Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

A relação entre inteligência e percepção

Pesquisa investiga a conexão entre QI alto e capacidade de captar detalhes em uma cena

fevereiro de 2014
Cortesia de Duje Tadin da University of Rochester
Há décadas, algumas linhas de pesquisa buscam relacionar inteligência a percepção – por exemplo, pessoas consideradas inteligentes conseguem captar mais detalhes de uma cena? Ou diferentes aspectos de uma mesma situa­ção? Cientistas da Universidade de Rochester e da Universidade Vanderbilt tentaram responder a essas questões e concluíram que, realmente, a percepção mais aguçada está associada a um maior quociente de inteligência (QI).

Em dois estudos publicados no Current Biology, os pesquisadores pediram que 67 voluntários respondessem a testes de avaliação de QI e, em seguida, assistissem a video clipes de milissegundos nos quais listras pretas e brancas (veja imagem ao lado) se moviam para a esquerda ou para a direita dentro de uma estrutura circular que mudava de tamanho: ora aparecia mais encolhida, ora mais extensa. Depois de cada clipe, os participantes do estudo tinham de dizer se as barras se moviam para a direita ou para a esquerda.

Os cientistas observaram que o desempenho foi proporcional à pontuação no teste de QI. E também que os voluntários com QI mais alto conseguiram distinguir a movimentação mesmo quando a moldura circular estava contraída, o que reforça a ideia de que a inteligência está associada à habilidade de detectar informações rapidamente.

No entanto – e isso surpreendeu os autores do estudo – os donos de QI elevado revelaram mais dificuldade para detectar a orientação das linhas no círculo alargado. A hipótese é que o cérebro tende a perceber objetos maiores como uma espécie de pano de fundo da cena, ignorando-­os. “Descartar informação é algo que o cérebro faz o tempo todo, para poder processar o que considera mais importante”, explica o neurocientista Duje Tadin, da Universidade de Rochester. Em outras palavras, o trabalho sugere que inteligência requer uma combinação entre pensar rápido, focar em dados que interessam e ignorar distrações.