Edição 154 - Setembro/2008
 
Super NX Zero!
Eles gravaram um CD incrível e não param um segundo, mas arrumaram um tempinho pra todateen!
Haja energia para passar algumas horinhas com o NX Zero correndo atrás deles pra entrevistar e tirar fotos. Ops! Corrigindo: haja energia para ser o NX Zero. Di, Dani, Gee, Fi e Caco são músicos, ok, quem não sabe, né? Mas podiam muito bem ser super-heróis, porque, além de terem o dom de deixar a gente mais feliz com a música que fazem, eles (todos eles!) são simpáticos, divertidos, cheios de boa vontade e conversam olhando no seu olho (quer coisa mais gostosa?). Na tarde em que a todateen passou com os caras, eles responderam todas as nossas dúvidas. Tá bom, vai, chega de blablablá e vamos matar a curiosidade sobre o CD novo, os sonhos que eles têm, os medos, os micos e muito mais!
Agora, o novo CD
Todo mundo diz que esse é o segundo. Mentira. Agora é o terceiro CD (o primeiro foi o da época independente, Diálogo? e o segundo, já com gravadora, NX Zero). E como eles deram conta de gravar esse CD se, aos nossos olhinhos, eles não pararam: estavam sempre aparecendo na tevê e fazendo shows? Com a palavra, os próprios.

Dani: "Quando começamos a pensar no CD, a gente só tinha dois meses pra fazê-lo. Só que a agenda apertou mais, o tempo correu e o lance foi matar dez dias sem compromisso nenhum e ficar enfurnado em estúdio."
Gee: "Foi o maior desafio, porque a gente entrou inseguro pra gravar. Mas, depois de terminado, meu, pra mim é o melhor do NX Zero. A gente saiu do underground*, chegou no mainstream* e mostrou que merece ficar!"
Di: "Acho que o CD mostra a nossa cara mesmo. O melhor que a gente fez até agora tá aí."
Fi: "Até rolou a participação da Karen e da Aline, que eram do Rouge, e a música (Cartas pra Você) ficou linda! Eu estou superfeliz, não paro de ouvir o CD no carro!"
Caco: "Hoje, a gente percebe que fez o máximo e o melhor que podia. O resultado ficou sonoro, bonito, musical, mais maduro."

Viu só como eles têm mesmo superpoderes? Fizeram um CD em pouquíssimo tempo e com um som, segundo os próprios, mais maduro. E qual é a música que resume essa fase mais madura do NX?
Di: "Ai, que difícil, eu não parei pra pensar nisso ainda. Será Cedo ou Tarde?"
Gee: "Eu não sei..    ."
Di: "Tem Entre Nós Dois, né? Ou Bem ou Mal também..."
Gee: "Acho que uma dessas duas."
Dani: "Bem ou Mal! Eu acho que ela resume tudo!".
 
Dá saudade?

Hoje, os cinco não passam mais despercebidos em lugar nenhum (a não ser fora do país, mas isso está prestes a mudar. Não duvide!). Será que eles sentem falta de alguma coisa da época em que eram anônimos?

Fi:  "Não, de nada! A gente aparece na tevê, em revista, isso faz parte da nossa profissão. Se um dia eu não estiver muito a fim de conversa, eu me fecho dentro de casa e pronto.”

Di: "Tem dias em que eu quero ficar de boa. Nem lá em casa mais eu consigo, não é por mal, nem estou reclamando, mas às vezes, meu pai ou minha mãe leva os amigos lá que só sabem falar disso, do nosso sucesso. E quando eu estou em casa, às vezes, eu só quero ser um moleque."

Dani: "Acho que só de sair pra comer tranqüilamente. Porque tem gente que tira foto enquanto estou mastigando. Fora isso, pra tudo você dá um jeito. Você não vai ao cinema no horário mais lotado, mas rola pegar uma sessão mais tarde um pouco, depois da meia-noite."

Caco: "Só sinto falta da época em que eu podia jogar bola na hora em que eu quisesse. Quando eu podia sair com os amigos sem ficar preocupado com o compromisso que  vou ter amanhã. Fora isso, tá tudo lindo!"

Gee: "Sinto muita falta de ficar com minha família todo dia, com meus amigos também. Hoje, eu valorizo mais esses momentos."
No palco...

... eles dão show. Mas também já levaram tombos, cantaram em lugares estranhos e se emocionaram ao tocar a mão dos fãs. Quer ver só?

O show mais bizarro, segundo o Caco
"Acho que foi em São José do Rio Preto, SP, na época do underground ainda. O lugar parecia um banheiro, além de ser pequeno. A cortina do palco era tipo essas cortinas de boxes mesmo! Era um porão tão sujo que parecia um banheiro usado! Mas o show foi animal!"

O show mais inesquecível, segundo o Di
"Teve um que valeu muito a pena, foi um dos melhores da minha vida. A gente tocou para umas trezentas pessoas só, pra galera do fã-clube.
Eu gosto muito de tocar pra fã-clube, de ter essa proximidade, de encostar a mão na pessoa, sabe? É mais caloroso!"

Um mico, do Di
"Eu vivo trocando o nome das cidades. Agora, quando eu chego no palco, tem o microfone interno que só eu escuto, aí o Ângelo, que é nosso produtor, fala rapidão o nome da cidade, eu fixo e não tem perigo. Meu, eu sou maior cabeçudo pra decorar as coisas."

Outro mico, do Dani
"Meu banquinho já quebrou no meio de uma música. Eu fiquei me equilibrando e, no final da música, eu capotei para trás, fez 'poft'. Eu também já dei baquetada na minha cara!"

Mais um, do Caco
"Eu fui tocar perto do Gee e ele cuspiu água pra cima, molhou todo o chão ao redor. Eu fui correndo perto dele e caí de costas. Fiquei deitado no chão uns dois minutos pensando 'eu não acredito que eu tomei esse rola, velho!'."

 
Elas chegam junto!

Fique ligada nas histórias das fãs mais doidinhas. Só não vale repetir se você encontrá-los por aí, hein!

Caco: "Tem umas meninas que chegam com uma plaquinha escrita 'Caco, pega eu'. Mas eu não caio, tem que ter um papo melhor, uma conversa antes, chegar com um jeitinho. Não dá pra pendurar uma plaquinha. Não sou assim... (risos)."

Di: "Meu sobrenome é Ferrero, né? Aí uma vez tinha um cartaz escrito assim, 'deixa eu ser a senhora Rocher, Ferrero!', por conta do bombom."

Gee: "Teve uma que eu fiquei até meio bravo. Ela falou que se eu não tirasse uma foto com ela, e ela queria beijar meu rosto na foto, a garota iria tatuar meu nome. Aí eu falei, 'poxa, eu tenho namorada'. E ela insistia, sabe? Imagina se todas as meninas decidem fazer isso?!"
Eles por eles próprios
Os meninos já conquistaram um montão de coisas, só que, parar de sonhar, ninguém pára. E, por mais super que sejam, sempre
rolam uns medinhos, uma saudade escondida... Quer ver?

Di
Sonho pra realizar: "Quero fazer música no mundo inteiro, em várias línguas!"
Dia inesquecível: "Foi quando eu vi na tevê o clipe de Apenas um Olhar, feito pela gente mesmo, estava supertosco."
Pior medo: "Acho que de perder os momentos junto com a minha família. Minhas priminhas estão crescendo e nem sempre eu posso ficar junto."
Lembrança de infância: "Acho que a principal é minha bandinha de infância, eu tinha sete, oito anos. A gente fazia um som meio gospel e abria para várias outras bandas. A gente tinha música própria, tinha vídeo, tinha tudo."

Fi
Sonho pra realizar: "Ah, acho que continuar vivendo de música é continuar o sonho!"
Dia inesquecível: "O dia do prêmio do Multishow foi marcante, ver o que as outras bandas acham da gente..."
Pior medo: "Tomar injeção! Nossa, me dá aflição, sabe? Parece até que o músculo já contrai sozinho. Eu odeio!"
Lembrança de infância: "Muita diversão! A galera do prédio, a escola, meus amigos de colégio com quem eu tenho amizade até hoje."

Gee
Sonho pra realizar: "Ah, é tocar fora do Brasil. É um sonho que a gente vai conseguir, sim. Tomara."
Dia inesquecível: "O dia em que a gente foi na Universal (a gravadora) e assinou com o Rick (Bonadio, produtor)! Naquela mesinha que aparece no DVD, dia 10 de abril de 2006, não esqueço, foi muito bom!"
Pior medo: "De perder minha mãe, sem dúvida!"
Lembrança de infância: "Eu ralando muito com música, desde os sete anos. Minha vida sempre foi tocar guitarra. Eu também gostava de andar de skate, mas guitarra foi o principal, sempre tive essa vibe."

Dani
Sonho pra realizar: "Um dia virar um andarilho pelo mundo. Um rolling stone. Eu sonho muito com isso."
Dia inesquecível: "Quando meu pai me levou pra minha primeira aula de bateria, eu tinha onze anos. Ele sabia que eu já era meio viciado nisso e aí disse 'vamos passear'. Quando me liguei, estava numa escola de música!"
Pior medo: "De ficar frio, de perder a esperança, de deixar de acreditar nos sonhos."
Lembrança de infância: "Eu, meu pai, minha mãe e minha irmã, a época em que éramos nós quatro para tudo. Viajando pra caramba. Me lembro da época em que éramos sempre nós quatro."

Caco
Sonho pra realizar: "Ter a minha família, uns dois filhos já tá bom!"
Dia inesquecível: "Pra mim foi com o NX, quando a gente ganhou dois prêmios na MTV e ainda tocou. Foi um supermomento!"
Pior medo: "Acho que eu não tenho medo de nada. O negócio é seguir com a vida sem medo de ser feliz. Lutar pelo que você acha certo e ser feliz. O resto, deixa na mão de Deus, porque se você for uma pessoa boa e almejar o bem, você consegue tudo."
Lembrança da infância: "Meu pai, ele sempre foi o paizão."
 
Vídeos legais

Na matéria da pág. 64, nós fizemos uma chamadinha para o site com os vídeos mais engraçados indicados pelo NX.

Caco - “É o MINEIRINHO DOANDO SANGUE! É muito engraçado, cara!”

Di - “O BLACK NINJA. O cara se acha: ele tenta dar um mortal pra trás, mas não consegue e cai com a cabeça no chão”

Gee - “É o GEE ROCHA TOMBO. Foi assim: teve um show que eu caí porque eu escorreguei! Acho que foi um sutiã que jogaram lá, putz, eu odeio quando as pessoas jogam essas coisas, sutiã ou calcinha! O que eu vou fazer com isso? Aí eu caí no palco, tem mais de 150 mil views a parada. Foi foda!”

Dani -  “Chama SNEEZING PANDA. Tem um panda grandão e um pequenininho, o filhotinho. O pequeno dá um espirro e o grande toma um susto! É muito bom”

Texto: Mariana Scherma
Fotos: Felipe Lessa/colaborador

 
 


Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005, Editora Alto Astral