Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Cochilo melhora desempenho nos plantões

Estudo mostra que a qualidade do sono varia conforme a tolerância ao trabalho em turnos

junho de 2007
© STEVE PREZANT/MASTERFILE - OTHER IMAGES
QUALIDADE DE SONO e níveis de alerta são indicadores de tolerância ao trabalho noturno
Tirar uma soneca no serviço é uma estratégia que aumenta o alerta de enfermeiros que trabalham à noite, segundo estudo da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo.

O biólogo Flávio Notarnicola da Silva Borges analisou alguns ritmos biológicos de 20 enfermeiros de um hospital da capital paulista e observou que os que podiam dormir breves períodos durante a jornada noturna apresentavam menor sonolência do que os que não podiam ter esse rápido descanso. Os resultados do estudo mostram ainda que a qualidade do sono varia conforme a tolerância ao trabalho em turnos. “Os profissionais que toleram mais o trabalho noturno relatam sono de melhor qualidade e não apresentam diferenças na produção de melatonina nos períodos de trabalho e de folga”, afirma o autor. “Os que toleram menos são mais sonolentos.” Borges ressalta que a prática de pequenos períodos de sono durante o trabalho noturno é pouco adotada no Brasil e, quase sempre, feita de modo informal.