Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Efeitos analgésicos do amor

Olhar fotos de pessoas que amamos pode diminuir dor física

agosto de 2011
© maximma/Shutterstock
Sentimentos amorosos ativam sistemas primitivos no organismo, o que causa um
impacto direto na forma como sentimos dor, atenuando a sensação de desconforto. A constatação é do o cientista americano Sean Makey, da Universidade de Stanford, na Califórnia. Para investigar esse efeito “analgésico” do afeto – em especial da paixão – o pesquisador analisou 15 universitários que declararam estar “loucamente apaixonados”. Cada estudante deveria levar uma foto da pessoa pela qual estava enamorado e outra imagem de alguém que achasse atraente, mas com quem não tivesse nenhuma ligação romântica. Durante os testes, os participantes deveriam segurar um objeto que poderia ficar muito quente ou muito frio – de acordo com regulagem feita pelos cientistas – o que causava dor em algumas vezes. Enquanto isso, os jovens deveriam olhar para as fotografias que haviam levado e, em seguida, definir o grau de dor sentida.


Os resultados mostraram que a imagem da pessoa amada realmente diminui a sensação de dor, o que não aconteceu quando os voluntários olhavam para alguém que considerado atraente. Os pesquisadores associam o fato à liberação de ocitocina, um hormônio que regula a reprodução em mamíferos, incluindo os processos de lactação e parto. Além disso, a ocitocina influencia em comportamentos sociais como o estabelecimento de vínculo entre parceiros e entre mãe e filho. Segundo Makey, ainda é muito cedo para que os médicos receitem “paixão”, mas ele acredita que a descoberta pode auxiliar em determinados tratamentos.