Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Fofoca pode favorecer autorreflexão

Pesquisadores da Universidade de Groningen realizam estudo sobre o impacto que boatos podem causar

junho de 2015
SHUTTERSTOCK

Ouvir fofoqueiros pode ser útil. De acordo com pesquisadores da Universidade de Groningen, na Holanda, conhecer o que dizem sobre os outros pode nos ajudar a ajustar comportamentos e a identificar ameaças.

O grupo avaliou os efeitos da fofoca em universitários. Parte dos voluntários foi instruída a relembrar boatos reais, enquanto outros deveriam se colocar no lugar de vendedores que escutavam mexericos sobre colegas de trabalho fictícios. De acordo com os pesquisadores, voluntários que ouviram comentários positivos sobre outras pessoas demonstraram a preocupação de se aperfeiçoarem para atender expectativas semelhantes. Já as observações negativas pareceram favorecer a autoestima dos ouvintes, mas também deixá-los em alerta sobre agirem como o alvo de fofoca

Boatos negativos tiveram efeitos mais evidentes sobre as mulheres, que se mostraram mais defensivas e preocupadas em se proteger. Já os homens que ouviram comentários agradáveis sobre outros demonstraram mais insegurança que as mulheres, aparentemente porque temiam não corresponder.

“Ouvir fofoca pode nos ajudar a avaliar a nós mesmos com mais precisão porque nos comparamos com os outros”, diz a psicóloga Elena Martinescu, principal autora do estudo. Ela observa que, embora fofocas sejam frequentemente maliciosas, é natural falar sobre os outros. “Ao contrário do que muitos imaginam, a fofoca pode nos ajudar no autoconhecimento e na adaptação a ambientes.”

Esta matéria foi originalmente publicada na edição de junho da Mente e Cérebro, que pode ser adquirida na Loja Segmento: http://bit.ly/1FqeWJ6

 

Leia mais:

Fofocar faz bem?
A maledicência ajuda a manter o equilíbrio social e garante
o bem-estar dos mexeriqueiros – pelo menos num primeiro momento

Por que você não resiste a uma boa fofoca
Pesquisadores estudam a predileção por falar, em geral,
com certa malícia, sobre pessoas que não estão presentes