Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

El Greco tinha astigmatismo?

Por muito tempo acreditou-se que um problema de visão pudesse ter influenciado o pintor; estudo esclarece a suspeita

março de 2015
Susana Martinez-Conde e Stephen L. Macknik
EL GRECO. A RESSURREIÇÃO. 1595. ÓLEO SOBRE TELA. MUSEU DO PRADO, MADRI

Suas pinturas do século 16 e do 17 são povoadas pelas famosas figuras alongadas. As formas curiosas renderam especulações de que o pintor pudesse ter sofrido de astigmatismo, uma falha óptica. Acreditava-se que as lentes de óculos que usava pudessem ter favorecido o problema, produzindo imagens na retina esticadas horizontalmente, o que teria levado o mestre a pintar figuras altas e magras que pareceriam comuns para ele.

Para testar a hipótese, o neurocientista Stuart Anstis, da Universidade da Califórnia em San Diego, alterou a capacidade de visão de voluntários sadios para que enxergassem de maneira similar a El Greco. Para isso, usaram um telescópio específico que estendeu horizontalmente em 30% as imagens da retina. Curiosamente, o cientista observou o efeito “El Greco” nos desenhos feitos a partir da recordação, mas não quando eram copiados: por mais que os voluntários tentassem desenhar de memória um quadrado, acabavam produzindo um retângulo comprido e afilado; mas, ao tentar copiar uma figura real, desenhavam uma réplica bastante semelhante.

Então, para simular o astigmatismo ao longo da vida, Anstis pediu a uma participante do experimento que usasse o telescópio que provocava distorção por dois dias seguidos. Ela desenhou de cabeça e copiou os quadrados quatro vezes a cada 24 horas. Quando podia visualizar o modelo, o reproduzia de maneira praticamente idêntica, o que não acontecia quando evocava a forma da memória: nesse caso, a qualidade era aproximadamente 50% inferior. No entanto, a participante se aprimorou progressivamente. Até o fim do segundo dia já conseguia reproduzir a figura com grande similaridade. Anstis concluiu que, mesmo que sofresse de astigmatismo, El Greco teria rapidamente se adaptado a essa condição.

Então, por que El Greco pintava figuras tão estranhas? Evidências artísticas oferecem uma explicação diferente. Estudiosos afirmam que ele produzia esboços com proporções comuns e somente depois, na hora de pintar, alongava as imagens. E fazia isso de forma seletiva, retratando, por exemplo, os anjos mais altos e esbeltos do que os humanos. O fato de que nem sempre empregava o estilo alongado sugere que o método era uma escolha estética.

Leia o texto completo: "Percepções Distorcidas", que faz parte da edição de março de 2015 de Mente e Cérebro, disponível na Loja Segmento: http://bit.ly/184InXR

Leia mais:
A pintora que (literalmente) enxerga cores que ninguém vê
Concetta Antico tem tetracromatismo: é capaz de distinguir vários matizes em uma única cor, como um mosaico

Arte e dores psíquicas
Site reúne obras criadas por artistas com transtornos mentais