Mente Cérebro
Clique e assine Mente Cérebro
Notícias

O lado bom dos games de ação

O ritmo acelerado desses jogos pode ajudar a melhorar a atenção, a tomada de decisões e as habilidades visuais e multitarefas

novembro de 2014
Monkey Business Images/Shutterstock
A ideia de completar jogos de raciocínio como Sudoku para ajudar a manter a mente afiada na medida em que envelhecemos tem ficado para trás. O que pode, então, aprimorar a cognição? A ciência sugere que games de tiro em primeira pessoa, como Halo ou Modern Warfare, podem colaborar.

Estudos da neurocientista cognitiva Daphne Bavelier e seus colegas da Universidade de Genebra  mostram que o ritmo acelerado dos jogos de ação pode ajudar a melhorar a atenção, a tomada de decisões e as habilidades visuais e multitarefas. “Como uma cientista do cérebro, o que mais me surpreende não é o fato de que os jogadores estão cada vez mais habilidosos, mas as consequências relacionadas a essa prática, que se traduzem em outras aptidões que geralmente não pensamos estarem associadas”, diz. “Muitos games foram banalizados, mas certamente provocam efeitos importantes.”

Daphne sugere praticar de 35 a 50 minutos por dia para ajudar a aprimorar a visão e a atenção. Mas, se você não se sente à vontade com games que envolvam inimigos virtuais, sangue e explosões, não se preocupe. A neurocientista e outros pesquisadores têm trabalhado para desenvolver jogos não violentos, mas que desafiam os mesmos circuitos cerebrais.

Leia mais

Videogame brasileiro promete ajudar no tratamento de TDAH
Desenvolvido em parceria entre universidades nacionais e americanas, jogo visa treinar controle inibitório

Efeitos do videogame
Se por um lado jogos eletrônicos melhoram a capacidade cognitiva e o aprendizado, por outro têm grande potencial de desencadear comportamentos violentos e antissociais