Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Jovem usa autorretratos para discutir violência virtual

Através do projeto Anonymous, Lindsay Bottom publica selfies com os comentários abusivos que recebe, com a intenção de estimular a reflexão sobre as ameaças online

junho de 2014
Reprodução
“Você usa editor de fotos para parecer mais magra. Pena que sei como é na vida real”; “Pensa que é bonita e isso é simplesmente triste – desculpe, a verdade dói”, são alguns dos comentários que Lindsay recebeu
Desde os 13 anos, quando começou a divulgar seus trabalhos artísticos e autorretratos na internet, a americana Lindsay Bottos sofre agressões anônimas: são usuá­rios que se dedicam a escrever comentários abusivos, que criticam principalmente sua aparência.“Embora esse tipo de assédio não seja restrito às mulheres, percebi, ao pesquisar sobre esse tipo de perseguição na rede, que a maioria das mensagens contém violência de gênero”, diz Lindsay, hoje com 21 anos, sobre as origens do projeto Anonymous, uma série de autorretratos com comentários“selecionados” de agressores.

A artista, que vive em Baltimore, emprestou o próprio rosto a seus perseguidores. Sobre seus selfies, colou comentários de autores desconhecidos. Sua intenção, explica, é estimular os usuários da internet a refletir por que comportamentos inaceitáveis na vida off-line – como amea­ças de estupro e de morte e assédio moral – tendem a ser considerados inócuos no contexto da rede. “O direito que essas pessoas pensam que têm de compartilhar sua opinião sobre mim é algo com que eu e outras garotas temos de lidar on-line diariamente”, revela no Tumblr que criou para a série, que já teve mais de 1 milhão de visualizações desde o início das postagens, em janeiro. O projeto completo pode ser visto no site de Lindsay: lindsaybottos.com/anonymous

Leia mais

A culpa não é da internet
Problemas modernos não são responsabilidade da tecnologia, mas do mau uso que fazemos dela

Rede do bem
Página na internet exibe vários tipos de iniciativas sociais, como visitar idosos em asilos e ensinar português para refugiados

Na TV: Pão de forma sofre bullying e faz terapia
Transmitida pelo canal Gloob, animação Osmar discute temas como rejeição e pressão social pelo sucesso