Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

Medicamentos que podem causar tontura

Os cinco principais tipos de drogas prescritos para idosos afetam a orientação espacial; quedas são a principal causa de lesão acidental e morte após os 65 anos 

fevereiro de 2015
Shutterstock
Um dos efeitos colaterais mais frequentes de medicamentos, a tontura está relacionada a alterações na percepção espacial, provocando vertigem, desequilíbrio e desorientação. Especialistas estimam que alguns remédios usados com frequência, como os que controlam a pressão arterial elevada ou alteram a química do cérebro, podem causar o mal-estar ou intensificá-lo em até 30% dos pacientes que fazem uso regular.  

“À medida que envelhecemos, lidamos cada vez mais com mudanças na fisiologia e no cérebro que nos deixam mais propensos à tontura”, diz a otorrinolaringologista Ann Tucker Gleason, diretora do Centro de Equilíbrio e Sistema Vestibular da Universidade da Virgínia. “Além disso, muitos necessitam tomar medicamentos conhecidos por causar tontura, o que aumenta os riscos de perder o equilíbrio.” Quedas são a principal causa de lesão acidental e morte após os 65 anos, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). Os cinco principais tipos de drogas prescritos para idosos podem afetar a orientação espacial

Ainda assim, muitos desconhecem esses riscos e, sentindo desequilíbrio, não o relacionam com algum ou mais medicamentos que estão tomando. Os cientistas acreditam que cerca de 30% da população em geral sofre tonturas. Frequentemente, o problema é causado por distúrbios do ouvido interno ou do sistema vestibular (que compreende estruturas responsáveis pela manutenção do equilíbrio), mas também pode decorrer de medicamentos que afetam a visão, as funções do cérebro ou o sistema nervoso.

“As tonturas, principalmente as vertigens, não são apenas uma preocupação global, mas praticamente uma epidemia na população geriátrica, o que as torna um grave problema de saúde”, diz o biólogo molecular Christopher Zalewski, pesquisador do Instituto Nacional de Surdez e Outros Distúrbios de Comunicação dos Estados Unidos. Veja algumas das drogas que podem causar desequilíbrio e como esse efeito pode ser amenizado. 

 

REMÉDIOS QUE PODEM CAUSAR DESEQUILÍBRIO

 

Drogas para desentupir o ouvido interno

Afetam diretamente os órgãos sensoriais que controlam o equilíbrio e a orientação espacial.

 

Antibióticos

Combatem a infecção; podem danificar o ouvido interno

 

Medicamentos contra vertigem

Tratam náusea e enjoo

 

Fármacos que favorecem a hipotensão postural

Essas drogas diminuem os níveis de pressão arterial, glicose no sangue ou oxigênio, o que pode causar tonturas e desorientação.

 

Analgésicos

Aliviam a dor (com prescrição)

 

Anti-hipertensivos

Reduzem a pressão arterial

 

Quimioterápicos

Matam as células cancerosas

 

Medicamentos para diabetes

Diminuem os níveis de glicose

 

Diuréticos

Eliminam água e sais do corpo

 

Drogas que mudam a química do cérebro

Ainda não é tão claro como isso favorece a tontura. É possível que as alterações químicas impeçam que os sinais viajem pelo ouvido interno.

 

Antidepressivos ISRS

Aumentam os níveis de serotonina

 

Antipsicóticos

Diminuem os níveis de dopamina

 

Anticonvulsivantes

Retardam o disparo neural

Amenizam as respostas do sistema nervoso central

 

 

O QUE FAZER

Em caso de tonturas, o melhor é consultar o médico. Ele pode averiguar se a sensação é efeito de algum medicamento e, assim, reduzir a dose ou receitar outra droga. Se não for possível mudar o remédio ou se o problema tiver outra origem, algumas atitudes podem amenizar o problema:

 

Exercício físico. Especialistas têm desenvolvido treinos que ajudam a restaurar o equilíbrio. A reabilitação vestibular, por exemplo, envolve atividades para os olhos e a cabeça que buscam estimular o cérebro a lidar com os sinais distorcidos que vêm do ouvido interno. O procedimento de reposição canalicular, que envolve a execução de uma sequência de movimentos de cabeça, muda o conteúdo do ouvido interno para aliviar alguns tipos de vertigem. O médico pode orientar sobre esse tratamento. Praticar atividade física regularmente, em especial as que trabalham o equilíbrio, como o tai chi, pode ajudar a combater a tontura.

Olhar ao redor. É indicado averiguar áreas próximas de casa ou do local de trabalho que podem provocar quedas. Por exemplo, caminhar por calçadas seguras e evitar superfícies molhadas e escorregadias ou com pouca iluminação pode ajudar a preveni-las. Instalar carpetes ou grades em escadas também ajuda.

Diminuir a quantidade de sódio ajuda a reduzir a sensação de desequilíbrio, bem como o consumo de álcool, cafeína e nicotina.

Tentar um antivertiginoso. Em último caso, o médico pode prescrever um antiemético, que suprime sinais mistos do ouvido interno e ajuda a amenizar o enjoo. No entanto, muitos medicamentos usados para combater a tontura têm efeitos colaterais desagradáveis. Alguns podem até mesmo aumentá-la em determinados pacientes.