Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Amigos de gatos costumam ser mais egoístas que os fãs de cães, diz pesquisa

Preferência por determinada espécie pode revelar muito sobre sua personalidade

março de 2011
© Mitja Mladkovic/iStockphoto
Muitos veem o cão como extremamente fiel e o gato como egocentrado, amante da liberdade. Curiosos, cientistas se perguntaram se os donos teriam características similares. Será que os apaixonados por cachorros são mais comprometidos com os outros e com situações de forma geral e os que preferem gatos, mais temperamentais e voltados às próprias necessidades? Pesquisadores da Universidade do Texas em Austin afirmam que sim. Foi o que mostrou um estudo on-line coordenado pelo psicólogo Samuel Gosling. Foram analisados cinco traços de personalidade de mais de 4.500 voluntários: comprometimento, extroversão, abertura para novas experiências, tolerância social e estabilidade emocional (também chamada neuroticismo). Por fim, independentemente de possuírem um animal doméstico, os participantes deveriam classificar-se como “felino”, “canino” ou ambos. Como esperado, aqueles que se autodenominaram “tipos caninos” realmente eram, em média, mais extrovertidos e preocupados com questões coletivas que os “felinos”. Esse último grupo se mostrou mais instável emocionalmente, menos empático, porém, mais aberto a novidades. Os pesquisadores, no entanto, reconhecem que são necessários mais estudos nessa área. Eles acreditam que determinar precisamente com quais espécies as pessoas mais se harmonizam pode ajudar a promoção da terapia com animais. Mas para isso precisariam ser pesquisados perfis dos que se encantam com cavalos, peixes, hamsters e pássaros.