Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Ginástica para o cérebro não deixa você mais inteligente

Segundo 70 neurocientistas e psicólogos cognitivos, não há evidências de que "jogos cerebrais" melhoram o desempenho cognitivo ou ajudam a prevenir doenças degenerativas

janeiro de 2015
Ratselmeister/shutterstock

Não há evidências científicas sólidas que validem a eficácia de jogos e programas de computadores que prometem brain training (treino para o cérebro). É o que afirma um documento assinado por 70 neurocientistas e psicólogos cognitivos de vários países. “Não há resultados na literatura que suportem o argumento de que ‘jogos cerebrais’ alterem o funcionamento neural de forma a melhorar o desempenho cognitivo no dia a dia, prevenir o declínio cognitivo ou doenças do cérebro”, diz o texto divulgado pela Universidade Stanford e pelo Instituto Max -Plan-ck de Berlim para o Desenvolvimento Humano. 

De acordo com o psicólogo David Hambrick, professor da Universidade do Estado de Michigan, é uma má notícia para a indústria do treino cerebral, mas não é surpresa. Há pouco mais de uma década, o consenso na psicologia é que a inteligência em si não pode ser simplesmente aumentada. Se praticamos muito uma tarefa, ficamos melhores nessa atividade específica e talvez em outras similares. Mas nunca em tarefas em geral.

“Jogar determinado videogame com frequência, por exemplo, certamente o fará ficar melhor no jogo. Mas afirmar com certeza que você desempenhará melhor tarefas parecidas no mundo real não é possível”, explica Hambrick. “Com certeza há algo errado nessas promessas de rápidos ganhos de inteligência. Até que haja conclusões mais consistentes, investir em ginástica para o cérebro é desperdício de tempo e dinheiro.”

Leia mais

Atividade física atenua risco genético de Alzheimer
A prática regular de exercícios é capaz de interferir no metabolismo cerebral e retardar o avanço da demência em pessoas com o gene APOE e4, relacionado à maior predisposição para a doença

Efeitos do videogame
Se por um lado jogos eletrônicos melhoram a capacidade cognitiva e o aprendizado, por outro têm grande potencial de desencadear comportamentos violentos e antissociais