Terça-feira, 26 de Outubro de 2004
Editorias
Capa
Cidades
Brasil
Internacional
Esportes
Polícia
Caderno Z
Colunistas
TodoDia Imagem
Fogo Cruzado
Charge
Opinião
Erramos
Editorial
Classificados
Cadernos
TodaGente
Triboz
Tevê
Veículos
Zzinho
Especiais
Social
Máxima
Dez
Barbarizando
Big'z
Novaz
Evidênciaz
Estiloz


Prefeitura distribui licenças

Arquivo/TodoDia Imagem
FINADOS: só venda de frutas
A Prefeitura de Americana distribui amanhã as licenças para comercialização de frutas nos Cemitérios do Parque Gramado e da Saudade, nos dia 1 e 2 de novembro. Os interessados devem comparecer, das 8h às 16h, na Rua Paschoal Ardito, número 1.221, bairro São Vito.



Mostra acontece no teatro

Arquivo/TodoDia Imagem
TEATRO MUNICIPAL: das 9h às 14h
A Secretaria de Promoção Social de Americana promove hoje, das 9h e às 14h, a 7ª Mostra de Talentos, no Teatro Municipal Lulu Benencase. No evento, serão apresentadas peças de teatro, música e dança pelas crianças e adolescentes que participam dos projetos da prefeitura.



Aberta 8ª Semana de Educação

Arquivo/TodoDia Imagem
SALIME: prestigia evento
A 8ª Semana de Educação de Nova Odessa foi aberta ontem com a participação de 200 profissionais e presença da vice-prefeita eleita Salime Abdo (PMDB). Com o tema “Refletindo sobre os caminhos da Alfabetização Integrada”, o evento pretende proporcionar momentos de reflexão e trocas de experiência.



Alagamentos nas ruas

Cleiber Ribeiro/TodoDia Imagem
DESABAMENTO: muro de Emei cai sobre calçada em Santa Bárbara
As chuvas registradas nos últimos dias na Região estão causando transtornos à população. As águas que precipitaram ontem foram suficientes para causar alagamentos. Em Santa Bárbara d’Oeste, o muro da Escola Municipal Tico Tico, em reforma, caiu sobre a calçada, no Jardim Europa. No local há um ponto de ônibus que estava sem ninguém no momento da queda.

Também em Santa Bárbara d’Oeste, um bueiro localizado na avenida Monte Castelo, em frente à prefeitura, quebrou e abriu um buraco na avenida. Na rua Tupis, do Jardim São Francisco, os veículos tiveram muita dificuldade em passar pelo local. Em Sumaré, a Avenida Rebouças também ficou alagada. De acordo com a prefeitura, o hábito das pessoas de jogar lixo no chão colabora para as enchentes. As cidades de Americana, Nova Odessa e Cosmópolis também registraram ruas alagadas com as chuvas.

De acordo com a previsão do tempo do Cepagri, hoje, a tendência é de permanência de chuvas moderadas a fortes, com momentos intercalados de sol entre nuvens. A partir de amanhã, de acordo com o Cepagri, o sol aparece em períodos maiores, com possibilidade de pancadas de chuva à tarde. (MT)



Defesa Civil está em alerta na Região

Bombeiros estão monitorando o Ribeirão Quilombo


Mário Tonocchi - Região

Arquivo/TodoDia Imagem
RIBEIRÃO QUILOMBO: nível da água está sendo monitorado por bombeiros de Sumaré e Campinas
A Defesa Civil Estadual, em Campinas, está monitorando as moradias em áreas de risco na RMC (Região Metropolitana de Campinas), onde existem, segundo estudos do Nesur (Núcleo de Economia Social, Urbana e Regional da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), 140 mil pessoas. A informação do monitoramento visa a retirar os moradores das áreas de risco antes de catástrofes provocadas pelas chuvas fortes que caem nesse período. Essas habitações, instaladas principalmente na beira de córregos que atravessam as cidades, estão fundamentalmente emCampinas, mas também espalhadas nas cidades de Hortolândia, Sumaré, Santa Bárbara d’Oeste e Cosmópolis.

O monitoramento, de acordo com o coordenador-geral da Defesa Civil estadual Sidney Furtado, faz parte dos estudos de implantação dos planos de contingência para a “Operação Verão”, que deve ser implementada na região de Campinas a partir do dia 1º de dezembro deste ano. Segundo o coordenador, amanhã acontece um treinamento com todos os representantes de cada Defesa Civil instalada nas cidades para aprimorar os planejamentos de ações em caso de emergências e catástrofes.

Na Região, os Bombeiros de Campinas e Sumaré estão vigiando constantemente o Ribeirão Quilombo, que nasce na área da Escola de Cadetes, em Campinas, e atravessa os municípios de Hortolândia e Sumaré. “O ribeirão está muito cheio. Até o momento (início da tarde de ontem), não recebemos nenhum chamado mas estamos esperando alguma ocorrência a qualquer momento”, disse o supervisor de equipes do Corpo de Bombeiros Municipal de Sumaré, José Cláudio Galdino.

Segundo o levantamento do Nesur, das pessoas que moram em área de risco na RMC, somente Campinas detém 127 mil. Sumaré, de acordo com o estudo, possui 4,03% de sua população, 7.931 pessoas, vivendo em aglomerados subnormais de habitação, enquanto Hortolândia tem 2.934 moradores em cinco núcleos. A Região também possui moradores em áreas de risco nas cidade de Santa Bárbara d’Oeste, com 1.960 pessoas em cinco núcleos, e 489 em Cosmópolis.

As chuvas que estão caindo nessa época, na Região, segundo a pesquisadora do Cepagri (Centro de Ensino e Pesquisa em Agricultura) da Unicamp, Ana Ávila, são normais e decorrentes de frentes frias que chegam da região Sul do Brasil. De acordo com a pesquisadora, o período de águas tende a continuar com dias mais ou menos chuvosos. Ontem, por exemplo, foi registrada chuva de capacidade moderada a forte, com queda de 34 milímetros e ventos de 73 Km/h. Uma chuva forte, entretanto, chega a marcar entre 80 a 100 milímetros.


NOVA ODESSA


Vereadores derrubam lei que regulamentou a CIP

Câmara rejeitou ontem veto do prefeito sobre a revogação da lei


Erika Santiago - Nova Odessa

Arquivo/TodoDia Imagem
CÂMARA DE NOVA ODESSA: veto rejeitado por unanimidade de votos
A Câmara de Nova Odessa, que aprovou, em dezembro de 2002, a implantação da CIP (Contribuição de Iluminação Pública) no município, derrubou ontem o veto do prefeito Simão Welsh (PTB) sobre o projeto de lei que revoga a lei que instituiu a cobrança. Ontem, na sessão da Câmara, o veto do prefeito foi rejeitado por unanimidade. Durante o período de 2003 e 2004, a lei 1.897/02 garantiu aos cofres municipais de Nova Odessa R$ 980 mil com a CIP, arrecadação esta proveniente do desconto direto nas contas de energia dos munícipes. A arrecadação com a CIP está prevista no orçamento da prefeitura para 2005. Com o veto, a peça orçamentária que está tramitando na Câmara terá que ser revista.

Dos R$ 980 mil previstos com a arrecadação da CIP, pelo menos R$ 880 mil são destinados ao pagamento de iluminação pública e os R$ 100 mil restantes investidos em melhorias no próprio sistema. O assessor jurídico da prefeitura, Maurício Pavan, acompanhou a votação ontem e disse que agora o prefeito poderá recorrer judicialmente da decisão. “Provavelmente o Executivo ingresse com um pedido de inconstitucionalidade do veto ou apresente, ainda este ano, algum projeto de reajuste de imposto como o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para compensar a perda dessa receita”, comentou.

ELEITORAL

Em Nova Odessa, a CIP foi tema de discussão durante a campanha eleitoral e então candidatos a prefeito Manoel Samartin (PDT), Nilton Amâncio (PT) e Fábio Martins (PSDB) declararam-se favoráveis à revogação da contribuição, que equivale ao desconto de 10% sobre o consumo total da conta de luz ou limitado ao máximo de R$ 30. O prefeito eleito não quis comentar o assunto, já que tem um recurso sobre sua candidatura no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e aguarda o julgamento.

Nova Odessa gasta, mensalmente, em torno de R$ 80 mil com iluminação pública e entre os projetos propostos com a arrecadação da CIP estão a iluminação da Rodovia Astrônomo Jean Nicolini, que liga Nova Odessa a Americana, até a altura do viaduto da Rodovia Luiz de Queiroz. Neste caso serão investidos R$ 120 mil, mas que agora dependerão de um remanejamento da receita, já que a revogação da lei é válida a partir de janeiro de 2005.



Aprovados dois novos loteamentos

Dois novos loteamentos foram aprovados ontem na Câmara de Nova Odessa, em regime de urgência. São 411 novos terrenos, dos quais, 306 pertencem ao Residencial Imigrantes, na extensão do bairro Bela Vista, e outros 105 à Vila Novos Horizontes, próximo ao Marajoara.

A votação foi marcada por longas discussões quanto à possibilidade de os novos loteamentos causarem problemas no abastecimento do município. Mesmo tendo o aval dos técnicos da Coden (Companhia de Desenvolvimento de Nova Odessa), os vereadores da oposição tentaram barrar a votação, mas não sem êxito, já que 11 vereadores da base de sustentação ao prefeito Simão Welsh (PTB) foram favoráveis aos projetos.

Os vereadores Antônio Marco Pigato (PT) e Carlos Humberto Turcato (PSB) rejeitaram a proposta alegando que não houve tempo para analisá-la melhor. “São dois loteamentos aprovados em regime de afogadilho. As questões da água e do esgoto são essenciais e não podem ser tratadas dessa forma. Rejeito tendo em vista que não se promoveu uma análise mais adequada do tema”, observou o petista.

Momentos antes da votação dos novos loteamentos, o vereador José Pereira (PPS) pediu vistas de um projeto de autoria do vereador Valdir Gonçalves do Prado (PDT), que suspende a aprovação de loteamentos na Câmara até que seja feita uma revisão no Plano Diretor no município. Para ele, já que seu projeto foi retirado da pauta, o jeito foi aprovar os novos empreendimentos.

O diretor-presidente da Coden, Mauro Borgatto, disse ao TodoDia que os dois projetos aprovados ontem na Câmara não irão “estrangular” o sistema de abastecimento da cidade. Hoje, o município conta com 46.180 habitantes e a Coden tem estrutura para abastecer até 65 mil pessoas, informou Borgatto. “Temos condições de atender a essa nova demanda sem prejudicar o abastecimento”, garantiu.

(ES)


SUMARÉ


Acidente mata diretor da prefeitura

Cristiani Custódio - Sumaré

Um acidente de carro, na noite de sábado, no Vale do Paraíba, resultou na morte do diretor administrativo da Secretaria de Recursos Humanos da Prefeitura de Sumaré, Milton Giácomo, 59. Giácomo, que já exerceu os cargos de chefe de gabinete e diretor-presidente do DAE (Departamento de Água e Esgoto) de Sumaré na gestão do prefeito Dirceu Dalben (PPS), estava em companhia do comerciante Orivaldo Caron, proprietário da Relojoaria Caron, de Sumaré, quando o carro em que viajavam capotou na pista.

De acordo com a esposa de Caron, Consuelo Souza, Giácomo e o comerciante estavam a caminho de Barra do Chapéu (SP), na região do Vale do Paraíba, onde a família Caron possui um sítio. Segundo ela, os dois estavam levando materiais de construção para o sítio, quando um cachorro entrou na frente do carro, conduzido pelo comerciante. Caron perdeu o controle e o carro tombou e capotou na estrada, parando no acostamento. O comerciante, que fraturou uma costela e a clavícula, conseguiu sair do carro para pedir ajuda.

Consuelo disse ainda que o marido tentou tirar o amigo das ferragens, mas que estava sentindo muitas dores. Pelo fato de a estrada onde ocorreu o acidente ser pouco acessada por motoristas, o socorro chegou apenas seis horas após o acidente. Ambos foram socorridos ao Hospital Municipal de Apiaí (SP), onde foi confirmada a morte de Giácomo. De acordo com laudo médico, ele morreu por asfixia. Caron foi transferido ao Hospital da Unimed de Sorocaba e liberado ontem pela manhã.

Milton Giácomo foi chefe de gabinete da Prefeitura de Sumaré e presidente do DAE, durante primeiro mandato do prefeito Dirceu Dalben (PPS), entre 1997 e 2000. Seu corpo foi sepultado ontem, às 10h, no Cemitério da Saudade em Americana, onde reside a família.


HOLAMBRA


Alta de Capato é transferida para amanhã

Alenita Ramirez - Holambra

A alta médica do prefeito de Holambra, Celso Capato (PFL), que estava prevista para ontem, só deverá ocorrer amanhã. Ontem, Capato passou por uma série de exames de avaliação. De acordo com a assessoria de imprensa do Centro Médico de Campinas, o prefeito se recupera bem e já está andando no quarto.

A Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Holambra informou que o Executivo vai aguardar o posicionamento oficial do médico de Capato, antes de tomar qualquer decisão. Entretanto, adiantou que, provavelmente, será enviado nesta semana à Câmara, pedido de licença temporária do prefeito.

Capato foi internado no Centro Médico de Campinas, no último dia 16, após sofrer um acidente de carro, na Rodovia SP-107, que liga Artur Nogueira a Santo Antônio de Posse, próximo ao trevo que dá acesso a Cosmopólis. O prefeito teve dez costelas quebradas e sofreu fraturas múltiplas no braço e perna direita.


TEARES


Projeto de isenção de taxa de esgoto volta à sessão

Solange Strózzi - Americana

O projeto de lei que regulamenta a isenção de taxa de esgoto para empresas têxteis que utilizam teares a jato de água, em Americana, volta à ordem do dia da sessão da próxima quinta-feira. Ontem, a comissão, composta por técnicos ambientais, empresários do setor têxtil e representantes do Poder Público de Americana, definiu que a isenção será mantida proporcionalmente ao investimento em reutilização da água utilizada nos teares, mas o prazo de adequação e a quantidade mínima de água reutilizada ainda não foram definidos.

O projeto, de autoria do vereador Alexandre Romano (PT), prevê que a isenção seja mantida, desde que os empresários invistam em recursos para a redução do consumo de água e reaproveitamento de, pelo menos, 50% da água utilizada no processo de produção de tecidos sintéticos. “Segundo o DAEE (Departamento de Água e Energia Elétrica), no início de 2003 se captava 116 litros por segundo. Em 2004 este número saltou para 264”, explicou o assessor técnico e engenheiro da Câmara, Vitor Coelho. “O percentual de ‘reuso’ da água que a empresa deve ter para gozar da isenção e o prazo necessário para a implantação da cobrança são alguns dos parâmetros a serem estudados pelos membros da comissão”, disse Romano.


HORTOLÂNDIA


Empresas deixam obras inacabadas

Mutuários tentam na Justiça reaver dinheiro investido em condomínios residenciais fechados


Arthur Jorge Trevisoni - Hortolândia

Fotos: Cleiber Ribeiro/TodoDia Imagem
DESCASO: apartamentos deixados inacabados por construtoras são ocupados pelos proprietários
O sonho de possuir um imóvel próprio pode muitas vezes esbarrar no descaso das construtoras e na falta de fiscalização por parte do MP (Ministério Público). É o caso de muitas famílias da Região, que adquiriram apartamentos em condomínios residenciais de Hortolândia e que hoje acompanham a ação do tempo agindo contra todo o dinheiro investido. Dos 11 empreendimentos aprovados pela prefeitura desde 1993, quatro deles estão com as obras paradas.

A maioria dos prejudicados busca na Justiça, com processos individuais, um acordo com as construtoras para que sejam ressarcidas dos prejuízos. Só no Fórum de Sumaré, que responde por Hortolândia, são ao todo 51 processos pedindo rescisão de contrato e a devolução da importância paga. Alguns deles até foram arquivados ou retirados pelos advogados.

Segundo o promotor da Habitação, Urbanismo e dos Direitos do Consumidor de Sumaré, Ricardo Ferracini Neto, para que o MP possa atuar, é preciso que a denúncia seja conhecida através dos próprios prejudicados ou até mesmo por terceiros. Ou então, ser remetido por algum juiz que constatar as irregularidades. “Teoricamente as irregularidades despertam o interesse do MP, em relação à defesa dos direitos do consumidor. Porém, é preciso que haja um embasamento social para que atuemos nesse sentido”, explicou o promotor.

Dos quatro condomínios que estão com as obras emperradas, dois deles não possuem sequer o habite-se, casos do Condomínio Residencial Monte Carlo, no Jardim Adelaide e do Condomínio Residencial Di Mônaco, no Jardim Rosolen. Ambos são de responsabilidade da construtora Barroso Comércio e Construção, de Campinas. Os outros dois são o Condomínio Céu Azul 3 e o Condomínio Colinas de Hortolândia.

No Condomínio Di Mônaco, muitos mutuários não viram o futuro apartamento sair do chão, já que somente 63 dos 100 apartamentos foram “entregues”. “Para conseguirmos as chaves foi preciso pressionar a construtora, que mesmo assim entregou os apartamentos semi-acabados, contrariando o que estava previsto no contrato”, declarou o porteiro Sebastião Pedro Alves, que reside no condomínio.

Ainda segundo o promotor da Habitação de Sumaré, o tempo para entrega dos imóveis, que deve constar no contrato entre a construtora e os consumidores, não pode ser abusivo. Mas enfatiza que “a não entrega dentro do prazo já caracteriza descumprimento de contrato”.

A reportagem do TodoDia tentou durante toda a semana entrar em contato com as construtoras Barroso Comércio e Construção, Formaggio Construtora e Incorporadora Ltda, além da Pranchas Projetos e Construtora Ltda, responsável pelas obras do Colinas de Hortolândia, mas todos os telefones constavam como inexistentes.



OBRAS: em andamento em um dos quatro condomínios, cujo atraso deixa mutuários indignados




Todo cuidado é pouco

Especialistas em Direito Público avisam: é preciso tomar precauções antes de assinar o contrato de compra de um imóvel. Segundo o diretor do Procon (Fundação de Proteção ao Consumidor) de Hortolândia, Otagamis Alves de Queiroz, é importante que o interessado em adquirir um apartamento, visite outros empreendimentos que estão sendo construídos pela construtora no município e verifique no Cartório de Registro de Imóveis, se realmente existe o registro da incorporação do empreendimento. “Veja também se a construção foi aprovada pela prefeitura e se existe alguma reclamação no município em relação a construtora responsável pela obra”, declarou Queiroz.

Segundo o Procon, as reclamações mais freqüentes envolvendo construtoras são exatamente pelo atraso na entrega dos imóveis e o não cumprimento de cláusulas contratuais. A lei é clara, quem compra um imóvel tem direito à indenização por prejuízos decorrentes de atraso no prazo combinado. Por isso, ao adquirir um imóvel, seja ele na planta ou em construção, os especialistas disseram ser importante guardar os folhetos de publicidade distribuídos nas ruas e em estandes da empresa. Quando necessários, eles servem como documento de prova contra irregularidades no cumprimento de acordo. (A.J.T)


AMERICANA


Construtora negocia com moradores do ‘Mário Covas’

Solange Strózzi - Americana

A construtora Jabali Aude S/A, responsável pela construção dos imóveis do conjunto habitacional “Governador Mário Covas”, em Americana, negocia com os moradores o ressarcimento dos prejuízos causados por inundações no dia 19 de setembro. A associação de moradores classifica a tentativa como uma maneira de evitar manifestações, já que os mutuários ameaçavam recorrer à Justiça. O protocolo da ação judicial depende agora de uma nova vistoria, que deve ser realizada pela construtora e pela CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional Urbano) nos próximos dias.

De acordo com moradores do conjunto, que esperam há mais de um mês um posicionamento do órgão estadual, os técnicos da construtora estiveram no local quinta-feira passada e fizeram propostas de valores para o ressarcimento.

A dona de casa Maria de Lurdes Machado Vieira contou que recebeu uma proposta de R$ 300, feita por um homem que fez vistorias nas casas da sua rua, mas não soube dizer a quem ele representava. Uma vizinha de Lurdes, que não quis se identificar, disse que também recebeu a proposta e que o carro da pessoa era da construtora.

O presidente da associação de moradores, Ezequias de Carvalho, disse estranhar que alguém da construtora fosse oferecer dinheiro aos moradores. “Se fosse para indenizar, teria vindo alguém da seguradora contratada pela CDHU”, disse. O vice-presidente da associação, Marcos Mesquita, afirmou que irá esperar o resultado da nova vistoria. “Se a CDHU disser que não vai substituir as telhas, vamos à Justiça, mas preferíamos que houvesse um acordo amigável”, contou.

A realização de uma nova vistoria foi confirmada ontem pela CDHU, por meio da assessoria de imprensa, que também esclareceu que o dinheiro oferecido representava uma proposta de ajuda de custo aos mutuários prejudicados.

A construtora Jabali Aude S/A foi procurada pela reportagem mas nenhum responsável foi localizado.


ZUMBI DOS PALMARES


Famílias da ocupação podem ficar sem casas populares

Gisele Rodrigues - Santa Bárbara d’Oeste

Famílias da ocupação Zumbi dos Palmares, em Santa Bárbara d’Oeste, que estão com o nome no SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) poderão ficar de fora da lista de contemplados com casas populares conquistadas com recursos do governo federal. O Ministério das Cidades aprovou a liberação de R$ 1,236 milhão para o projeto da Facesp (Federação das Associações Comunitárias do Estado de São Paulo) de construção de 103 casas na ocupação. Os recursos serão financiados pela CEF (Caixa Econômica Federal) individualmente para cada família beneficiada através do Crédito Solidário.

Anteontem, foi realizada uma reunião entre representantes da Facesp e as famílias da ocupação para explicações de como será o financiamento. De acordo com a presidente da associação de moradores da ocupação, Julieta de Souza, o financiamento é destinado para famílias com renda de zero a cinco salários mínimos e a seleção dos contemplados será feita pelo banco. “Não sou eu, não é a Facesp, é a Caixa Econômica Federal que vai decidir quem vai ter o financiamento”, salientou a presidente.

As famílias que estão com nome no SCPC terão 60 dias para “limpar o nome”, caso contrário, não conseguirão obter o financiamento. Segundo Julieta, o prazo começou a contar anteontem.

No dia 21 de novembro será apresentada a lista com os nomes das pessoas que poderão obter o financiamento. As pessoas que têm casa estarão fora da lista.

Outro problema que a concretização do sonho da casa própria das famílias do Zumbi dos Palmares enfrenta é a realização da infra-estrutura do loteamento. Para a CEF liberar o financiamento, a prefeitura precisa garantir a realização da infra-estrutura básica (rede de água, esgoto, energia e asfalto). Mas a garantia continua indefinida.


LOTEAMENTO


Advogado vai pedir revogação de lei

O autor do pedido de impugnação do loteamento fechado Terras di Siena, em Santa Bárbara d’Oeste, vai pedir a revogação da lei que aprovou o empreendimento. A proprietária do loteamento, Fenix Empreendimentos S/A, pediu o arquivamento do registro de matrícula do loteamento após o advogado Gilberto Colla pedir sua impugnação. Segundo informações do Cartório de Registros de Imóveis, esta foi a primeira vez na cidade que uma empreendedora desiste de um loteamento na cidade após pedido de impugnação do registro de matrícula.

“Só estou aguardando a notificação do cartório. Pretendo enviar para o prefeito para que ele revogue a lei”, informou Colla. O advogado ressaltou que caso Álvaro não revogue a lei que aprovou o loteamento fechado Terras di Siena, ele irá recorrer à Justiça.

Colla pediu a impugnação do loteamento fechado no dia 1º de outubro, quando estava em fase de publicação do registro do empreendimento. No dia 15 deste mês, a empresa protocolou um requerimento no cartório solicitando o arquivamento do processo, desistindo do loteamento. O empreendimento já estava com ruas abertas e postes de iluminação instalados.

No pedido de impugnação do loteamento, Colla também solicitou a responsabilização do prefeito Álvaro Alves Corrêa (PMDB) por improbidade administrativa.

A principal justificativa do advogado para a impugnação é a infração do direito de ir e vir previsto na Constituição Federal, já que o empreendimento interromperia a continuação de várias ruas do Jardim Panambi. (Gisele Rodrigues)


FATAL


Tanque cai e causa morte de criança

Menino de 1 ano e 11 meses pendurou-se na peça de cimento, que não estava fixada na parede


Maria Ângela Alves - Hortolândia

Arquivo/TodoDia Imagem
HOSPITAL MARIO COVAS: criança não resistiu aos ferimentos
O menino David Gabriel Nascimento, de um ano e onze meses, morreu anteontem, vítima de um acidente doméstico, em Hortolândia. David estava brincando quando um tanque de lavar roupas caiu sobre seu corpo, esmagando-o contra o chão. O caso aconteceu na residência da família do garoto, localizada na Rua 6 do bairro Novo Horizonte. A médica pediatra Ednéia Mirian Barbosa Torino alerta os pais para os riscos encontrados dentro de casa. (leia texto ao lado)

De acordo com o boletim de ocorrência registrado no Plantão Policial de Hortolândia pelo pai da criança, o pedreiro, Carlos Roberto Francisco Nascimento, 41, o acidente que vitimou a criança aconteceu às 9h do domingo. O pedreiro disse que no momento do acidente, ele estava com familiares e outras crianças, irmãos da vítima, dentro de sua residência. Segundo relatou aos policiais que registraram a ocorrência, o menino saiu de sua casa sem que os pais percebessem e foi para o quintal, onde se pendurou no tanque de lavar roupas, que virou sobre seu corpo.

Nascimento explicou na delegacia que o tanque não estava chumbado na parede e por isso caiu com o peso do menino. A criança foi socorrida pelo próprio pai até o Pronto Socorro do Hospital e Maternidade Mário Covas, onde foi medicado, mas não resistiu aos ferimentos, falecendo no mesmo dia.

Vizinhos da família ouvidos pela reportagem disseram que o tanque que caiu sobre a criança era de cimento e que na residência onde ocorreu o acidente moram várias crianças. Eles contaram que o tanque caiu sobre o peito do garoto e que por ser muito pesado, provocou grave ferimento interno.

O menino passou por exame de necrópsia no IML (Instituto Médico Legal) de Americana na tarde de anteontem e foi sepultado ontem, às 13h, no Cemitério da Saudade, em Sumaré. O TodoDia não conseguiu contato com os pais da criança ontem.



Médica faz alerta

A pediatra Ednéia Mirian Barbosa Torino, de Americana, alerta para os perigos dos acidentes domésticos. Segundo a médica é muito comum os acidentes com crianças dentro de casa. De acordo com a especialista, que atua na rede pública de saúde, os acidentes domésticos mais comuns envolvem a ingestão de produtos químicos e de pequenos objetos, como botões e moedas.

Ednéia diz que os pais devem ficar atentos a tudo que cerca as crianças. Tomadas devem ter os protetores adequados para evitar choques. Brinquedos pequenos devem ser guardados em locais de difícil acesso. “Muitas vezes os pais estão no segundo filho. O brinquedo de uma criança mais velha pode ser um grande problema para um bebê”, diz a médica. Um exemplo disso são os diversos casos registrados em consultórios médicos de crianças que engasgam ou até mesmo asfixiam com pequenos brinquedos, tampas de caneta e botões. Moedas também estão na lista dos objetos perigosos.

Atenção especial também deve ser dedicada aos produtos de limpeza. Segundo a médica, muitos pais colocam os produtos em embalagens que chamam a atenção ou que são usados no dia-a-dia, como pets de refrigerante, por exemplo. “A criança não sabe que aquilo é produto de limpeza e bebe”, alerta Ednéia. Outro cuidado a ser tomado em relação a estes produtos é jamais deixá-los em locais baixos, de fácil acesso, e destampados.

Tesouras, lápis e caneta também são materiais perigosos já que são objetos pontiagudos e que podem atingir os olhos, por exemplo. Outros alertas são para plantas, que podem ser tóxicas e para água. “Muitas vezes a mãe está lavando roupa e deixa o balde com água do lado. Pronto, a criança pode cair e se afogar”. A mesma atenção vale para banheiras, piscinas e tanques. A médica orienta ainda que, em qualquer caso de acidente doméstico, a criança deve ser levada imediatamente ao pronto socorro mais próximo. (Cristiani Custódio)


AMERICANA


Conselho inicia investigação do caso de abuso na Emei

Solange Strózzi - Americana

O pai do garoto de cinco anos que sofreu violência sexual numa Emei (Escola Municipal de Ensino Infantil) da região do bairro São Vito, em Americana, disse ontem que vai transferir o menino para uma escola particular. A medida visa distanciar a criança do local onde a violência foi praticada. A denúncia de que o crime sexual foi cometido por companheiros de classe do garoto, dentro da escola, foi feita pelo pai da criança quarta-feira passada e o Conselho Tutelar ficou responsável por conduzir a apuração de responsabilidades.

Ontem, o menino foi ouvido pela psicóloga da conselho. O pai da criança reclamou por não ter sido ouvido pela psicóloga, junto com a esposa, e disse desconfiar que o órgão esteja tentando “abafar o caso”.

A presidente do Conselho Tutelar, Maria Inês Lasperg, informou que os pais do menino não foram ouvidos ontem porque chegaram atrasados, mas que a entrevista com eles deve ser agendada para outro dia. Os procedimentos para apuração de responsabilidades, segundo Maria Inês, serão mantidos em sigilo.

O pai do menino, que tem sua identidade preservada, registrou boletim de ocorrência no plantão policial, quarta-feira passada, depois de conduzir o filho ao Pronto Socorro do Hospital Municipal “Dr. Waldemar Tebaldi”, por queixas de dores nas nádegas. O exame do IML (Instituto Médico Legal) comprovou a violência.

Segundo depoimento do pai, o garoto teria apresentado alterações de comportamento e, depois de pressionado, afirmou que colegas de escola estariam introduzindo o dedo em seu ânus, no banheiro da escola, e até mesmo dentro da sala de aula.

Como o pai do garoto acusou três crianças de terem cometido a violência, o caso deverá ser acompanhado apenas pelo Conselho Tutelar, como determina o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).


Allisson Roberto/TodoDia Imagem
TRANSTORNO: o mecânico Juarez Ângelo Pedroso, 42, caiu com o carro em um buraco aberto pela Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), ontem à noite, na Rua Bolívia, situada no Jardim Santa Clara do Lago 2, em Hortolândia. O mecânico explicou que estava indo levar o veículo para seu cliente (dono do automóvel), quando caiu no buraco. “Aqui é perto da lagoa. Pensei que fosse sombra das árvores, mas era terra. Quando vi, o carro já estava aqui”, afirmou. O mecânico acionou a Sabesp, já que a obra foi feita devido a um cano furado que fora arrumado durante o dia. Na Sabesp, foi informado que a responsabilidade era da prefeitura. “Não saio daqui enquanto alguém da prefeitura ou da Sabesp vier. É um absurdo uma situação destas numa rua”, concluiu Pedroso, que permaneceu no local até o fechamento desta edição.


TodoDia nos Bairros


Imóvel abandonado gera preocupação

Solange Strózzi - Americana

Allisson Roberto/TodoDia Imagem
CASA VAZIA: mato e entulho estão se acumulando no imóvel
O acúmulo de lixo e o crescimento de plantas em um imóvel localizado na Rua Juruá, no bairro São Roque, em Americana, tem causado preocupação à auxiliar de escritório Leila Maria Rublio, que mora nas proximidades do local. A moradora afirmou que tem notado a proliferação de animais peçonhentos pelo bairro, como ratos e baratas e atribui o fato ao abandono do imóvel.

“Tenho medo que comecem a aparecer cobras e outros animais perigosos, porque ninguém toma uma providência para limpar aquele local”, reclamou. A auxiliar disse não conhecer os proprietários, que abandonaram a casa e não providenciam a manutenção.

De acordo com Leila, o ponto tem sido usado como depósito de entulhos por algumas pessoas do próprio bairro, que já chegaram a jogar restos de material para construção no terreno e sacolas com lixo doméstico. “Isso sem contar as pessoas que jogam animais mortos lá dentro e fica um cheiro terrível na região”, protestou.

A auxiliar e os vizinhos procuraram a identificação do proprietário para pedir providências, mas não conseguiram contato, nem pelo endereço, nem pelo telefone fornecidos por moradores mais antigos do bairro.

Segundo ela, os moradores já fizeram reclamações junto à prefeitura e procuraram, também, alguns vereadores, para buscar soluções, mas, até agora, não tiveram resultados positivos. “Enquanto isso, ficamos aqui, convivendo com esses bichos e esperando o dia em que vamos abrir a porta e encontrar uma cobra ou um escorpião passeando pela nossa rua. Alguém tem que tomar alguma providência”, revoltou-se.

Resposta

A Prefeitura de Americana informou, por meio da assessoria de imprensa, que fiscais da administração irão até o local para constatar o abandono do imóvel. Um levantamento junto ao setor de cadastro poderá indicar o proprietário, que será notificado para providenciar a limpeza e, se não fizer isso dentro do prazo estipulado, poderá ser multado. O não pagamento da multa implica na inclusão do nome do proprietário no cadastro da dívida ativa da prefeitura.


Santa Casa


Laboratório funciona precariamente

Morador denuncia falta de estrutura e higiene em serviço de Saúde; Vigilância Sanitária foi alertada


Gisele Rodrigues - Santa Bárbara d’Oeste

Cleiber Ribeiro/TodoDia Imagem
ESTRUTURA: laboratório da Santa Casa de Misericórdia funciona sem condições adequadas
A situação precária do laboratório de coleta de material para análises clínicas da Santa Casa de Misericórdia de Santa Bárbara d’Oeste provocou indignação de um munícipe na semana passada. O serviço funciona em uma casa alugada, na Rua Sebastião Franchi, há cerca de dois anos, por onde passam diariamente cerca de 100 pessoas para realização de exames de urina, fezes e sangue. Um barbarense, de 31 anos, que pediu para ter seu nome preservado, tentou alertar a Vigilância Sanitária sobre as condições do local, mas foi informado que a equipe iria ao local apenas se ele fizesse a denúncia por escrito e protocolasse o documento. Os pacientes atendidos na casa são enviados pela rede municipal de Saúde através do SUS (Sistema Único de Saúde).

Nos dois banheiros existentes para coleta não há pia para lavar as mãos e sequer apoio para a embalagem de coleta. Do lado de fora, há um antigo bebedouro com duas torneiras funcionando, que serve de apoio para baldes e também para lavagem das mãos. Além da estrutura inadequada, o morador reclama da higiene do local. “A enfermeira, com luva, pegou meus potes e foi fazer coleta de sangue de outra pessoa com a mesma luva”, relatou o morador.

O presidente do Conselho Deliberativo da Santa Casa, Tércio Rodrigues, afirmou que existem problemas no local, mas a nova administração do hospital está cuidando para solucioná-los. A entidade está procurando com urgência um novo lugar para abrigar o laboratório. “No mais breve espaço de tempo estará sendo mudado de local”, assegurou o presidente. Tércio ressaltou que com relação aos problemas de higiene, os funcionários estão sendo orientados no manuseio dos materiais.

O secretário de Saúde, Luís Fernando Mitsuo Maeda, negou que a Vigilância Sanitária esteja se negando a vistoriar o local. De acordo com Maeda, o órgão vistoria locais após reclamações protocoladas no setor. “Todos os processos são baseados em denúncias por escrito. São normas internas da vigilância. Se não tiver denúncia por escrito, a equipe não pode ir”, alegou o secretário. Na denúncia protocolada, o denunciante tem que se identificar, mas a vigilância garante o sigilo da autoria da reclamação. Maeda ressaltou que o munícipe foi orientado a registrar sua denúncia.


Arquivo/TodoDia Imagem
MAEDA: secretário de Saúde negou omissão da Vigilância Sanitária



RUMORES


Ripasa pode negociar parceria, fusão ou venda

Arthur Jorge Trevisoni - Região

A indústria de papel e celulose Ripasa pode estar negociando uma parceria, a fusão ou sua venda para outras três grandes empresas do ramo. Com capacidade para produzir 700 mil toneladas de papel por ano e com um capital social avaliado em mais de US$ 300 milhões, a empresa não confirma as negociações. Entretanto, na sexta-feira, o diretor financeiro do grupo, Romeu Alberti Sobrinho, fez um comunicado na Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo) onde afirmou que “alternativas visando o crescimento da empresa, não só parcerias ou fusões, podem ser estudadas”. O diretor porém, não divulgou os nomes das empresas que estariam interessadas em adquirir a Ripasa, que tem unidade localizada em Limeira, no limite com Americana.

Reportagem publicada semana passada no jornal Valor Econômico, informou que a brasileira Suzano Bahia Brasil, juntamente com a sueco-finlandesa Stora Enso e a americana IP (International Paper), estariam na disputa pela Ripasa, que possuí também fábricas em Embú das Artes (SP) e Cubatão (SP).

Se confirmada as negociações, essa não será a primeira vez que as famílias Zogbi, Derani e Zarzur, que mantém 97,7% das ações da Ripasa através de um holding, buscam outros caminhos para a empresa. No final dos anos 90, quando o grupo enfrentava uma crise financeira, os acionistas decidiram por a Ripasa à venda. No entanto, as famílias recuaram e mantiveram o controle da empresa. As “possíveis interessadas”, por sua vez, informaram através de suas assessorias de imprensa, que não iriam comentar “rumores”, respeitando políticas internas.

O assunto voltou à tona depois que as ações preferenciais da Ripasa apresentaram altas sucessivas, 30,5% só este ano, superando a evolução da Ibovespa, de apenas 3,7%.

Fundada em 1959, a Ripasa recebeu nos dois últimos anos, investimentos de US$ 250 milhões em recursos oriundos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), operações de pré-pagamento e caixa próprio. A sua compra representaria um crescimento para quem já está consolidado no mercado nacional, como é o caso da Suzano, e uma oportunidade para ampliar os negócios no Brasil, intenções da Stora Enso e IP.



Suzano quer ampliação

Arquivo/TodoDia Imagem
RIPASA: 700 mil toneladas de papel ao ano e capital de US$ 300 milhões
Favorecida principalmente pelo desempenho no mercado interno, a Suzano Bahia Sul teria interesse em realizar uma fusão com a possível compra da Ripasa, o que a tornaria uma das maiores empresas do ramo no Brasil. Por conta disso, a companhia ampliou sua produção na fábrica de Suzano (SP) e vem registrando lucros anuais sucessivos, apostando no baixo custo do frete e margens de lucro maiores.

A americana IP (International Paper) já está no Brasil há 44 anos e possui filiais em Mogi Guaçu (SP), Arapoti (PR) e Santana (AP). Segundo dados da Bracelpa (Associação Brasileira de Celulose e Papel), o grupo comercializou, em 2003, cerca de 700 mil toneladas de papel.

Já a sueco-finlandesa Stora Enso é a maior produtora de papel do mundo, com capacidade para produzir 15 milhões de toneladas de papel por ano. Em parceria com a Aracruz Celulose, a empresa deve concluir no próximo ano, a construção de uma fábrica de celulose em Eunápolis (BA) que recebeu investimentos de US$ 1,2 bilhão.

(AJT)


FISCALIZAÇÃO


Templos evangélicos são intimados

Três templos evangélicos de Santa Bárbara d’Oeste que funcionavam clandestinamente foram intimados pelo Setor de Fiscalização Obras e Posturas da prefeitura a regularizar a situação. Se os templos voltarem a funcionar sem alvará, sofrerão as penalidades previstas em lei. “Serão lacrados se voltarem a funcionar sem autorização”, salientou o chefe do setor, Jurandir João Franco.

A fiscalização foi feita durante a noite do último sábado, a partir das 20h30. A blitz também fechou um bar no Jardim Europa que estava funcionando além do horário permitido.

De acordo com o chefe da fiscalização, a blitz nos três templos, um no bairro 31 de Março e dois no Parque Residencial do Lago, foi realizada em função de reclamações de vizinhos. “Eles não tinham alvará e o som estava excessivo”, justificou Franco. O chefe da fiscalização acrescentou que as igrejas foram intimadas a regularizarem a situação e enquanto não estiverem com o alvará de funcionamento definitivo não poderão utilizar o som.

Os templos estavam funcionando há cerca de 60 dias, sendo que dois deles, no Parque Residencial do Lago, estavam localizados na mesma rua, distantes cerca de 300 metros um do outro.

Os três estabelecimentos podem solicitar um alvará provisório enquanto realizam as adequações necessárias. Segundo Franco, os salões onde os templos estão funcionando precisam de adequações para funcionamento de igreja, além de vistoria do Corpo de Bombeiros. Com um alvará provisório, os templos podem funcionar, mas sem utilização de aparelhagem de som.

A operação contou com o acompanhamento de uma viatura da Polícia Militar, com três policiais, e uma viatura da Guarda Civil, com dois patrulheiros, além do chefe da fiscalização e mais dois funcionários do setor. (Gisele Rodrigues)


SAÚDE
Allisson Roberto/TodoDia Imagem
CREIDINI: motorista há 18 anos, joga bola nos finais de semana para manter a forma e a saúde



SAÚDE


Empresas orientam caminhoneiros

AutoBan e Renovias montam postos de atendimento para fazer exames preventivos de saúde


Cristiani Custódio - Região

Problemas do coração e osteoarticulares, obesidade e alto nível de estresse, diretamente ligados aos caminhoneiros, têm levado as concessionárias da malha viária da região à implantar programas de acompanhamento e controle da saúde dos motoristas. Hoje, a AutoBan, concessionária que administra o sistema Anhangüera-Bandeirantes, realiza a 44ª edição do programa “VidaBan”, em que caminhoneiros passam por exames de saúde, recebem vacinas, além de cuidados com a aparência gratuitamente. Esta edição do programa será realizada no posto do km 56 da Rodovia dos Bandeirantes, pista interior-Capital, das 9h às 16h30. O programa da AutoBan já atendeu mais de 7 mil caminhoneiros.

A Renovias Concessionárias S/A, que administra cinco rodovias que ligam Campinas ao Circuito das Águas e ao Sul de Minas Gerais, entre elas a Rodovia Campinas-Mogi Mirim, constatou em sua 6º edição da campanha “Bate Coração”, que 70,1% dos motoristas de caminhão estão acima do peso. “A obesidade é um fator de risco para surgimento de diabetes, doenças cardiovasculares e osteoarticulares (que afetam ossos e juntas)”, explica o coordenador do Programa Saúde do Caminhoneiro da Renovias, o médico Eli Paulo Colombo Filho.

Em sua última edição, realizada entre junho e julho deste ano, a campanha “Bate Coração” atendeu 568 pessoas, sendo 54% motoristas de caminhão. Na pesquisa foi constatado também que de 80% a 85% dos caminhoneiros atendidos são sedentários, ou seja, não fazem qualquer tipo de exercício físico. Realizada de maneira periódica, entre quatro e cinco vezes ao ano, a campanha tem como objetivo avaliar a situação de saúde do caminhoneiro, além de oferecer gratuitamente orientações sobre fatores de risco de doenças coronárias.

Para isso, são montados postos de atendimento onde a população (não apenas caminhoneiros) pode fazer testes de glicemia capilar para identificar diabetes, além de testes de obesidade e pressão arterial. Com os testes em mãos, os pacientes passam então por uma consulta pelo cardiologista, que detecta possíveis problemas e necessidade de encaminhamento à outros médicos. “A má alimentação e o sedentarismo colocam os caminhoneiros no alvo das pessoas com tendência à problemas cardíacos”, afirma o médico.

Mesmo nunca tendo passado pelos postos de atendimento realizados pelo programa do Sistema Renovias, o motorista Creidini Pacheco dos Santos, 36, sabe bem o que fazer para cuidar da saúde. Uma alimentação saudável, com muitos legumes e pouca gordura é um dos cuidados do motorista para não ter problemas de saúde. “E aproveito o fim de semana para bater uma bolinha”, afirma. Creidini disse que já perdeu muitos amigos caminhoneiros que não cuidavam bem da alimentação e do corpo. “Também não fumo”, completou. Há 18 anos na estrada ele afirma que estes cuidados são essenciais para continuar tendo pique para o trabalho.



SAÚDE DO CAMINHONEIRO

q Comportamento

70,1% dos motoristas de caminhão estão acima do peso

85,1% admitiram não praticar atividades físicas regulares

67,9% admitiram tomar bebida alcoólica com freqüência

40,3% concordam que não se alimentam adequadamente

22,1% admitem dormir menos de oito horas diárias

29,2% afirmaram ser fumantes

q Exames clínicos

11,7% dos testes de glicemia mostraram alteração

21,1% tiveram comprovada alteração na pressão arterial

5,8% apresentaram alteração no eletrocardiograma

9,7% dos motoristas examinados foram encaminhados ao cardiologista

Fonte: Renovias (segundo pesquisa realizada nos meses de junho e julho deste ano, entre 568 motoristas)



Consultas são rápidas

De acordo com o médico Eli Paulo Colombo Filho, fatores como cigarro, obesidade e noites mal dormidas são outros agravantes quando o assunto é a saúde do coração. Para a campanha, a Renovias disponibilizou uma equipe com dez profissionais de enfermagem, dois médicos, quatro profissionais na equipe de apoio e mais quatro para coleta de dados.

Segundo Colombo, todo procedimento é realizado rapidamente para que o motorista não deixe de passar pelo atendimento. Além dos testes e consulta médica, as pessoas examinadas recebem uma cartilha com informações sobre aparelho circulatório, fatores de risco de doenças coronárias, dicas para prevenir DST (Doença Sexualmente Transmissível) e câncer de pele, além de cuidados com postura e circulação sanguínea. Durante a consulta, é distribuído também material impresso com indicações de exercícios de alongamento. No programa, os motoristas são instruídos a incluir verduras, legumes e frutas em suas refeições, assim como ingestão de líquidos como água e sucos de fruta. “Recomendamos também evitar alimentos gordurosos e calóricos”, diz o médico.

A campanha “Bate Coração” já conseguiu atender mais de 4,2 mil pessoas, sendo 65% motoristas de caminhão. “A idéia é tentar levar um rápido atendimento a esse tipo de profissional, que não tem muito tempo para conseguir ir a um médico em um consultório”, afirmou Colombro. O médico informou que as primeiras campanhas tinham como objetivo prevenir doenças coronárias, mas que depois os cuidados foram ampliados. “Procuramos com este programa induzir mudanças no estilo de vida do caminhoneiro, para uma melhora em sua saúde”, explicou. (C.C)


CONTROLE


Rodovias da Região começam a receber radares

Mário Tonocchi - Região

Arquivo/TodoDia Imagem
SP-101: rodovia que liga Campinas a Monte Mor receberá controle
Duas rodovias que passam por cidades da Região, a SP-332, que liga Campinas a Cosmópolis, passando por Paulínia, e a SP-101, que vai de Campinas a Monte Mor, atravessando Hortolândia, já estão recebendo os radares de controle de velocidade do DER (Departamento de Estradas e Rodagem). O setor em que constam essas duas rodovias e a SP-360, que liga Jundiaí ao Sul de Minas, estão sendo instalados três radares, que irão funcionar em sistema de rodízio.

Os radares que estão operando nas regiões de Campinas, Taubaté e Rio Claro, desde ontem, funcionam em período experimental, para teste educacional e estatístico até o dia três de novembro. Depois disso, passam a multar os motoristas que passam dos 100 Km/h permitidos nas estradas estaduais. De acordo com o DER não serão divulgados os locais onde os radares serão instalados.

Os locais utilizados para a monitoramento do trânsito por radares nas rodovias paulistas serão alterados com freqüência e a única orientação que o motorista terá, de acordo com o departamento, serão as placas que indicam a velocidade na pista, e que na rodovia existe um sistema de controle de velocidade com multa por radar. A multa para quem ultrapassar o limite de velocidade em até 20% é de R$ 127,69. Para quem ultrapassar 20% da velocidade a multa é de R$ 574,59.

O DER deixou de fora o trecho da SP-304 que liga a Rodovia Anhangüera a Piracicaba, na instalação de radares que começaram a operar experimentalmente ontem. O trecho da rodovia que vai receber o controlador de velocidade liga São Pedro a Santa Maria da Serra, onde a estrada é denominada Geraldo de Barros. A instalação na parte da SP-304 que corta a Região, entretanto, não está descartada pelo departamento. De um lote de 30 radares que serão instalados nas rodovias paulistas nesse período, onze já estão em funcionamento e os demais 19 entram em operação até o início do ano que vem. Nesse novo lote pode haver a opção pelo trajeto Anhangüera-Piracicaba.



rodovias que vão receber radares

q Região de Campinas (3 radares)

SP-332 - Rodovia Milton Tavares de Souza (Campinas - Cosmópolis)

SP-101 - Jornalista Francisco Aguirro Proença (Campinas - Monte Mor)

SP-360 - Engenheiro Constâncio Cintra (Jundiaí - Sul de Minas Gerais)

q Região de Taubaté (3 radares)

SP-99 - Estrada dos Tamoios (São José dos Campos - Caraguatatuba)

SP-123 - Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (Rodovia Presidente Dutra - Campos do Jordão)

SP-125 - Oswaldo Cruz (Taubaté - Ubatuba)

q Região de Piracicaba, Rio Claro e Mogi Mirim (em sistema de rodizio)

SP-201 - Prefeito Euberto Nemésio Pereira de Godoy (Pirassununga - Santa Cruz das Palmeiras)

SP-304 - Rodovia Geraldo de Barros (São Pedro - Santa Maria da Serra)

SP-308 - Rodovia do Açúcar (Piracicaba - Salto) e Rodovia Hermínio Petrin (Piracicaba - Charqueada)

SP-342 - Rodovia Governador Doutor Adhemar Pereira de Barros (Mogi Guaçu - São João da Boa Vista)

Fonte: DER


SANTO ANTONIO DE POSSE


Dois morrem em colisão com veículo

Alenita Ramirez - Santo Antonio de Posse

Duas pessoas morreram em acidente de trânsito na madrugada de anteontem, em Santo Antonio de Posse. A fatalidade ocorreu por volta das 4h20, e envolveu os estudantes Reginaldo Antonio Pavonelo, 23, e Elvis Atílio Mazan, 21. Eles ocupavam uma Saveiro que bateu em uma árvore.

De acordo com a Polícia Militar, os estudantes seguiam com o veículo pela vicinal Oscar Pereira Dias, que liga Santo Antonio de Posse a Jaguariúna. Os jovens retornavam de uma lanchonete e bateram o veículo, que era conduzido por Pavonelo. Uma testemunha, que preferiu não se identificar, acredita que Pavonelo perdeu a direção quando fazia uma curva. Os dois morreram na hora.



Copyright TodoDia Online. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página
em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita do TodoDia Online. Webmaster