Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Casos de esclerose múltipla apresentam crescimento mundial de 10%

Associações de mais de 100 países de unem para mapear a doença

maio de 2015
SHUTTERSTOCK

A esclerose múltipla é uma doença neurológica auto-imune que causa problemas motores irreversíveis. A patologia é mais frequente entre pessoas de 20 a 40 anos, sobretudo mulheres. Para o diagnóstico é necessário, além do exame físico, uma ressonância magnética.

A Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM) lançou, em parceria com Federação Internacional de Esclerose Múltipla (MSIF) e outras associações distribuídas por mais de cem países, um “Atlas da Esclerose Múltipla”. Considerando 2,3 milhões de pacientes do ano de 2013, o documento revela que, entre eles, 85% apresentaram esclerose múltipla do tipo remitente recorrente, 10% do tipo progressiva primária e 5% progressiva secundária. No total, a doença teve um aumento de 10% dos diagnósticos mundiais.

O Atlas da EM também comprovou informações que eram antes conhecidas como o dobro de casos femininos, em comparação aos masculinos e maior número de diagnósticos em regiões mais distantes da linha do Equador, como Estados Unidos e Europa.

 

O documento em português está disponibilizado na íntegra para consulta no site da ABEM, através do link: http://www.abem.org.br/index.php/noticias-2/505-atlas-da-esclerose-multipla 

 

Leia mais:

Esclerose múltipla: conheça melhor o transtorno
De causas desconhecidas, a doença afeta mais de dois milhões de pessoas ao redor do mundo

SUS distribuirá medicamento de alto custo para tratar esclerose múltipla
Pacientes que não respondem a outros fármacos terão acesso gratuito ao Fingolimode, de preço estimado em R$ 5 mil mensais