O CD Agora, comentado pelo Gee!

Veja mais trechos da entrevista que está na todateen deste mês

Sobre o clipe de Cedo ou Tarde
tt: Primeiro, me fale do clipe: o que você achou? (Nós vimos juntos o clipe de Cedo ou Tarde, pela primeira vez. Ele amou, ficou repetindo várias vezes e dando pausa para ver os detalhes)
Gee: "Gostei muito! Vai mexer com todo mundo. Acho que cada um tem alguma história bem parecida com a do clipe e da música... Eu esperava bem menos do que eu vi, o clipe ficou muito melhor do que imaginava."

tt: Quem teve essa idéia para o clipe? O roteiro, os vídeos antigos e tal...
Gee: "A gente sempre se junta e todo mundo vai dando as idéias. A história da letra é sobre o meu pai, na verdade. Uma vez, vi numa matéria que o vocalista do Sum41 não conhecia o pai dele. E meu pai morreu quando eu tinha dois anos de idade, eu era muito novo, então acabei nem conhecendo ele. Aí, eu tinha uma música meio que preparada já e falei para o Di: 'Vamos tentar fazer a letra como se eu estivesse escrevendo uma carta para o meu pai'. Como se fosse uma mensagem para ele, numa música, numa coisa que sei fazer. E o Diego fez a letra em coisa de dez minutos. Então, a gente já pensou em fazer um clipe mais maduro, né? Como é nosso segundo disco... Aí, colocamos orquestra na música e tal. Essas idéias de colocar cenas da gente pequeno foi do Ricardo Laganaro, que é o diretor do clipe. Demos umas idéias, como você viu, de uma vela apagando. Queríamos ter umas idéias assim, do tipo um vaso quebrando, uma mulher fazendo um vaso... coisas que estivessem ligadas a pessoas que morrem e pessoas que nascem. Era mais ou menos essa a idéia do clipe. E ficou demais! O Laganaro mandou muito bem.

O CD Agora, faixa a faixa
Faixa 1: Cedo ou Tarde
tt: Acho que então é a música mais tocante do CD, né?
Gee: "Pra mim é, né? O legal dessa música é que todo mundo que ouve se identifica. O Rick (Bonadio) ouviu e se identificou por causa do pai dele, por exemplo. Todo mundo tem alguma história... Às vezes, nem é sobre morrer, mas sobre um cachorro, um amigo que foi para longe e que uma hora a gente vai encontrar. Na letra, tem um monte de coisa que dá para encaixar."

tt: Eu estou vendo aqui... você compôs todas as músicas.
Gee: "Eu e o Di. Eu as melodias e o Di as letras."

Faixa 2: Daqui para Frente
Gee: "Essa foi feita há um ano. Lembro que montamos o nosso home studio e essa música saiu na época que estávamos aprendendo a mexer nos programas. Ela é meio que do Diego. Eu ajudei, mas foi ele quem fez boa parte dela. Era bem mais calma, bem diferente disso. Aí, fizemos um pouco mais rápida. O legal dela é que a gente gravou o Família MTV, logo no começo, e mostramos essa música no programa."

tt: Eu lembro, vocês estavam compondo no quarto de alguém, não é?
Gee: "É! No quarto. É essa música. Aí, em todo lugar que a gente toca ela, mesmo antes de lançar o CD, todo mundo já canta. Ela é uma das mais cantadas."

Faixa 3: Entre Nós Dois
Gee: "Essa é uma das que mais gosto do disco. O Conrado montou um estúdio na casa dele... Aí, lembro que eu fui a cobaia para gravar todos os instrumentos no estúdio. Falei: “Conrado, eu to com uma música na cabeça... deixa eu gravar batera, baixo, voz e guitarra."

tt: Mas você toca bateria também?
Gee: "Toco. É meu hobby."

tt: Continue...
Gee: "Peguei fiz essa música e gravei tudo. Só melodia de voz que gosto de fazer com o Diego, não faço sozinho. Aí, os caras ouviram e todo mundo pirou! E ela acabou ficando do mesmo jeito que foi feita. Todo mundo deu a sua cara nos instrumentos, mas acabou ficando do mesmo jeito. O legal é que ela tem piano. Quem gravou no CD foi o Rick, mas eu quis aprender a tocar piano só para ter piano no disco. Tem uma música aí que eu gravei piano, nunca tinha tocado na minha vida. Aprendi piano em um mês. Só que o Rick gravou porque ele é pianista, toca bem para caramba."

tt: Como foi compor, já que vocês estavam numa fase bem agitada, fazendo muitos shows, lançando DVD, etc?
Gee: "Foi um desafio para gente, porque nos outros CDs que fizemos cada mês a gente parava e fazia pelo menos uma. Nesse não. Faltava um mês pra gente terminar de gravar e a maior correria: fazendo tevê, rádio, show... Até na gravação foi correria. Penamos. Mas saiu o melhor CD do NX Zero. Outra coisa legal é que como, tínhamos pouco tempo para fazer as músicas, eu e o Diego nos juntávamos muito em casa nesse último ano. Todo mês, a gente colava em casa e fazia uma música acústica, nunca em estúdio com todo mundo. Então, muita música acabou sendo feita assim. Mais uma coisa: em Cedo ou Tarde, se você reparar, é meio a Incompleta, do outro CD. É porque a gente pegou a bateria de Incompleta, só o comecinho, e copiou até o final. Lógico que o Daniel deu uma caprichada, mas ela foi feita assim. Foi tudo mais ou menos desse jeito, com muita música que estava pronta há um ano. Aí, no último mês, quando a gente se reuniu no estúdio é que todo mundo deu duas idéias."

tt: Está tudo pronto, a capa, por exemplo?
Gee: "Tá. E fui eu que fiz."

tt: Pois é! Aproveite e fale sobre isso. No DVD foi você também que produziu todo o material gráfico.
Gee: "O pessoal da gravadora me deu todo o apoio, nunca tinha feito. Já mexo com fotografia e imagem faz tempo... ainda mais quando é a minha banda! Você imagina, pirei, né?"

tt: Você faz várias coisas, pelo que o Diego comentou...
Gee: "É, o logotipo, as camisetas, todas essas coisas sou eu que faço. E o CD fui eu que fiz também. Essa foto é do Cesar Ovalle, na verdade. Mas o encarte todo fui eu que fiz."

tt: Aí, você anda com a câmera sempre, caso precise...
Gee: "É, você viu que eu já estou com a mala! Se precisar, já estou com a câmera. Todas as fotos do fotolog, a maioria na verdade, são minhas. Tem agora umas do Cesar Ovalle, que está trabalhando com a gente. É muito legal, estou adorando!"  

Faixa 4: Bem ou Mal (participação de Tulio Duek)
Gee: "Essa é mais rapidinha. É uma das que estavam prontas há muito tempo, mas só no 'embromation' mesmo, não tinha letra. Quando a gente fez a letra dela no estúdio, queríamos colocar o MV Bill para cantar com a gente. Eu, particularmente, sou fã dele. Sou mais fã dele, como pessoa, do que conheço o som dele, sabe? Tem umas entrevistas dele que vi e achei demais. Aí, a gente estava vendo se ia chamar o MV Bill, queríamos também colocar o Chorão para cantar com uma faixa... Não chegamos a chamar ninguém, mas nessa música é que ia ser a participação de alguém. Aí, nos falaram do Tulio Duek, parceirão nosso, que agora é da mesma gravadora. Vimos o trabalho dele e o jeito com que ele escreve as letras é muito parecido com a nossa vibe. E falamos: 'É esse cara mesmo, vamos fazer com ele'."

Faixa 5: Além das Palavras
Gee: "Essa número 5 é um interlúdio. Porque, por mais que a gente tenha tido pouco tempo para fazer o CD em geral, quisemos caprichar nele. Falamos: 'Vamos fazer um disco em que o pessoal tenha que ouvir faixa por faixa, e não ouvir primeiro a 5, depois a 1, depois a 10'. então, fizemos esse interlúdio aí. O legal é que o Diego colocou um pouco de cada letra do CD inteiro nessa música. Tem um pouquinho de cada letra. E foi na hora ali, gravando o disco, que tivemos a idéia de fazer esse interlúdio."

tt: Onde você tocou piano? Foi nessa?
Gee: "Nessa eu toquei também. Mas tem bem pouquinho. O Daniel fez ainda umas percusões..."

Faixa 6: Silêncio
Gee: "Essa é a música do Lucas e o Tavares, do Fresno."

tt: Nossa, e é a cara deles! É ouvir e, de primeira, dá para ver que se parece com o Fresno.
Gee: "É a melodia deles total! É umas das que eu gosto bastante, é legal ter algumas diferentes, né? E a gente fez exatamente como eles compuseram. Adoramos a música. E ela foi a penúltima a entrar no disco. Depois te falo qual foi a última... O Rick chegou e falou: 'Está demais o CD, mas o que vocês acham de colocar essa música?'. Ele mostrou e a gente achou demais. Era acústica e fizemos igual, seguindo o mesmo tempo e tudo mais. E essa rolou tudo na hora, lá no estúdio. Sem ensaio nem nada. O Daniel fez a bateria na hora, tive que gravar a guitarra na hora, o Conrado com o baixo a mesma coisa. Foi loucura!"

tt: E eles fizeram a música especialmente para vocês ou já tinham guardada?
Gee: "Fizeram especialmente para gente. O Rick perguntou o que eles achavam de fazer uma música para ao NX Zero, faz tempo. E eles fizeram. Não sabíamos se íamos ficar com a música ou não, mas quando a gente ouviu, não teve dúvida. E no final, é uma das minhas prediletas. Gosto muito da melodia do Tavares e do Lucas, os dois sabem dividir muito bem a voz."

Faixa 7: Segunda Chance
Gee: "Essa é mais pesada. Ela foi feita em dezembro, eu lembro, entre o Natal e o Ano Novo. Eu lembro que eu estava na praia e a banda estava na correria de ter que terminar as músicas. Aí, dia 28 de dezembro, voltei, fiz a música, e no outro dia chegaram o Daniel e o Fi para dar uma olhada e adoraram a música. E depois o Di fez a letra. As letras foram todas feitas na correria!"

Faixa 8: Cartas para Você
Gee: "Essa que eu queria te falar que foi a última música a entrar. No último dia da pré-produção, estava o Conrado e o Dani ensaiando lá no estúdio debaixo, porque antes de gravar o CD, eles passam o baixo e a batera. Isso era um domingo e a gravação pra valer do disco começava na segunda. Eu estava com o Fi no estúdio de cima e mostrei para ele essa música, comecei a cantar a melodia. Aí, falei: 'Fi, grava isso'. Pra mim, não era nem para o NX. Ele gravou e eu guardei no celular. Então, a gente gravou o disco inteiro e, quando terminou o disco, eu cantarolei essa música na hora de passar a voz. E o Diego falou: 'Nossa, vamos fazer uma letra para essa música!'. Ele fez a letra ali, na hora, e a gente já tinha gravado o CD inteiro. Nem mostramos a música pra ninguém. Mas ficou demais. Então, resolvemos mostrar para o pessoal. Nesse dia, estavam lá as meninas do Rouge, a Aline e a Karen. E as duas ouviram junto com o Rick. Ele adorou e falou: 'Espera aí, vamos botar um piano'. Ele começou a tocar e pediu para as meninas fazerem uma parte para a gente ouvir. Ficou demais e aí fechou! Na hora de gravar, achamos que faltava um violino. Então, o Erik Silver, o americano que gravou com a Nathália (CountryStar) fez o violino e mandou para gente. Isso é que foi legal dessa faixa: foi bem espontânea e teve a ajuda de todo mundo. Tem o vídeo dela."

Faixa 9: Tudo Bem
Gee: "Para esse CD, não fizemos 30 músicas e escolhemos 15. Fizemos exatamente as 14 e colocamos mais a do Lulu Santos. A gente achou que faltava uma música mais dançante, mais para cima. Aí, fizemos essa música. Colocamos até uns psicatos, que são uns efeitos, no começo. Na voz, quisemos fazer uma coisa mais moderna também, meio Fall Out Boys. E ficou bem legal."

Faixa 10: Nunca Mais
Gee: "Essa aqui também é das antigas, foi feita junto com Daqui pra Frente. Só que a gente deixou ela como uma das últimas pra gravar. Estava difícil, não sabíamos o que fazer com ela. Todo mundo ouvia e achava legal, mas faltava alguma coisa. Então, a gente acabou mudando umas coisinhas. Essa foi uma das músicas mais difíceis de fazer no estúdio para a banda."

Faixa 11: A Melhor Parte de Mim
Gee: "É bonita essa letra. Essa música foi feita no Rio de Janeiro. A gente foi fazer um show lá e estávamos num hotel de frente para o mar. Estávamos na sacada eu, o Di e o Fi. Aí, fizemos essa música. Depois trouxemos para o estúdio aqui e o Diego deu a idéia de colocar o piano. E o bacana dela é isso: rolou na estrada, numa viagem. E a letra que é bonita, eu me identifico com ela em relação ao NX Zero: quanto mais tudo acontece, mais é a gente que faz o futuro. Temos gravadora e mais um monte de gente que faz tudo acontecer, mas nós é que temos que fazer a correria, senão não vai para frente."

Faixa 12: Inimigo Invisível
Gee: "Essa é mais pesada. Uma vez a gente fez uma música para a Fórmula 1. Se você reparar, vai ver que é essa refrão aí. Adorava esse refrão e falei que a gente tinha que fazer uma música com ele. O Diego mudou a letra, claro. Então, ela já começou pelo refrão. A gente falou: 'Vamos fazer uma pesada, precisa ter uma pesada no disco, mais do que o normal do NX Zero'. Nessa aí, pensamos em chamar o Chorão. Mas não rolou. Como já tínhamos gravado com o Tulio Deck e as meninas do Rouge, achamos melhor deixar assim mesmo. O que foi difícil nela foi fazer a letra. O Diego escreveu a letra e falava de inveja. Ainda fala, mas antes era mais pesada. É uma história dele com um 'amigo' dele, que tem banda também. Então, o Di tinha feito essa letra meio que falando de como a gente sofre com a inveja. As coisas estão dando certo para gente, mas muitas pessoas ficam gorando. Aliás, o disco fala bastante disso: de inveja, do que estamos passando. E essa letra estava um pouco pesada para o NX Zero. Estava legal, mas pesada, não a nossa cara. Precisamos dar uma amenizada nas palavras, porque tinha até palavrão."

tt: O Diego escreveu com raiva.
Gee: "É! (risos) Acho que ele estava com raiva! Mas no final, deu tudo certo. Ela é um tipo de música que, quando estou dirigindo, é legal para ouvir no carro."

Faixa 13: O Destino
Gee: "Nessa em que eu gravei piano."

tt: Olha, esse um mês de aula rendeu, hein?
Gee: "Aula não, né? Tive que me virar (ele é autodidata quando o assunto é instrumento musical). Essa música é bem legal porque é meio reggae. Ela tem uma longa história... Foi difícil de fazer. Primeiro, como te falei, eu queria aprender a tocar piano para, pelo menos, fazer as músicas do disco e rolar tudo bem. E essa começou no piano, era só piano e voz. Mas aí no estúdio, nosso produtor falou: 'Vamos colocar uma banda aí'. E tentamos muita coisa até chegar a esse reggae. Colocávamos um monte de coisa e não achava legal. Aí, no final, fizemos o reggae no estúdio e deu certo. Gostei muito dela. Por mais que seja um reggae, muito diferente do nosso som, gostei dela. Acho que foi uma influência de quando a gente tocou com o Armandinho."

Faixa 14: Diferenças
Gee: "Essa é meio que do Fi, começou com ele fazendo esse som..."

tt: Parece Panic at the Disco.
Gee: "É! Antes de ela ter nome, a gente chamada de Panic."

tt: Esse “lalala” foi improviso do Diego?
Gee: "(risos). Coisa do Diego, né? Gostamos muito de The Used e Panic at the Disco. Então, a gente se inspirou nessas bandas e falamos: 'Vamos dar uma abusada nessa música, de detalhes'. Mas essa parte eu não conhecia, realmente ele fez na hora (risos). Legal é que no final ela tem um coro. É a música mais diferente do disco. Foi um pouco difícil também de gravar, pelo menos para mim, porque minha voz estava já no fim. Ouve mais... Parece um teatro aqui no fim, né? É bem final de disco mesmo."

Faixa 15: Apenas mais uma de Amor (Regravação do Lulu Santos)
Gee: "Fiquei muito feliz de gravar essa música no DVD, o que fez a gente pedir para o Lulu ao vivo e ele foi muito legal com a gente. Disse que seria um prazer. Estávamos no show do The Police, no Rio, nós e ele. Pedimos e ele autorizou na hora. A gente ouve as músicas do Lulu, Paralamas, etc. desde pequenos, né? E essa, em especial para mim, é uma das mais legais do Lulu. Todo mundo canta, a molecada, quando tocamos essa música no show, o pessoal pira. E tem a galera mais velha também que gosta de Lulu."

Entrevista: Lilian Rambaldi
Edição: Liliane Ito


 





     
Matérias anteriores:  
 


Shopping
Buscar Produtos:   
 MP3 Player A partir de R$59,90
Compare Preços
 Celular A partir de R$44,00
Compare Preços
 TV A partir de R$279,00
Compare Preços
 CD Marjorie Estiano Em 2x de R$ 11.20
VIDEOLAR.COM
Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005, Editora Alto Astral