Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

O artista que fotografa pesadelos

Vítima de paralisia do sono, Nicolas Bruno recria em imagens surrealistas as alucinações que sofre quando está acordado mas não consegue se mexer

outubro de 2014
Captura de tela
Nicolas Bruno, de 21 anos, sofre de paralisia do sono: fenômeno raro em que a pessoa percebe que acordou de um sonho, mas não consegue se mexer ou falar. Chega a durar até dez minutos. A sensação de clausura pode vir acompanhada da invasão de imagens oníricas, que se mesclam à consciência.

Pessoas que experimentam o fenômeno, ocasionalmente ou com frequência, costumam relatar a visão de objetos ou seres estranhos mesclados à paisagem real do quarto de dormir. A situação é explicada pela medicina do sono como uma intersecção entre vigília e sono REM (estágio em que ocorrem os sonhos). “Figuras humanas sem rosto e com mãos de sombra abraçavam meu corpo, eu sentia que era real, mas ao mesmo estava imobilizado”, diz Bruno, que encontrou na fotografia um meio de superar as aterrorizantes alucinações.

Retratando-se trancado em baús ou usando máscaras de gás, lanternas e chapéu-coco, entre outros elementos, ele recria os cenários surrealistas de suas visões. O projeto completo, definido por Bruno como uma “homenagem agridoce” aos seus pesadelos, está disponível em seu site oficial: www.nicolasbrunophotography.com.

Leia mais

Ataques de Sono
A narcolepsia provoca cochilos involuntários, sonhos e alucinações a qualquer hora do dia. A união das neurociências e da imunogenética está elucidando esse misterioso distúrbio do sono.

Para que, de fato, serve o sonho?
Prevalece cada vez mais a noção de que os sonhos são cruciais para a consolidação e reestruturação das memórias

Reparos secretos durante o sono
Dormir “afrouxa” conexões neurais e restitui ao sistema cerebral um estado mais saudável