Sergei Rachmaninoff

  • Biografia
  • A obra de
    Sergei Rachmaninoff
OUTRAS PERSONALIDADES

Biografia

Nasceu em Semionovo, 1 abr 1873 e morto em Beverley Hills, 28 mar 1943.

Compositor e pianista russo, estudou no Conservatório de Moscou (1885-92) com Zverev (onde Scriabin foi seu condiscípulo), além de piano com seu primo Ziloti e composição com Taneiev e Arensky, formando-se com distinção tanto como pianista quanto compositor (a Ópera Aleko, apresentada no Bolshoi em 1893, foi sua peça de formatura). Durante os anos que se seguiram compôs peças para piano (incluindo o seu famoso Prelúdio em dó menor), canções e obras orquestrais, mas a estréia desastrosa, em 1897, de sua Sinfonia n.1, regidainsatisfatóriamente por Glazunov, provocou uma crise criativa só resolvida através de ajuda médica, em 1900: compôs então, de um só fôlego, seu Segundo Concerto para piano. Nesse ínterim, encetara uma nova carreira de regente, apresentando-se em Moscou e Londres; foi mais tarde regente do Bolshoi, 1904-6.

Nessa fase, e mais particularmente no Concerto para piano n.2, já estavam reunidos os aspectos essenciais de sua arte: o domínio do arroubo emocional, concebido como uma melodia lírica expandida a partir de pequenos motivos; a dissimulação subjacente de sutilezas de orquestração e de estrutura, o amplo aspectro de linhas e formas; a melancolia e nostalgia predominantes; e a fidelidade ao mais puro romantismo russo, herdado de Tchaikovsky e de seus professores. Essas características não se alterariam e, durante os anos que iriam decorrer até a Revolução forneceram-lhe o material para uma produção considerável de óperas, música litúrgica, obras orquestrais, peças para piano e canções, ainda que a composição geralmente se restringisse a períodos de recolhimento entre compromissos de concertos. Em 1909 fez sua primeira turnê norte-americana como pianista, para a qual escreveu o Concerto para Piano n.3.

Pouco depois da Revolução de Outubro, deixou a Rússia com a família, indo para a Escandinávia; em 1918 chegaram a Nova York, onde passou a viver, apesar de estadias em Paris (onde fundou uma casa editora), Dresden e na Suíça. Houve um período de silêncio criativo até 1926, quando escreveu o concerto para Piano n.4, seguido por apenas um punhado de obras ao longo dos 15 anos subseqüentes, todas em grande escala. Durante esse período, no entanto, esteve ativo como pianista em ambos os lados do Atlântico (apesar de que nunca mais na Rússia). Como pianista, tornou-se famoso por sua precisão, seu vigor rítmico, pelo legato e pela clareza de textura, bem como pela ampla concepção de suas interpretações.

WebDesignSobe ↑