Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

O delírio como tentativa de cura

Tanto a prática clínica quanto pesquisas acadêmicas demonstram a eficiência da psicanálise para o tratamento de psicoses

agosto de 2015
Ferdinand Shmutzer/Creative Commons

Para a psicanálise, a psicose é considerada uma forma de organização psíquica. Na esquizofrenia, falta a referência central, que instaura a lei interna e norteia a vida psíquica. A abordagem psicanalítica trabalha com o paciente e sua história singular, não focando a patologia, mas sim a totalidade da existência do sujeito. Diferentemente do que ocorre na psiquiatria, o diagnóstico não é feito pelos fenômenos observados, mas pela estrutura do discurso e sua dimensão transferencial. O discurso da loucura é escutado e valorizado como portador de um sentido. Para Sigmund Freud, é uma tentativa de cura, um movimento psíquico marcado pela tentativa de lidar com a ausência de um referencial norteador. Por isso, o delírio precisa ser acolhido e não simplesmente eliminado.

Leia a matéria completa, Alívio para a esquizofrenia, capa da edição de Agosto de Mente e Cérebro, disponível na Loja Segmento: http://bit.ly/1ORuiNB


Leia mais:

Cognição e esquizofrenia
Já no primeiro episódio da patologia os prejuízos são similares aos observados em pacientes doentes
há algum tempo; a conclusão reforça a necessidade de diagnóstico precoce para diminuir sequelas

Sob o efeito de alucinógenos
Pesquisadores acreditam que as semelhanças entre os sintomas relatados por usuários de LSD e por
pessoas com psicose aguda apontam para algo em comum: a serotonina