Publicidade

 
Macbeth - São Paulo/2002
Ópera
 
"Macbeth" faz temporada no Municipal de São Paulo

 

 
Macbeth (sinopse)
Belém, 2002
Fotos/Photos

São Paulo, 2002
Fotos/Photos

A ópera "Macbeth", de Verdi, estreou domingo (dia 21) e está em cartaz no Theatro Municipal de São Paulo, com récitas nos dias 23, 25, 27 e 29 de julho, em montagem regida pelo maestro Ira Levin, com direção cênica de Cristina Mutarelli.

"Macbeth" estreou em Belém, em abril deste ano, na abertura do Festival de Ópera do Theatro da Paz. Para suas apresentações em São Paulo, a ópera ganhou adaptações sugeridas pela direção cênica, criando uma nova versão para o espetáculo. No elenco, cantam Gail Gilmore (Lady Macbeth), Yuha Uushitano (Macbeth), Eduardo Itaborahy (Macduff), Paulo Queiroz (Malcolm), Luís Ottavio Faria (Banquo), entre outros. Os ingressos custam entre R$ 15,00 e R$ 100,00

As cinco apresentações de "Macbeth" em São Paulo são uma co-produção entre o Theatro Municipal de São Paulo e a São Paulo ImagemData, com o apoio do Theatro da Paz (Secretaria de Cultura do Estado do Pará) que cedeu os cenários e figurinos, marcando o início de uma cooperação entre os dois teatros.

Cleber Papa, diretor da São Paulo ImagemData, ressalta que a fórmula de co-produção utilizada na apresentação de "Macbeth" em São Paulo é uma experiência que pode frutificar. "Ela reduz custos e permite a encenação de espetáculos de qualidade. Pode ser utilizada em qualquer cidade, já que, atualmente, os cenários e figurinos dos espetáculos de ópera são projetados e desenvolvidos de forma a se adaptarem aos mais diferentes tamanhos de palco", ressalta. Lúcia Camargo, diretora do Theatro Municipal de São Paulo, tem a mesma opinião: "A tendência, hoje, é de as produções operísticas circularem em teatros brasileiros, através de co-produções que utilizem os recursos disponíveis em cada cidade, como músicos e cantores", diz ela.

Pertencente à chamada primeira fase do compositor, "Macbeth" baseia-se na peça imortal de William Shakespeare, verdadeiro estudo psicológico sobre poder e conspiração. Imediatamente anterior à "trilogia popular" (Rigoletto, Trovatore e Traviata), apresenta um Verdi mais denso. Nunca, antes dela, houve tantos trechos em modo menor em uma ópera italiana e tanto cuidado nos ensaios para a estréia, estes conduzidos pelo próprio autor. A versão atualmente apresentada baseia-se na revisão feita por Verdi entre 1864 e 1865 para a produção do Théâtre-Lyrique de Paris. O destaque vocal fica por conta da personagem feminina que interpreta Lady Macbeth (soprano).

Home