Brazilian Music Up To Date - 2
The Interview: Jorge Ben Jor
This page in English

JORGE DE BEM COM CRÍTICA E PÚBLICO

"Eu dou graças a Deus por isso, e pela crítica entender o meu trabalho. Eu faço um trabalho profissional, assim como quando estou no palco e quero que tudo vá bem. As pessoas que estão ali me vendo, estão lá porque gostam de mim. Às pessoas que vão aos meus shows pela primeira vez, eu quero que elas saiam dali gostando e pedindo bis.

"Eu tenho que ser
profissional
sem ser radical"

Eu tenho que ser profissional sem ser radical. Como um poeta musical, cantar as histórias para que eles saiam felizes.
E sem apelação. Embora um artista que está gravando para uma multinacional sabe que tem que vender. Um trabalho pode até ser bonito demais mas pode não vender e nem interessar à gravadora. Ele tem que ter um apelo forte e uma coisa pop. Tem que agradar a mim, a gravadora e o público. Fora as obrigações de horários de estúdios e contratos e produção.
Um disco não pode ser muito igual (aos anteriores), embora para mim a fonte para compor e as raízes sejam as mesmas. Mas o próximo (disco) vai ter que soar um pouco diferente do Homosapiens. Capa, arranjos e tudo.
Eu quero mostrar ao meu público meu trabalho consciente. Quero que eles digam que 'ele fez um trabalho diferente e bom'. É isso que eu penso sempre, agradar o público e a crítica."


Previous Main Interview Next

©Copyright : Brazilian Music Up To Date