Frustrada na Áustria, Paszek pode pedir nacionalidade brasileira
07/08/2008 às 17h12

Viena (Áustria) - Se o tênis feminino brasileiro atravessa terrível fase, uma inesperada notícia pode cair como uma luva para salvar a situação. Frustrada por ter ficado de fora dos Jogos Olímpicos de Pequim e por não ter sido apoiada pela Federação Austríaca, Tamira Paszek está considerando entra com pedido de nacionalidade brasileira.

A própria pupila de Larri Passos, que passou os últimos dias em treinos ao lado do treinador em Santa Catarina, foi quem comentou o desejo. "Tem muita coisa acontecendo no momento. Me sinto austríaca, mas não é fácil conviver com tal decepção. Tive antes a possibilidade de jogar por outro país, mas agora estou considerando realmente", explicou a hoje 67ª do mundo e que já foi 35ª em 2007.

"Os últimos dias no Brasil me fizeram muito bem, o ambiente é simplesmente incrível, perfeito. Sinto como se estivesse no paraíso", completou a jogadora, que vem tendo aulas de português há um bom tempo e é querida por grande parte dos tenistas do país, como Marcos Daniel, e pela família de Larri Passos, incluindo sua filha.

Além de já ter este contato com o Brasil, Paszek se frustrou de vez por ter ficado de fora das Olimpíadas, em decisão que culpou a Federação Austríaca. "Até uma semana antes dos Jogos não sabia se viajava ou não para Pequim. Ninguém nunca falou comigo. Eles deveriam ter sido mais profissionais e comunicativos", reclamou a promissora jogadora. A decisão da jogadora deve sair em alguns dias.

Leia também:
Tamira Paszek realiza sonho com Larri Passos


Fonte normalFonte médiaFonte grande