Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Gêmeos interagem no útero

Espaço compartilhado pode acelerar desenvolvimento de habilidades psicossocias e motoras

julho de 2011
© lev dolgachov/Shutterstock
Ligação antiga: movimentos em direção ao irmão e toques parecem ser intencionais
Logo após o nascimento os bebês, em geral, já demonstram que são seres sociáveis – choram ao ouvir outro recém-nascido fazê-lo, movimentam o corpo em direção à mãe, e seus reflexos denotam prontidão para agarrar o que for colocado ao seu alcance. Segundo artigo divulgado pela publicação científica Plos One, sinais de interação social podem ser identificados ainda na vida intrauterina, e, no caso de gêmeos, o espaço compartilhado pode acelerar o desenvolvimento de habilidades psicossociais e motoras.


Pesquisadores da Universidade de Turim e da Universidade de Parma, na Itália, acompanharam a gestação de cinco pares de gêmeos por meio de ultrassonografias diárias. Foi observado que os fetos fazem gestos intencionais em direção ao companheiro desde a 14a semana, reduzindo a quantidade de movimentos voltados para si mesmos. Toques nas costas ou na cabeça do outro eram mais duradouros e mais precisos que encostar nos próprios olhos ou boca, por exemplo. Por volta da 18a semana, 30% das ações envolviam o irmão, o que fez os pesquisadores acreditar que os contatos eram intencionais.


Estudos anteriores haviam identificado a habilidade dos fetos de controlar movimentos a partir da 22a semana de gestação. A presença de um irmão no útero, portanto, poderia também acelerar o desenvolvimento motor. O grupo pretende continuar a pesquisa, desta vez com número maior de pares de gêmeos. Os padrões de atividade mapeados podem ajudar a identificar fatores relacionados a transtornos que comprometem o desenvolvimento sociocognitivo, como o autismo.