo de fazer.

Neste contexto, as matérias-primas se diversificam e, dependendo da região do país e dos recursos disponíveis, há uma inclinação maior para esta ou aquela técnica. Assim, o barro está presente em diversos tipos de atividade. Ora trabalhado com tornos, outras vezes de forma ainda mais rústica, tendo apenas as mão e a imaginação como instrumentos de moldagem. Para secar, queimar e assar o barro, fornos com cetneas de formas, modelos e manieras de usar, mas sempre água, vento, fogo e barro: a poética mistura do homem com seus elementos primários. Há 20 anos, em Apiaí, transportava-se o barro em balaios levados aos pares por burros de carga. Mais tarde, por pequenos tratores que puxavam quantidades maiores. Hoje, a maioria dos artesãos compra os serviços de um fornecedor que, sob encomenda, leva a quantidade necessária. "O barro de Apiaí está acabando" — dizem alguns. Terceirização? Está acabando" Preocupações à parte, a cerâmica continua sendo produzida e com as características centenárias que sempre teve. Apiaí é um dos dezenove municípios que compõe o Vale do Ribeira, e sua cerâmica original, ainda que pouco conhecida no Brasil, representa uma das atividades artesanais mais genuínas do país. a produção é realizada nos diversos bairros da cidade, distantes até 60 km do centro.

São muitas as famílias que, dividindo o trabalho entre as pessoas que as compõem, trabalham a cerâmica com o processo de eleaboração das peças. O pesado, digamos assim, é atribuição masculina, ficando a cargo dos maridos ou filhos mais velhos o trabalho de apanhar o barro ainda embalado em sacos plásticos para não secar e armazenados no depósito. Depois socam o barro por horas a fio em pilões de madeira, até que adquira a consistência adequada para ser trabalhado pelas mulheres, dando ao barro a forma e a utilidade. Quando ocorre a produção de uma boa quantidade de peças, inicia-se a queima, que dura um dia inteiro. São também usados fornos de barro, bem rústicos, com o fogo alimentado por toras e pedaços de madeira. O preço da madeira e a dificuldade de sua obtenção impedem que se faça a queima diária, a menos que haja uma encomenda grande. A base das cerâmica de Apiaí é utilitária, composta de vasos, jarrras, gamelas, potes para víveres, cuscuzeiros, bilhas. Porém há uma produção de figuras antropomórficas e uma variedade de motivos de diferentes portes e acabamentos, que retratam animais domésticos.

Como em todo processo artesanal, a influência predatória comercial pode ter provocado uma ou outra distorção nas finalidades e características originais de alguns trabalhos de algumas poucas produtoras, mas as raízes originais ainda se mantém na grande parte do que é produzido, sendo que Custódia — uma das mais conhecidas artesãs, é, sem dúvida alguma, uma das principais representantes da arte desenvolvida na região.

A produção da cerâmica de Apiaí é um parâmetro interessante do que se produz no interior de São Paulo, podendo ser colocada lado a lado com o que de melhor se produz no Brasil.

Cleber Papa

WebDesignSobe ↑