Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Aves aliam esforços para obter guloseima

março de 2009
© SouWest Photography/Shutterstock
Pássaros da mesma revoada não apenas ficam juntos – eles também trabalham em conjunto para obter comida. Uma nova pesquisa mostra que as gralhas-calvas são as primeiras não-primatas observadas a cooperar de forma bem-sucedida para obter acesso a uma plataforma cheia de comida. Cientistas da Universidade de Cambridge testaram as gralhas-calvas, que são membros da família do corvo, colocando pratos de comida numa plataforma fora do alcance de uma área cercada dos pássaros. Um único cordão dava passagem da área cercada à plataforma e de volta à área. Mover a plataforma para mais exigiria puxar as duas pontas do cordão simultaneamente, tarefa que só seria possível se dois pássaros trabalhassem juntos, cada um puxando uma ponta.

Os pesquisadores descobriram que as gralhas-calvas aprenderam de maneira espontânea como resolver o problema. “Nós ficamos impressionados ao notar quão bom foi o desempenho das gralhas-calvas”, diz a autora-líder Amanda Seed, atualmente no Instituto Max Planck para Antropologia Evolucionária em Leipzig, Alemanha. “É realmente difícil coordenar suas ações. Se você esperar um segundo a mais, você perde a chance”.

Chimpanzés, e possivelmente alguns outros primatas, são as únicas espécies que se mostraram capazes de realizar a mesma tarefa. Gralhas-calvas são pássaros extremamente sociais, que vivem em colônias de centenas de membros, e provavelmente encararam pressões evolucionárias para aprenderem a cooperar, diz Seed. Investigações adicionais, no entanto, revelaram que as gralhas-calvas podem não ter um entendimento tão sofisticado da tarefa como têm os macacos. A pesquisa anterior mostrou que quando o chimpanzé aprender que precisa de um parceiro para mover a plataforma, ele não irá mais tentar a tarefa sozinho. Já as gralhas-calvas do laboratório de Seed continuaram tentando (e sem resultado) mover a plataforma sozinhos, mesmo depois de serem bem-sucedidas ao tentar obter a comida com a ajuda de um parceiro.

Seed teoriza que esses resultados podem se originar das diferenças entre as comunidades de gralhas-calvas e as comunidades de chimpanzés. Embora sejam pássaros sociais, as gralhas-calvas são monógamas e acasalam para a vida toda, o que cria uma sociedade adulta de gralhas-calvas relativamente estável. Os chimpanzés, por outro lado, são polígamos, o que torna seus relacionamentos complicados, variáveis e exigem muita negociação para funcionar. Como resultado, Seed diz, os chimpanzés podem ter encarado pressões evolucionárias para desenvolver uma compreensão mais sofisticada da cooperação, da competição e dos relacionamentos sociais do que as gralhas-calvas enfrentaram.