Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Medicamentos demais, sanidade de menos

Livro questiona critérios diagnósticos e medicalização excessiva do sistema de tratamento psiquiátrico

novembro de 2016

Uma das principais críticas aos manuais de referência psiquiátricos é a amplitude dos critérios diagnósticos. Cada vez mais pessoas, em algum momento da vida, podem ser diagnosticáveis para sintomas de transtornos, como depressão e ansiedade. Quando encaminhadas ao tratamento psiquiátrico, quase sempre recebem medicação. O psiquiatra Allen Frances está entre os críticos desse sistema. Para ele, estamos caminhando para uma sociedade em que o conceito de sanidade é frágil e todos parecem sofrer de algum transtorno. Em Voltando ao normal, defende que é possível abordar esses sintomas sem o auxílio de medicamentos na maior parte dos casos. O autor apresenta um panorama histórico do que chama “modismos da psiquiatria”, apontando relações entre descobertas da indústria farmacêutica e o surgimento de novos diagnósticos. 

Voltando ao normal.
Allen Frances.
Versal, 2016.
368 págs. R$ 49,90

Para mais sugestões como esta adquira a edição de novembro de Mente e Cérebro, disponível na Loja Segmento: http://bit.ly/2eJCaHt 

Leia mais:

Medicamentos que podem causar tontura
Os cinco principais tipos de drogas prescritos para idosos afetam a orientação espacial; quedas são a principal causa de lesão acidental e morte após os 65 anos 

Cérebro de homens e mulheres reage a medicamentos de maneira diferente
Em média, elas são até 75% mais propensas a manifestar efeitos colaterais