Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Choque na língua

Estimulação elétrica pode ajudar a reparar danos neurais e melhorar sintomas de esclerose múltipla

janeiro de 2015
Ester Hsieh
Radio
Um fato pouco conhecido: a língua é diretamente conectada ao tronco cerebral. Agora, os cientistas exploram essa característica anatômica para ajudar na reabilitação neurológica. Pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Madison descobriram recentemente que estimular eletricamente esse órgão pode ajudar pacientes com esclerose múltipla a andar de forma mais equilibrada. Ainda sem cura, a doença danifica o revestimento ao redor dos nervos, interrompendo a comunicação entre o corpo e o cérebro. A perda de controle muscular é um dos principais sintomas.

Em um estudo publicado no Journal of NeuroEngineering and Rehabilitation, o neurocientista Yuri Danilov e sua equipe aplicaram impulsos elétricos indolores, por 14 semanas, na ponta da língua de pacientes com a patologia enquanto faziam fisioterapia. Aqueles que receberam o estímulo melhoraram o dobro em variáveis como equilíbrio e estabilidade em comparação com um grupo de controle que fez os exercícios, mas não foi submetido à suave carga elétrica.

Danilov explica que esse órgão tem uma vasta integração sensorial e motora com o cérebro. Os nervos, em sua ponta, são diretamente conectados ao tronco encefálico, que controla processos corporais básicos. Pesquisas anteriores demonstram que o envio de pulsos elétricos através da língua ativa a rede neural relacionada ao equilíbrio, o que pode reforçar o circuito enfraquecido pela esclerose múltipla.

Os cientistas começaram a utilizar essa técnica para tratar pacientes com perda de visão, derrame e danos causados pelo Parkinson. “Acredito que encontramos um novo caminho para a reabilitação de muitos distúrbios neurológicos”, comemora Danilov.

Leia mais

Desvendando os mistérios da esclerose múltipla
Novos medicamentos têm mudado a vida de pacientes que lutam contra a doença, cuja origem ainda desconhecida

Terapia de choque em filmes perpetua imagem negativa do método
A eletroconvulsoterapia se tornou relativamente segura, e pode ser benéfica para casos de doenças mentais graves